Testes COVID-19: quando fazer, tipos e resultados

Revisão clínica: Marcela Lemos
Biomédica
junho 2022

Existem diferentes tipos de testes para COVID-19 que permitem saber se a pessoa está infectada pelo coronavírus ou se, em algum momento, já teve contato com o vírus, tendo desenvolvido imunidade temporária.

O único teste capaz de confirmar a infecção ativa de COVID-19 é o exame RT-PCR, no qual uma amostra de secreções é retirada, através do nariz ou da boca, e analisada no laboratório, confirmando, ou não, a presença do vírus no corpo. Qualquer outro teste para COVID-19 não é considerado pela OMS um teste de diagnóstico da COVID-19 e serve apenas para identificar pessoas que já tiveram contato com o vírus, podendo não ter a infecção ativa no momento do teste.

Além destes testes, e caso a pessoa apresente sinais de infecção pelo coronavírus, o diagnóstico da COVID-19 também pode incluir a realização de outros exames, principalmente hemograma e tomografia de tórax, para avaliar o grau da infecção e identificar se existe algum tipo de complicação que precise de tratamento mais específico. Veja quais os sintomas que podem indicar infecção pela COVID-19.

Swab para o teste de COVID-19
Swab para o teste de COVID-19

1. Quando fazer o teste de COVID-19?

O momento em que se deve fazer o teste de COVID-19 varia de acordo com o tipo de teste que se vai realizar:

  • Teste rápido: deve-se esperar, em média, 2 dias, no caso do teste de antígeno e do autoteste, e, pelo menos, 8 dias para o teste rápido de anticorpos.
  • RT-PCR: deve ser realizado entre o 3º e 7º dia após o surgimento dos sintomas.

Independente do tipo, é sempre importante informar as autoridades de saúde no caso de suspeita da infecção, para saber como proceder e qual o melhor teste a fazer.

2. Quem deve fazer o teste de COVID-19?

Os testes rápidos podem ser feitos por qualquer pessoa para identificar se já teve contato com o novo coronavírus, mas não servem para confirmar o diagnóstico da COVID-19. Veja mais detalhes sobre os testes rápido para COVID-19 ou faça o teste online de sintomas para saber o risco de estar com COVID-19.

Já o exame de secreções (RT-PCR), que é o único capaz de confirmar a infecção por COVID-19, deve ser feito por quem apresentar sintomas sugestivos da infecção, para confirmar o diagnóstico, ou nos casos em que o teste rápido apresentou um resultado positivo.

3. Que testes existem para a COVID-19?

Existem três tipos principais de testes para detectar a COVID-19:

  • Exame de secreções (RT-PCR): precisa ser feito num laboratório ou instituição de saúde e é o único método considerado pela OMS como referência no diagnóstico da COVID-19. É feito com a coleta de secreções através de swab, que é semelhante a um cotonete grande;
  • Exame de sangue (sorologia): analisa a presença de anticorpos para o coronavírus no sangue e, por isso, serve para avaliar se a pessoa já teve contato com o vírus ou se apresenta anticorpos para a infecção;
  • Testes rápidos: podem ser feitos na farmácia, apresentam resultados em 15 minutos e avaliam a presença de anticorpos para o novo coronavírus ou de antígenos. Dependendo do tipo de teste rápido, é possível saber se existe risco de a pessoa estar infectada ou se já esteve em contato com o vírus;
  • Autoteste: é um tipo de teste rápido em que a própria pessoa pode realizar e que tem como objetivo identificar a presença do antígeno do SARS-CoV-2, dando o resultando em cerca de 15 minutos e servindo como uma triagem. É importante que o resultado positivo do autoteste seja confirmado através do exame de RT-PCR e que o resultado negativo seja reavaliado, principalmente na presença de sinais e sintomas sugestivos de COVID-19.

Existe ainda o exame retal, no qual é utilizado um swab que deve ser passado no ânus. No entanto é tipo de teste pouco prático e pouco conveniente, não sendo indicado em todas as situações. O exame retal para COVID-19 tem sido indicado para acompanhamento de algumas pessoas internadas que possuem swab nasal positivo, isso porque alguns estudos sugerem que o swab retal positivo está associado com casos mais graves de COVID-19.

