Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como identificar o câncer de mandíbula

O câncer de mandíbula, também conhecido como carcinoma ameloblástico de mandíbula, é um tipo raro de tumor que se desenvolve no osso do maxilar inferior e que provoca sintomas iniciais como dor progressiva na boca e inchaço na região da mandíbula e do pescoço.

Esse tipo de câncer é normalmente diagnosticado nas fases iniciais devido aos sintomas, que são aparentes, e ao resultado de exames radiológicos, no entanto, quando diagnosticado em fases mais avançadas, há maiores chances de metástase para outros órgãos, dificultando o tratamento.

Como identificar o câncer de mandíbula

Principais sintomas do câncer de mandíbula

O sintomas do câncer de mandíbula são bem característicos e podem até mesmo serem notados visualmente, sendo os principais:

  • Inchaço no rosto ou apenas no queixo;
  • Sangramento na boca;
  • Dificuldade para abrir e fechar a boca;
  • Alterações da voz;
  • Dificuldade para mastigar e engolir, pois essas ações causam dor;
  • Dormência ou formigamento na mandíbula;
  • Dor de cabeça frequente.

Apesar dos sintomas, em vários casos o câncer na mandíbula pode surgir sem que haja qualquer sintoma, podendo desenvolver-se de forma silenciosa.

Assim, caso surjam alterações na região do maxilar e do pescoço que demorem mais de 1 semana para desaparecer é recomendado consultar um clínico geral para fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado.

Como é feito o tratamento

O tratamento para câncer de mandíbula deve ser feito em hospitais especializados em oncologia, como o INCA, e, normalmente varia de acordo com o grau de desenvolvimento do tumor e da idade do paciente.

No entanto, na maioria dos casos, o tratamento é iniciado com cirurgia para remover o máximo o tecido afetado, podendo ser necessário colocar próteses de metal no maxilar para substituir a falta de osso. Após a cirurgia, são feitas sessões de radioterapia para eliminar as células malignas que ficaram e, por isso, o número de sessões varia de acordo com o grau de desenvolvimento do câncer.

Nos casos em que o câncer se encontra muito desenvolvido e o tratamento não foi iniciado a tempo, podem surgir metástases em outros locais do corpo, como pulmões, fígado ou cérebro, tornando o tratamento mais complicado e diminuindo as chances de cura.

Nos primeiros dias após a cirurgia pode ser difícil abrir a boca, por isso, veja o que pode comer em: O que comer quando não posso mastigar.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar