Dieta para colite ulcerativa: o que comer e o que evitar

A dieta durante uma crise de colite ulcerativa é de grande importância, especialmente para controlar os sintomas como diminuição do apetite, náuseas, vômitos, cólicas, diarreia, prisão de ventre, alterações do paladar e cansaço. 

Uma vez que não existe uma dieta específica para os casos de colite ulcerativa que possa ser recomendada para todas as pessoas com a doença, o ideal é realizar uma consulta com nutricionista para que seja indicada uma dieta personalizada, que varia de acordo com a gravidade, grau da doença e os sintomas apresentados. 

No entanto, existem algumas recomendações gerais que podem ser seguidas com o objetivo de evitar as deficiências de vitaminas e minerais, além de evitar a perda de peso, garantindo um estado nutricional adequado.

Dieta para colite ulcerativa: o que comer e o que evitar

Como saber o que faz mal

A dieta para controlar as crises de colite varia para cada pessoa, sendo necessário observar quais alimentos pioram a digestão, causam dores, diarreia, prisão de ventre ou aumentam os gases intestinais.

A melhor maneira de identificar quais alimentos consumir ou evitar é fazendo um diário alimentar, onde deve-se anotar todos os alimentos consumidos e os sintomas após as refeições. Esse diário pode ser escrito em uma agenda específica ou no celular, e depois de algumas semanas já será possível identificar a melhor dieta.

Além disso, é importante lembrar que os alimentos que provocam as crises de colite podem variar com o tempo. Por isso, é importante fazer o diário alimentar em novas crises para reajustar a dieta. Saiba quais são os tipos de tratamento para colite.

O que não comer

Numa alimentação para colite ulcerativa, deve-se evitar alimentos que aumentam a inflamação e irritam o intestino, como:

  • Alimentos ricos em gordura, como margarina, óleo de soja, de canola ou de milho;
  • Cafeína, presente no café, chá verde, chá preto, chá mate, refrigerante de cola e chocolate;
  • Pimenta e molhos apimentados;
  • Cereais ricos em fibras, como flocos de aveia, centeio, trigo e produtos feitos com este, como macarrão, pão e bolo;
  • Sementes, como sementes de chia, abóbora e linhaça;
  • Alguns vegetais, como couve, rúcula, chicória, repolho acelga, aspargo, cebola, alho, alho poró, brócolis, quiabo, e couve-flor;
  • Algumas frutas, como frutas secas, manga, melancia, pêssego, maçã, pera, cereja e abacate;
  • Doces em geral, como açúcar, mel, sorvete, geleias, sucos, mousses;
  • Carnes processadas, como salsicha, linguiça, presunto, mortadela, peito de peru, salame e bacon;
  • Leguminosas, como lentilha, grão de bico e feijão;
  • Alimentos industrializados, como salgadinhos em pacote, biscoitos doces e salgados, comidas prontas congelada, como lasanha e pizza e fast food;
  • Temperos prontos industrializados, como caldos de carne e de galinha, molho shoyu, ketchup ou maionese;
  • Bebidas alcoólicas.

Além disso, pessoas que têm colite ulcerativa podem ter também intolerância à lactose, intolerância ao glúten ou alguma alergia alimentar, sendo importante também evitar os alimentos que contêm estes compostos. 

O que pode comer

Para ajudar a desinflamar o intestino, equilibrar a flora intestinal e prevenir novas crises, é recomendado comer várias vezes ao longo do dia, em pequenas porções e mastigando muito bem os alimentos. Além disso, é sugerido cozinhar os alimentos de forma simples, como ensopados, no vapor, assados ou grelhados, evitando frituras ou molhos.

Não existe uma dieta única ou alimentos específicos para prevenir ou curar a colite, no entanto, algumas recomendações que se pode seguir incluem:

1. Carnes magras e peixe 

Comer proteínas é muito importante para quem sofre com esta doença, pois a pessoa pode perder massa muscular, devido à má absorção de nutrientes. Assim, durante uma crise de colite, é importante aumentar as quantidade de proteína ingeridas, sendo recomendado ingerir de 1,2 a 1,5 g de proteína por quilograma de peso corporal.