4. Como funciona o teste rápido?

Os testes rápidos para COVID-19 são uma forma de obter informações mais rápidas sobre a possibilidade de se ter uma infecção recente ou antiga pelo vírus, isso porque o resultado é liberado em cerca de 15 minutos.

Este tipo de teste tem como objetivo identificar a presença de anticorpos que foram produzidos contra o vírus ou antígenos, que são proteínas do próprio vírus.

Muitas vezes, o teste rápido de antígeno é utilizado como primeira fase do diagnóstico, sendo complementado pelo exame RT-PCR quando o resultado é positivo. Já o teste rápido de anticorpos serve para saber se a pessoa já esteve em contato com o vírus ou se desenvolveu imunidade após a vacinação, por exemplo.

Entenda melhor para que serve o teste rápido, quando fazer e resultados.

5. Qual teste que pode ser feito na farmácia?

Os testes de farmácia são do tipo rápido, ou seja, permitem a identificação de antígenos ou anticorpos produzidos contra a COVID-19, sendo úteis para entender se já se esteve em contato com o vírus. No entanto para confirmar se existe infecção ativa no momento é necessário que seja feito o exame RT-PCR de secreções.

6. Como fazer o autoteste?

O autoteste é um tipo de teste rápido simples de fazer, sendo apenas importante que a pessoa siga as instruções contidas na embalagem do teste e que faça a desinfecção das mãos antes de iniciar a sua realização. De forma geral, o passo-a-passo do autoteste é o seguinte:

  1. Abrir o kit do autoteste da embalagem e abrir o swab pela extremidade, evitando tocar na parte que contém o algodão;
  2. Inclinar a cabeça para trás e inserir o swab cerca de 2 cm;
  3. Rodar o swab dentro da narina por cerca de 10 a 15 segundos e depois inserir na outra narina, repetindo o movimento;
  4. Colocar o swab no recipiente que contém o líquido e rodar cerca de 10 vezes;
  5. Retirar o swab, colocar com cuidado dentro da embalagem, descartar em um lixo adequado e fechar o recipiente contendo o líquido;
  6. Abrir a embalagem da cassete de teste e colocar 4 gotas do líquido que esteve em contato com o swab;
  7. Esperar cerca de 15 minutos para verificar o resultado, que é dado através do aparecimento de 2 linhas no teste.

Caso o resultado dê positivo, é importante que seja realizado o teste de RT-PCR para confirmar a infecção, já que o autoteste não é considerado diagnóstico, servindo apenas como triagem. Além disso, o fato do resultado ser negativo não descarta a possibilidade de infecção pelo SARS-CoV-2, uma vez que o teste pode ter sido mal executado ou ter sido feito em um momento em que a carga viral estava muito baixa. Assim, na presença de sinais e sintomas sugestivos de COVID-19 e resultado do autoteste negativo, por exemplo, é importante que sejam realizados outros testes para avaliar a infecção.

Veja como entender o resultado do autoteste.

7. Quanto tempo demora para sair o resultado?

Os testes rápidos normalmente demoram entre 10 e 30 minutos para serem liberados, já os resultados dos exames de sangue ou de RT-PCR podem demorar entre 12 horas a 7 dias para serem liberados, dependendo do laboratório e da técnica utilizada.

O ideal é sempre confirmar o tempo de espera junto com o laboratório, assim como a necessidade de repetição do exame.

8. O que significa o resultado?

O significado dos resultados varia de acordo com o tipo de teste:

  • Exame de secreções (RT-PCR): um resultado positivo significa que se tem COVID-19;
  • Exame de sangue (sorologia): um resultado positivo pode indicar que a pessoa possui a doença ou que já teve a COVID-19, mas a infecção pode já não estar ativa;
  • Teste rápido: um resultado positivo pode indicar que se está infectado ou que já se esteve em contato com o vírus, dependendo do tipo de teste rápido. Veja mais sobre os tipos e resultados do teste rápido.

É importante ressaltar um resultado negativo não significa que não se tem a infecção, especialmente se o teste foi feito em pessoas sem sintomas ou antes do período de 8 dias após o aparecimento dos sintomas. Existem casos em que pode demorar até 10 dias para que o vírus possa ser identificado nos testes. Assim, o ideal é que, em caso de suspeita, se tome todas as medidas necessárias para evitar a transmissão do vírus, além de manter o distanciamento social por até 14 dias.

Veja todos os cuidados importantes para evitar a transmissão da COVID-19.

9. Há chance do resultado ser "falso"?

Os testes desenvolvidos para a COVID-19 são bastante sensíveis e específicos, havendo, por isso, baixa probabilidade de erro no resultado. No entanto, o risco de obter um resultado "falso" é maior quando os testes são realizados antes do período indicado, pois é provável que o vírus não tenha se replicado o suficiente, nem estimulado resposta do sistema imunológico, para ser detectado.

Além disso, quando a amostra não é coletada, transportada ou armazenada corretamente, também é possível obter um resultado "falso negativo". Nesses casos é necessário que o exame seja repetido, principalmente se a pessoa apresentar sinais e sintomas sugestivos da infecção, se tiver tido contato com casos suspeitos ou confirmados da doença, ou se pertencer a algum grupo de risco para COVID-19.

Assim, no caso da pessoa apresentar sintomas de COVID-19 e o teste ser negativo, pode ser indicado pelo médico a realização de outros exames laboratoriais que podem sugerir a infecção, como a dosagem da proteína-C-reativa, D-dímero, fibrinogênio, lactato desidrogenase (LDH), bilirrubina e albumina, além de hemograma e, em alguns casos, raio-X de tórax.

É importante que a pessoa que teve um teste negativo para COVID-19 mas que apresenta sintomas, permaneça em isolamento, isso porque pode ser portadora de outros vírus de fácil transmissão, como é o caso da Influenza, podendo transmiti-lo para outras pessoas.

O que fazer em caso de COVID-19

Se tem um teste de COVID-19 positivo, esteve em contato com alguém infectado ou tem sintomas sugestivos da infecção, por favor preencha os seus dados para saber o que fazer:

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Marcela Lemos - Biomédica, em junho de 2022.

Bibliografia

  • ANVISA. Testes para Covid-19: perguntas e respostas. 2020. Disponível em: <https://www.gov.br/anvisa/pt-br/centraisdeconteudo/publicacoes/produtos-para-a-saude/manuais/perguntas-e-respostas-testes-para-covid-08-05-2020.pdf>. Acesso em 19 mai 2021
  • SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS. Você sabe interpretar os testes da COVID-19?. Disponível em: <https://coronavirus.saude.mg.gov.br/blog/107-testes-laboratoriais>. Acesso em 19 mai 2021
Mostrar bibliografia completa
  • SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS. Afinal, como funciona o teste rápido para COVID-19?. Disponível em: <https://coronavirus.saude.mg.gov.br/blog/68-teste-rapido-covid-19>. Acesso em 19 mai 2021
  • WU, Yongjian et al. Prolonged presence of SARS-CoV-2 viral RNA in faecal samples. The Lancet. Vol 05. 434-435, 2020
  • GAN, Xing et al. Clinical value of anal swab positive in COVID-19 patients. Chin. J. Microbiol. Immunol. Vol 40. 7 ed; 489-494, 2020
  • CDC. Priorities for testing patients with suspected COVID-19 infection. 2020. Disponível em: <https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/downloads/priority-testing-patients.pdf>. Acesso em 25 mar 2020
  • CDC. Interim Guidelines for Collecting, Handling, and Testing Clinical Specimens from Persons for Coronavirus Disease 2019 (COVID-19). Disponível em: <https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/lab/guidelines-clinical-specimens.html>. Acesso em 25 mar 2020
  • CORMAN, Victor M. et al. Detection of 2019 novel coronavirus (2019-nCoV) by real-time RT-PCR. Euro Surveill. Vol 25. 3 ed; 2020
  • WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Laboratory testing for coronavirus disease 2019 (COVID-19) in suspected human cases. 2020. Disponível em: <https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/331329/WHO-COVID-19-laboratory-2020.4-eng.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em 25 mar 2020
Revisão clínica:
Marcela Lemos
Biomédica
Mestre em Microbiologia Aplicada, com habilitação em Análises Clínicas e formada pela UFPE em 2017 com registro profissional no CRBM/ PE 08598.