Enxaqueca com aura: é perigosa? o que é, sintomas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
junho 2022
  1. Sintomas
  2. É perigosa?
  3. Causas
  4. Tratamento
  5. Tratamento natural

A enxaqueca com aura é uma alteração da visão que leva ao aparecimento de pequenos pontos luminosos ou embaçamento dos limites do campo de visão, que pode durar de 15 a 60 minutos, e que é seguida por uma dor de cabeça muito forte e constante.

Além da dor de cabeça e das sensações visuais, a enxaqueca com aura pode ainda resultar em alterações sensitivas, transpiração excessiva, náuseas e dificuldade para falar, por exemplo.

A enxaqueca com aura não tem causa definida, e, portanto, não possui um tratamento específico, mas normalmente são indicados medicamentos que aliviam os sintomas e reduzem a dor de cabeça, como o Paracetamol ou o Ibuprofeno. Além disso, pode ser necessária a mudança em alguns hábitos alimentares ou comportamentais, como por exemplo dormir pouco, pois esses fatores podem contribuir para o aparecimento da enxaqueca.

Principais sintomas

Os principais sintomas de enxaqueca com aura são:

  • Alterações visuais, em que podem ser notados flashes de luz, manchas escuras ou imagens brilhantes;
  • Visão borrada;
  • Perda temporária da visão;
  • Tontura ou perda do equilíbrio;
  • Formigamento na cabeça, lábios, língua, braços, mãos ou pés;
  • Sensação de ruídos no ouvido;
  • Dificuldade para falar;
  • Dificuldade para movimentar os olhos;
  • Transpiração excessiva;
  • Náuseas ou vômito;
  • Alucinações como por exemplo sensação de estar caindo, ou de os objetos serem maiores ou menores do que na realidade.

Apesar da aura ser mais comum de acontecer antes da dor de cabeça, é possível que a pessoa apresente esses sintomas visuais durante ou após a crise de enxaqueca. Caso os episódios de enxaqueca com aura sejam frequentes, é importante consultar o clínico geral ou neurologista para que seja feito o diagnóstico e indicado o melhor tipo de tratamento.

Enxaqueca com aura é perigosa?

Apesar de ser uma situação desconfortável, a aura não coloca a vida da pessoa em risco. No entanto, a ocorrência com frequência de enxaqueca com aura tem sido relacionada com o aumento do risco de depressão, transtorno bipolar e AVC, principalmente em mulheres que fazem uso de pílula anticoncepcional, terapia de reposição hormonal ou são fumantes.

Possíveis causas da enxaqueca com aura

As causas da enxaqueca com aura ainda não estão muito bem esclarecidas. Uma das teorias afirma que a aura seguida da dor de cabeça está relacionada com o estreitamento dos vasos sanguíneos presentes no cérebro.

O uso de anticoncepcionais pode favorecer os sintomas de enxaqueca com aura, pois pode estimular alterações na circulação. Além disso, o consumo de alguns alimentos e bebidas, como chás, refrigerantes, café, frutas cítricas, frituras e gorduras, bem como dormir mais ou menos que o habitual ou ficar muito tempo sem comer, podem resultar em enxaqueca com aura. Saiba como fazer a dieta para enxaqueca.

Por que a enxaqueca melhora na gravidez

A enxaqueca com aura na gravidez tende a diminuir devido ao nível regular de estrogênios, que permitem a dilatação dos vasos e prevenção de dores de cabeça. Porém, caso a mulher apresente enxaqueca com aura constante na gravidez, é recomendado que consulte o ginecologista para iniciar o tratamento adequado, que normalmente é feito com reposição hormonal. Veja como aliviar a dor de cabeça na gravidez.

Como é feito o tratamento

Não existe um tratamento específico para a enxaqueca com aura, no entanto, existem várias formas de aliviar a dor, que dependem da causa da enxaqueca e da intensidade dos sintomas. Assim, é sempre recomendado consultar um neurologista, ou um clínico geral, para avaliar cada caso e iniciar o tratamento mais adequado.

Os remédios para aliviar a dor da enxaqueca funcionam melhor quando começam a ser tomados assim que surge o primeiro sinal de dor, e normalmente são:

  • Anti-inflamatórios, como Ibuprofeno ou Naproxeno, e Acetominofeno: reduzem os efeitos inflamatórios nas membranas que cobrem o cérebro e também reduzem a produção de substâncias responsáveis pela dor, mais usados em crises leves a moderadas;
  • Triptanos, como Sumatriptano ou Rizatriptano: normalmente são os remédios com melhor efeito, pois reduzem a produção de substâncias responsáveis pela dor, mais usados em crises moderadas a graves e crônicas;
  • Opióides, como a Codeína: são usados apenas nos casos em que o tratamento não pode ser feito com outros remédios ou quando as crises são muito intensas e não aliviam com outras medicações;
  • Antieméticos, como o Plasil: remédios para náuseas e vômitos são usados para aliviar as crises de dor quando administrados junto aos anti-inflamatórios e triptanos.

Na maior parte dos casos, os remédios para enxaqueca são utilizados na forma de comprimidos, no entanto, alguns também existem alguns na forma de spray nasal, que têm um efeito mais rápido.

Estes medicamentos só devem ser utilizados durante a crise, pois a maioria pode provocar efeitos colaterais quando utilizados durante longos períodos de tempo. Para evitar o surgimento de uma nova crise, deve-se optar por outros tipos de remédios que são mais seguros para um uso prolongado.

Remédios para evitar as crises de enxaqueca

O uso de remédios para evitar futuras crises de enxaqueca são usados principalmente nos casos em que a enxaqueca surge mais de 2 vezes por mês. Alguns exemplos dos medicamentos que podem ser usados são:

  • Antidepressivos tricíclicos, como Amitriptilina ou Nortriptilina;
  • Remédios para a pressão alta, como Propranolol, Atenolol ou Metoprolol;
  • Anticonvulsivantes, como Valproato, Gabapentina ou Topiramato.

Além disso, a injeção de botox nos músculos em redor da cabeça também pode ajudar a evitar a enxaqueca em algumas pessoas e, por isso, também pode ser indicado pelo médico.

Opções de tratamento natural

Além do tratamento medicamentoso indicado pelo médico é muito importante ter bons hábitos diários, como dormir pelo menos 7 horas, evitar situações de muito estresse e praticar exercício físico regularmente.

No entanto, a alimentação também pode ajudar muito a reduzir a dor de cabeça ou a evitar crises, sendo importante evitar alimentos que normalmente levam ao surgimento de uma enxaqueca, como vinho tinto, cerveja, cebola, chocolate ou carnes processadas, por exemplo. Além disso, fazer suplementação com magnésio, vitamina B12 e coenzima Q10 também parecem ajudar as chances de ter uma enxaqueca. Veja algumas dicas da nossa nutricionista:

Para complementar este tratamento natural, podem ainda ser usados os chás de algumas plantas medicinais, como das folhas de Tanaceto (Tanacetum parthenium) ou da raiz de Petasites hybridus, por exemplo. Veja a receita de outros remédios naturais que combatem a enxaqueca.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em junho de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em maio de 2020.

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE CEFALEIA. Enxaqueca com aura. Disponível em: <https://sbcefaleia.com.br/noticias.php?id=351>. Acesso em 08 jun 2022
  • NCBI. Migraine with Aura. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK554611/>. Acesso em 08 jun 2022
Mostrar bibliografia completa
  • MELHADO, Eliane M.. Dor de cabeça e enxaqueca: tudo o que você precisa saber!. 1 ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2017.
  • GOLDMAN, Lee; SCHAFER, Andrew I. . Goldman-Cecil Medicine . 25.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018. pp. 2404-2405.
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • Alimentos que causam ENXAQUECA

    04:21 | 172399 visualizações