As proteínas devem ser baixas em gordura e, por isso, o ideal é dar preferência a peixes, tofu, ovos, frango ou peru sem pele. No caso das carnes vermelhas, podem ser consumidas no máximo 2 vezes por semana, priorizando os cortes mais magros, como músculo, coxão mole ou lagarto.

2. Leite e derivados

O leite e derivados, como o iogurte ou o queijo, podem ser consumidos por quem tem colite ulcerativa, no entanto, como algumas pessoas podem sofrer também com intolerância à lactose é importante ficar atento a sintomas que possam indicar essa intolerância, como aumento da dor abdominal, inchaço da barriga ou diarreia após o consumo, por exemplo. Caso isso aconteça, deve-se experimentar retirar esses alimentos da alimentação e tentar identificar se existe melhora dos sintomas. Outra opção é optar por alimentos sem lactose.

Caso seja necessário retirar o leite da alimentação, é importante consumir o cálcio por outras fontes, como a amêndoa ou as sementes de linhaça e de gergelim, por exemplo. Veja outros alimentos ricos em cálcio.

Já quem não tem problema ao ingerir leite e derivados, é importante consumir em pequenas porções, dando preferência para aqueles produtos com menor teor de gordura. O iogurte ou o kefir de leite são excelentes opções, pois além de terem boas quantidades de cálcio, são ricos em probióticos que ajudam a equilibrar a flora intestinal.

3. Frutas e vegetais

Embora sejam saudáveis, as frutas e os vegetais devem ser consumidos sem casca, sem bagaço, sem sementes e talos, especialmente durante as crises de colite. Além disso, os vegetais também devem ser cozidos, para facilitar a digestão e evitar o excesso de estímulos intestinais. Isto porque, por conter grandes quantidades de fibras, as frutas e os vegetais podem estimular muito os movimentos do intestino, o que pode piorar a dor e outros sintomas.

Alguns vegetais que podem ser consumidos são: cenoura, aipo, berinjela, alface, cebolinha, pepino, abóbora, abobrinha e tomate. Já algumas frutas que podem ser ingeridas durante as crises são: banana, amora, uva, abacaxi, melão, kiwi, laranja, tangerina e maracujá.

4. Condimentos naturais

Dieta para colite ulcerativa: o que comer e o que evitar

Para dar sabor às preparações, pode-se usar as ervas aromáticas naturais frescas ou desidratadas, como salsa, orégano, alecrim, coentro ou manjericão, por exemplo. Veja outros tipos e como usar as ervas naturais nas refeições.

5. Gorduras saudáveis

O consumo de gorduras boas em pouca quantidade é fundamental para quem sofre com colite ulcerativa, pois os ácidos graxos essenciais e de ômega 3 na dieta atuam como anti-inflamatórios naturais do organismo, ajudando a prevenir as crises de colite ulcerativa. Estas gorduras são principalmente o azeite extra virgem,  o óleo de linhaça, o óleo de coco, peixes como o salmão, a truta e as sardinhas. Confira outros alimentos anti-inflamatórios.

6. Água

A colite ulcerativa pode causar diarreia, levando a desidratação e, em alguns casos, pode causar prisão de ventre. Por isso, é muito importante aumentar a ingestão de água, mantendo o organismo hidratado. No entanto, também podem ser usadas outras opções como chás, por exemplo. Veja outras bebidas naturais para ajudar no tratamento da colite.

7. Carboidratos

Os carboidratos são uma importante fonte de energia e, por isso, é recomendado consumir alimentos ricos neste nutriente, como arroz branco, tapioca, macarrão de arroz, quinoa, batatas ou milho, devendo-se evitar o consumo das suas formas integrais, já que contêm muita concentração de fibras que podem piorar os sintomas de colite.

Como deve ser o consumo de fibras

As fibras podem causar problemas em algumas pessoas com colite ulcerativa ativa, aumentando a produção de gases, gerando dor abdominal ou diarreia. As fibras estão presentes nos vegetais, frutas, frutos secos e grãos, e existem dois tipos de fibras: as solúveis e as insolúveis. No caso da colite ulcerativa deve-se preferir as fibras solúveis, já que podem ajudar a melhorar os sintomas gastrointestinais.

A fibra solúvel é aquela que se dissolve na água e forma uma espécie de gel no intestino, ajudando a diminuir o trânsito intestinal e, consequentemente, evitar a diarreia. Alguns alimentos que contêm este tipo de fibras incluem a pera sem casca, a cenoura, a maçã sem casca, a goiaba, a banana verde e o nabo. Veja uma lista de alimentos com fibra solúvel.

A maior parte dos alimentos contém tanto fibras solúveis como insolúveis, por isso, cozinhá-los, tirar a casca e as sementes, ajuda a diminuir a quantidade de fibras insolúveis. É importante lembrar que quando existe a crise de colite ulcerativa ativa, todos os tipos de fibra devem ser ingeridos em pequenas quantidades, para evitar a piora dos sintomas.

Suplementos para colite ulcerativa

Durante o tratamento para colite, alguns suplementos, como vitamina D, cálcio, ácido fólico e ferro, podem ser indicados para prevenir as deficiências nutricionais ou a perda de peso.

A ingestão de probióticos também pode ser indicada, pois ajudam a regular a flora intestinal, melhorando a digestão, prevenindo diarreia e prisão de ventre, além de reduzir a formação de gases. Entenda mais sobre os benefícios dos probióticos e onde encontrar.

Outro suplemento que pode ser prescrito é o ômega-3 em cápsulas, que ajuda a reduzir a inflamação no organismo e melhorar o sistema imunológico. No entanto, é importante lembrar que todo suplemento alimentar deve ser prescrito pelo médico ou pelo nutricionista.

Esta informação foi útil?
Atualizado por Equipe Tua Saúde - em Agosto de 2021. Revisão clínica por Tatiana Zanin, Nutricionista - em Agosto de 2021.

Bibliografia

  • FORBES Alastair, et al. ESPEN guideline: Clinical nutrition in inflammatory bowel disease. Clinical Nutrition. 36. 321-347, 2017
  • CROHNS´S & COLITIS FOUNDATION. Diet, Nutrition, and Inflammatory Bowel Disease. Disponível em: <https://www.crohnscolitisfoundation.org/sites/default/files/legacy/assets/pdfs/diet-nutrition-2013.pdf>. Acesso em 15 Jul 2019
  • OWCZAREK Danuta et al. Diet and nutritional factors in inflammatory bowel diseases. World Jornal of Gastroenterology. 22. 3; 895-905, 2016
  • NHS. Living with ulcerative colitis. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/ulcerative-colitis/living-with/>. Acesso em 10 Ago 2021
  • NUTRITOTAL. O que significa Fodmap. 2015. Disponível em: <https://nutritotal.com.br/pro/o-que-significa-fodmap/>. Acesso em 10 Ago 2021
  • MAYO CLINIC. Ulcerative colitis flare-ups: 5 tips to manage them Print. Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/ulcerative-colitis/in-depth/ulcerative-colitis-flare-up/art-20120410>. Acesso em 10 Ago 2021
  • WORLD GASTROENTEROLOGY ORGANISATION GLOBAL GUIDELINES. Dieta e intestino. 2018. Disponível em: <https://www.spg.pt/wp-content/uploads/2019/04/diet-and-the-gut-portuguese.pdf>. Acesso em 10 Ago 2021
  • CROHN´S AND COLITIS FOUNDATION. Vitamin and Mineral Supplementation. Disponível em: <https://www.crohnscolitisfoundation.org/diet-and-nutrition/supplementation>. Acesso em 10 Ago 2021
Mais sobre este assunto: