Ter enxaqueca na gravidez é perigoso?

Novembro 2020

Durante o 1º trimestre da gestação, algumas mulheres podem apresentar mais crises de enxaqueca do que o comum, o que é provocado pelas intensas alterações hormonais do período. Isto acontece, pois alterações nos níveis de estrogênio podem desencadear crises de dor de cabeça, o que surge na mulher tanto na gestação, como pelo uso de hormônios ou na TPM, por exemplo.

A enxaqueca durante a gestação não representa um perigo direto para o bebê, mas é importante procurar um médico para ter a certeza de que a dor de cabeça não é causada por outros problemas como a pré-eclâmpsia, que é uma condição que pode afetar gravemente a saúde da grávida, assim como a do bebê. Veja outros sintomas causados pela pré-eclâmpsia.

As crises de enxaqueca costumam reduzir de frequência ou desaparecem no 2º e 3º trimestres e em mulheres que costumavam ter esse problema próximo ao período menstrual. No entanto, esta melhora pode não ocorrer em mulheres que têm enxaqueca com aura ou, em casos mais raros, pode surgir mesmo naquelas que não têm histórico de enxaqueca prévia. 

Ter enxaqueca na gravidez é perigoso?

O que fazer para aliviar a enxaqueca

O tratamento da enxaqueca na gravidez pode ser feito com algumas opções naturais ou com o uso de medicamentos como o Paracetamol, que só devem ser tomados com orientação médica:

Opções de tratamento natural

Para ajudar no tratamento, pode-se utilizar acupuntura e técnicas de relaxamento e controle da respiração, como yoga e meditação, além de ser importante descansar o máximo possível, fazendo pequenos períodos de descanso ao longo do dia.

Outras dicas que ajudam são beber pelo menos 2 litros de água por dia, fazer entre 5 e 7 pequenas refeições por dia e praticar atividade física regularmente, pois isso ajuda a melhorar a digestão e manter o controle da pressão e do açúcar no sangue.

Veja como fazer uma massagem relaxante para aliviar a dor de cabeça:

Remédios seguros para enxaqueca

Os medicamentos contra a dor mais seguros para usar durante a gravidez são o Paracetamol e o Sumatriptano, sendo importante lembrar que esses medicamento devem sempre ser tomados apenas de acordo com a orientação do obstetra. 

Como prevenir novas crises

Apesar de muitas vezes a enxaqueca ser causada pelas alterações hormonais da própria gravidez, deve-se tentar identificar fatores que podem aumentar o risco de novas crises, como:

  • Estresse e ansiedade: aumentam a tensão muscular e a chance de surgir enxaqueca, sendo importante tentar relaxar e descansar o máximo possível;
  • Alimentação: deve-se estar atenta se a crise surge até 6h após o consumo de determinados alimentos, como refrigerantes, cafés e frituras. Saiba como deve ser a dieta para enxaqueca;
  • Lugar barulhento e com muita luz: aumentam o estresse, sendo importante procurar lugares calmos e que a luminosidade não irrite os olhos;
  • Atividade física: exercícios vigorosos aumentam o risco de enxaqueca, mas praticar regularmente atividades leves e moderadas, como caminhada e hidroginástica, diminui o risco de novos problemas.

Além disso, fazer um diário sobre a rotina e o surgimento da dor de cabeça pode ajudar a identificar as causas do problema, sendo importante também estar atenta ao surgimento de sintomas como aumento da pressão e dor abdominal, que podem indicar outros problemas de saúde.

Confira mais dicas naturais para tratar e evitar a enxaqueca na gravidez.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: