Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Quando engravidar após a curetagem

O tempo que é preciso esperar para engravidar após uma curetagem varia de acordo com o seu tipo. Existem 2 tipos de curetagem: a de aborto e a semiótica, que possuem tempos de recuperação diferentes. A curetagem semiótica é feita para retirar pólipos ou coletar uma amostra de tecido do útero para exame de diagnóstico e a curetagem de um aborto é feita para limpar o útero de restos embrionários. Veja mais detalhes sobre cada tipo de curetagem.

Na curetagem semiótica, o tempo de espera recomendado para engravidar é de 1 mês, enquanto que na curetagem de um aborto, esse tempo de espera para tentar uma nova gravidez deve ser de 3 a 6 ciclos menstruais, que é o prazo em que o útero leva para se recuperar completamente. 

Antes deste período, o tecido que reveste o útero não deverá estar completamente cicatrizado, aumentando o risco de hemorragia e de um novo aborto. Portanto, durante o tempo de espera, o casal deve usar algum método contraceptivo, pois a ovulação irá ocorrer normalmente na mulher, que pode correr o risco de engravidar.

Quando engravidar após a curetagem

É mais fácil engravidar depois da curetagem?

As probabilidades de gravidez depois de uma curetagem são as mesmas que as de qualquer outra mulher com a mesma idade. Isso porque a ovulação pode acontecer logo após passar por uma curetagem, e por isso não é incomum que a mulher engravide logo depois desse procedimento, ainda antes da vinda da menstruação.

Porém, como os tecidos uterinos ainda não estão completamente cicatrizados, deve-se evitar engravidar logo após a curetagem, pois existe um maior risco de infecção e de um novo aborto. Confira as 10 principais causas de aborto espontâneo e como tratar.

Para isso, não é recomendado ter relação sexual desprotegida logo depois da curetagem, devendo-se esperar pela cicatrização do útero antes de tentar engravidar.

Como diminuir o risco de aborto após a curetagem

Para diminuir o risco de abortar espontaneamente, o útero da mulher deve estar completamente saudável e, por isso, pode-se pedir a opinião do ginecologista sobre quando voltar às tentativas. O médico poderá aconselhar um tempo maior de espera se o casal não estiver emocionalmente preparado para retornar as tentativas de engravidar.

Alguns cuidados que a mulher pode ter para uma gravidez saudável e com menos riscos são:

  • Fazer exames para avaliar a saúde uterina antes de começar a tentar engravidar;
  • Ter relações sexuais, pelo menos, 3 vezes por semana, mas principalmente durante o período fértil. Saiba calcular o seu período mais fértil do mês;
  • Tomar ácido fólico para ajudar na formação do sistema nervoso do bebê;
  • Evitar comportamentos de risco, como não consumir drogas ilícitas, bebidas alcoólicas e evitar fumar.

As mulheres que tiveram mais de 2 abortos podem tomar uma vacina especial desenvolvida para evitar abortos espontâneos recorrentes. Veja como é essa vacina contra o aborto.

Bibliografia >

  • CARVALHIDO, Joana Alexandrina E.. ABORTO RECORRENTE: NOVAS ABORDAGENS. Dissertação | Artigo de Revisão Bibliográfica , 2014. Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar .
  • IPGO - MEDICINA DE REPRODUÇÃO. Abortos de repetição. Disponível em: <https://ipgo.com.br/abortos/>. Acesso em 14 Mai 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem