Rabdomiólise: o que é, sintomas, causas e tratamento

agosto 2022

A rabdomiólise é a destruição das fibras musculares, o que leva à liberação dos componentes presentes no interior das células musculares para a corrente sanguínea, causando sintomas como falta de força, fadiga muscular, diminuição da urina, ou urina escura.

A rabdomiólise pode ser causada pela prática excessiva de exercícios físicos extenuantes e de duração prolongada, ou como consequência de um trauma direto ou indireto em um músculo do corpo, como no caso de acidentes de carro, intoxicação por bebidas alcoólicas ou remédios, ou por imobilização por tempo prolongado devido a coma, por exemplo.

O tratamento da rabdomiólise é feito pelo clínico geral e varia de acordo com sua causa, sendo geralmente feito com internamento hospitalar e aplicação de soro na veia, para manter a hidratação e evitar complicações, como insuficiência renal.

Sintomas de rabdomiólise

Os principais sintomas de rabdomiólise são:

  • Dor muscular;
  • Falta de força ou fraqueza;
  • Dificuldade para movimentar as pernas ou braços;
  • Rigidez muscular;
  • Dor nas articulações;
  • Urina em pouca quantidade e muito escura, semelhante à cor de coca-cola;
  • Cãibras musculares;
  • Dor abdominal;
  • Náuseas ou vômitos;
  • Palpitação cardíaca;
  • Sensação de mal estar geral.

Além disso, podem ainda surgir outros sintomas como febre, confusão mental, agitação ou delírio.

No caso do surgimento de sintomas de rabdomiólise, deve-se ir ao hospital ou ao pronto-socorro mais próximo imediatamente para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento o mais rápido possível de forma a evitar complicações.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da rabdomiólise é feito pelo clínico geral no hospital através da avaliação dos sintomas, do histórico de saúde e da realização de exames de sangue e de urina para verificar a quantidade de eletrólitos circulantes no sangue, como cálcio, potássio e sódio, bem como a concentração de mioglobina, creatinofosfoquinase (CPK) e TGP.

A mioglobina é um dos principais exames solicitados pelo médico, pois quanto maior for a destruição das fibras musculares, maior quantidade de mioglobina é liberada no sangue e na urina, deixando-a bastante escura, além de poder causar em obstrução dos túbulos renais, podendo resultar em lesão tubular e, consequentemente, insuficiência renal aguda. Entenda o que é a insuficiência renal aguda

Além disso, o médico pode solicitar exames como eletrocardiograma, raio X de tórax ou testes de função hepática, por exemplo.

Possíveis causas

A rabdomiólise é causada pela destruição das fibras musculares, devido a lesão no músculo ou necrose das células musculares, resultando em liberação de  cálcio, sódio e potássio, mioglobina, creatinofosfoquinase e a enzima transaminase pirúvica (TGP), presentes no músculo para a corrente sanguínea, e levando ao surgimento dos sintomas.

Os principais fatores que podem levar ao desenvolvimento de rabdomiólise são: 

  • Prática de atividade física extenuante e prolongada;
  • Acidentes graves, como quedas de grande altura ou acidente de trânsito;
  • Uso prolongado de alguns medicamentos, especialmente antipsicóticos, corticóides, diuréticos ou estatinas;
  • Utilização de drogas de abuso, principalmente cocaína, heroína ou anfetaminas;
  • Intoxicação por álcool, remédios opióides ou cogumelos;
  • Imobilização prolongada por coma ou devido a fratura de quadril ou cirurgias que necessitam de imobilização por tempo prolongado;
  • Infecções, que podem levar ao acúmulo de toxinas no corpo, sendo essa a principal causa de rabdomiólise nas crianças;
  • Doenças musculares, como miopatia, piomiosite e polimiosite;
  • Picada de inseto, cobra ou marimbondo;
  • Doença de Haff
  • Alteração na temperatura corporal, como no caso de ​​síndrome neuroléptica maligna, hipertermia maligna, hipotermia ou congelamento.  

Além disso, a rabdomiólise também pode acontecer devido a choque elétrico, doenças metabólicas ou acidente vascular cerebral (AVC).

Como é feito o tratamento

Quando a rabdomiólise não apresenta complicações, normalmente se resolve dentre de alguns dias a semanas. No entanto, em alguns casos pode ser necessário que o tratamento seja realizado com a pessoa internada no hospital para que seja administrado soro diretamente na veia para evitar complicações graves da doença, como desidratação ou insuficiência renal, provocadas pelo excesso de resíduos musculares no sangue.

Além disso, é importante identificar a causa da rabdomiólise para iniciar o tratamento adequado, caso seja necessário. Assim, se estiver sendo causada por o uso de algum medicamento, por exemplo, deve-se interromper sua toma e trocar por outro medicamento de acordo com a orientação médica.

A duração do tratamento varia de acordo com a causa e a evolução do paciente, sendo que durante o internamento é necessário ficar algaliado para avaliar a quantidade de urina por dia e fazer outros exames renais para garantir que a função dos rins não está sendo afetada. O paciente normalmente tem alta quando os exames estão normais e não há risco de desenvolver insuficiência renal.

Nos casos mais graves, em que os rins começam a produzir pouca urina, o médico pode prescrever diálise para ajudar o funcionamento renal, eliminando o excesso de substâncias do sangue que podem estar dificultando o tratamento.

Possíveis complicações

A sequela mais grave e comum da rabdomiólise é o surgimento de lesões nos rins, que podem acabar provocando uma insuficiência renal. No entanto, a presença de resíduos no sangue também leva a um aumentos dos níveis de potássio e fósforo no organismo, o que pode acabar afetando o funcionamento do coração.

Em situações mais raras, pode ainda surgir uma outra síndrome conhecida como síndrome compartimental, na qual a circulação sanguínea fica comprometida em uma região do corpo, como pernas, braços ou alguns músculos do abdômen, causando morte dos tecidos. Entenda o que é a síndrome compartimental.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em agosto de 2022.

Bibliografia

  • STANLEY, M.; ET AL. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Rhabdomyolysis. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK448168/>. Acesso em 22 ago 2022
  • ROSA, Nuno G. et al. Rabdomiolise. Acta Méd Port. Vol 18. 271-282, 2005
Mostrar bibliografia completa
  • MONIZ, Marta S. et al. Rabdomiólise como manifestação de uma doença metabólica: relato de caso. Rev Bras Ter Intensiva. Vol 29. 1 ed; 111-114, 2017
  • REVISTA QUALIDADE HC. Rabdomiólise. Disponível em: <http://www.hcrp.usp.br/revistaqualidade/uploads/Artigos/205/205.pdf>. Acesso em 26 dez 2019
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE ARTROSCOPIA E TRAUMATOLOGIA DO ESPORTE. Rabdomiólise. Disponível em: <https://sbrate.com.br/esporte-com-saude/rabdomihttps://sbrate.com.br/esporte-com-saude/rabdomiolise/olise/>. Acesso em 02 ago 2019
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.