Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é Eletroterapia e para que serve

Eletroterapia consiste no uso de correntes elétricas para a realização de um tratamento de fisioterapia. Para que seja feita, o fisioterapeuta coloca eletrodos na superfície da pele, por onde passam correntes de baixa intensidade, que não trazem risco para a saúde, e são úteis para o tratamento de condições como inchaço, dor, espasmos ou para fortalecimento muscular, por exemplo.

Existem variadas técnicas de aplicação da eletroterapia, com o uso de aparelhos específicos, que podem contribuir de maneiras diferentes durante o tratamento de reabilitação. As principais são:

1. TENS (Terapia por estimulação elétrica nervosa transcutânea)

Consiste na emissão de correntes elétricas pulsadas que estimulam nervos e músculos através da pele, o que bloqueia os sinais de dor e aumenta a produção de substâncias fisiológicas do organismo que têm efeito analgésico, como as endorfinas. 

  • Quando é indicado: costuma ser feita para tratamento de dores crônicas, como as dores lombares ou cervicais, dor no nervo ciático, na bursite ou após cirurgias por exemplo.

Para a aplicação, os eletrodos são colocados diretamente na pele, e a intensidade da corrente elétrica é ajustada para cada pessoa. Geralmente, o tratamento é realizado em dias alternados, e o número de sessões de individualizada de acordo com as necessidades de cada pessoa.

O que é Eletroterapia e para que serve

2. Ultrassom

O aparelho de ultrassom utilizado na eletroterapia é capaz de emitir onda sonoras que fornecem vibrações mecânicas que favorecem a regeneração dos tecidos afetados, pela estimulação do fluxo de sangue e aumento do metabolismo.

  • Quando é indicado: costuma ser realizado em caso de dores musculares provocadas por contraturas ou tensões, espasmos musculares, tendinites, bloqueios articulares e no tratamento de cicatrizes.

Esta técnica é realizada através do deslizamento do aparelho sobre à pele, após ter sido limpa e preparada com um gel condutor, e o números de sessões é indicada pelo fisioterapeuta ou ortopedista, de acordo com as necessidades de cada pessoa.

3. Corrente Russa

É uma técnica de eletroestimulação que atua no nível muscular, feita com eletrodos posicionados estrategicamente na região a ser tratada, sendo capaz de promover um aumento da força e do volume muscular, pois atua melhorando a circulação sanguínea e reduzindo a flacidez local

  • Quando é indicada: é muito usada para o fortalecimento dos músculos, pois o seu efeito pode facilitar a contração muscular, principalmente em casos de fraqueza ou atrofia muscular.

A corrente russa é muito utilizada em tratamentos estéticos, facilitando a drenagem linfática e combatendo a flacidez. Saiba mais sobre como é feita a corrente russa.

4. Terapia a laser

Laser é um tipo de fototerapia, realizada pela emissão de luzes através de um aparelho específico, e é capaz de produzir um efeito antiinflamatório, analgésico, regenerador e cicatrizante dos tecidos.

  • Quando é indicada: a laserterapia é indicada em caso de inchaço ou inflamações de articulações, tendões e ligamentos, tendões nos nervos, tendo bons resultados para controlar a dor e estimular a regeneração do tecido lesionado.

A aplicação do laser costuma ser feita pelo fisioterapeuta no local da dor, e a dose e número de sessões realizadas dependerá do tipo e gravidade da lesão.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...