Efeitos do Ópio no corpo e Sintomas de Abstinência

agosto 2018

O ópio é uma substância extraída da papoula do oriente (Papaver somniferum) e por isso é considerada uma droga natural. Ela inicialmente foi usada para combater a dor extrema pois atua no sistema nervoso, eliminando a dor e o desconforto, mas também tem ação hipnótica, embora também possa afetar negativamente o corpo causando tolerância, sendo necessárias doses cada vez maiores para encontrar os mesmos 'benefícios'. 

Plantação de papoula
Plantação de papoula

Como o ópio é consumido 

De forma ilegal, o ópio natural é encontrado em forma de barra, em pó, em cápsulas ou comprimidos. Em pó, ele é inalado, assim como a cocaína, mas o ópio também pode ser tomado como chá, e em forma de comprimido sublingual ou em forma de supositório. O ópio não pode ser fumado pois o calor degrada suas moléculas, alterando seus efeitos. 

Efeitos da droga ópio 

O ópio natural quando consumido tem os seguintes efeitos no corpo:

  • Ação analgésica e combate fortes dores, trazendo sensação de alívio e bem-estar;
  • Induz o sono, por ter ação hipnótica;
  • Combate a tosse, sendo por isso muito usado em xaropes e remédios contra tosse;
  • Induz um estado de calmaria onde realidade e sonho se misturam;
  • Afeta a inteligência;
  • Diminui o sistema natural de defesa do corpo, havendo maior risco de doenças. 

Estes efeitos duram de 3 a 4 horas, dependendo da quantidade que foi consumida. Mas além disso, o ópio também diminui a pressão arterial e o centro da respiração, mas para encontrar os mesmos efeitos são necessárias doses cada vez maiores, o que causa vício e dependência. 

Extração do látex que dá origem ao pó de ópio
Extração do látex que dá origem ao pó de ópio

Sintomas de abstinência

Ao passar cerca de 12 horas à 10 dias sem consumir ópio o corpo apresenta sintomas de abstinência, havendo necessidade de uma nova toma, como: 

  • Arrepios;
  • Sensibilidade à luz; 
  • Tremores;
  • Aumento da pressão;
  • Diarreia;
  • Crises de choro;
  • Náusea e vômito;
  • Suor frio;
  • Ansiedade;
  • Cólicas abdominais e musculares;
  • Perda de apetite;
  • Insônia e
  • Fortes dores. 

Não é possível prever quando a pessoa se torna dependente e por isso estes sintomas podem surgir mesmo após poucos usos desta droga.

Para se livrar do vício em ópio é preciso internamento para o tratamento contra dependência química porque existe risco de morte, se a pessoa decide parar de consumir abruptamente. Nos centros de tratamento são utilizados medicamentos que ajudam o corpo a se livrar pouco a pouco do ópio, o que torna a reabilitação possível. No entanto, o consumo do ópio altera molecularmente o organismo fazendo que com que a pessoa que já consumiu ópio, possa ter uma recaída mesmo após muitos anos do último consumo.

Origem do ópio 

O maior produtor de ópio natural é o Afeganistão, que possui grandes plantações de papoula, mas outros países envolvidos são Turquia, Irã, Índia, China, Líbano, Grécia, Iugoslávia, Bulgária e sudoeste da Ásia. 

O ópio é encontrado em forma de pó que é obtido do látex que é retirado da cápsula da papoula, ainda verde. Neste pó encontra-se a morfina e a codeína, que atuam no sistema nervoso central fazendo o cérebro funcionar mais devagar, o que causa sono e descanso. 

Outras substâncias derivadas do ópio, mas produzidas em laboratório, são a heroína, meperidina, propoxifeno e metadona, que são potentes medicamentos contra dor aguda e pós-operatória. Alguns nomes de remédios opiáceos são Meperidina, Dolantina, Demerol, Algafan e o Tylex. O uso destes medicamentos também faz com a pessoa fique habituada a seus efeitos no cérebro, ficando viciada, havendo risco de overdose, por isso estes remédios só são indicados em casos extremos.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em agosto de 2018.
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.