Cirurgia ortognática: o que é, quando é indicada, como é feita e recuperação

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
julho 2022

A cirurgia ortognática é uma intervenção cirúrgica indicada para correção e reposicionamento dos ossos da mandíbula e/ou maxilar, sendo normalmente indicada nos casos de problemas congênitos, ou devido a condições de saúde como apnéia obstrutiva do sono, fraturas faciais ou disfunção temporomandibular, por exemplo. Além disso, pode ser realizada com fins estéticos para deixar o rosto mais harmonioso.

Esta cirurgia pode ser indicada pelo médico ou dentista, quando existe dificuldade para mastigar ou falar, e realizada pelo cirurgião buco-maxilo facial com anestesia geral e o tempo de recuperação geralmente é de 6 a 12 meses, mas pode variar de pessoa para pessoa e também de acordo com o tipo de procedimento realizado.

A cirurgia ortognática é disponibilizada gratuitamente pelo SUS quando tem o objetivo de solucionar problemas relacionados à saúde que estejam sendo causados pela posição da mandíbula. No caso de ser realizada para fins estéticos, a cirurgia deve ser realizada em clínicas particulares, não sendo disponibilizada pelo SUS.

Quando é indicada

A cirurgia ortognática é indicada para o tratamento de problemas congênitos na mandíbula ou outras condições de saúde que afetam a fala e a mastigação, de forma a corrigir o posicionamento da mandíbula.

As principais indicações da cirurgia ortognática são:

Nesses casos, a cirurgia ortognática permite corrigir deformidades maxilo-faciais que não podem ser corrigidas com outras formas de tratamento. 

Além disso, a cirurgia ortognática pode ser indicada como cirurgia para preparo para colocação de próteses dentárias, de forma a melhorar a reconstrução dos dentes, a tornar a reabilitação protética possível, e permitir uma dentição e estética funcionais.

Outra indicação da cirurgia ortognática é estética, para deixar o rosto mais harmonioso e simétrico.

Tipos de cirurgia ortognática

De acordo com a posição do maxilar e dos dentes, o cirurgião pode recomendar a realização de dois tipos de cirurgia:

  • Cirurgia ortognática classe 2, que é realizada nos casos em que o maxilar de cima fica muito à frente dos dentes de baixo;
  • Cirurgia ortognática classe 3, que é utilizada para corrigir casos em que os dentes de baixo ficam muito à frente dos do maxilar de cima.

No caso das alterações de crescimento do maxilar comprometerem a respiração, pode ser realizada também a rinoplastia para melhorar a passagem do ar.

Como se preparar para a cirurgia

Alguns cuidados são importantes para se preparar para a cirurgia ortognática como esclarecer com o cirurgião todas as dúvidas sobre a cirurgia e a recuperação, além de informar todos os medicamentos, vitaminas e suplementos nutricionais que toma com frequência, pois alguns podem afetar a recuperação, interferir na anestesia ou aumentar o risco de formação de coágulos ou de sangramento. Deve informar também se tem alguma alergia ou outro problema de saúde.

Além disso, é recomendado não fumar e nem consumir bebidas alcoólicas antes da cirurgia, além de ter uma alimentação mais líquida no dia anterior à cirurgia, dando preferência à água, sopa, chás e gelatina natural, pois não necessitam de mastigação.

Antes de realizar a cirurgia, o cirurgião irá solicitar exames para o planejamento da cirurgia, como raio X panorâmico, tomografia computadorizada da face e fotografias dos dentes e da face, além de realização de molde dos dentes. Outros exames antes da cirurgia que podem ser solicitados são risco cirúrgico e exames de sangue para avaliar o estado de saúde geral. 

Como é feita

A cirurgia ortognática é feita pelo cirurgião buco-maxilo facial no hospital, sendo seguidas algumas etapas para a realização do procedimento, como:

  1. Utilização de aparelhos ortodônticos, conforme indicado pelo ortodontista, por pelo menos 1 ano antes da cirurgia, para que a posição dos dentes seja corrigida em função da sua estrutura óssea. Em alguns casos, também pode ser necessária a retirada de alguns dentes;
  2. Simulação computadorizada da cirurgia, após o período de uso do aparelho ortodôntico, com o objetivo de visualizar o resultado final do procedimento, incluindo os resultados estéticos, para que seja realizada a cirurgia;
  3. Realização da cirurgia, sendo que antes de iniciá-la, é administrado soro fisiológico na veia, pelo enfermeiro, para hidratar e administrar medicamentos e também para que o anestesista faça a anestesia geral;
  4. Reposicionamento da mandíbula, por meio de procedimento cirúrgico que é feito por dentro da boca, não deixando cicatriz no rosto. No entanto, em alguns casos, pode ser necessário um pequeno corte no rosto na região da mandíbula;
  5. Fixação da mandíbula, por meio de pequenos parafusos ou placas por dentro da gengiva.

Após a cirurgia, deve-se continuar a usar o aparelho ortodôntico, por pelo menos 3 a 9 meses, podendo também ser indicado pelo médico ou dentista, a realização de implantes dentários ou outros tratamentos estéticos.

Como é a recuperação da cirurgia

A recuperação da cirurgia ortognática pode durar entre 6 a 12 meses, mas, geralmente, a pessoa volta para casa entre 1 a 2 dias após a cirurgia com remédios analgésicos, receitados pelo médico, como o paracetamol, para aliviar a dor, e antibióticos para evitar infecção. 

Além disso, é ainda importante ter alguns cuidados como:

  • Tomar os remédios nos horários certos conforme indicado pelo médico;
  • Ficar de repouso nas primeiras 2 a 4 semanas, evitando ir trabalhar ou ir à escola;
  • Aplicar compressas frias no rosto nas primeiras 24 horas após a cirurgia,  durante 10 a 20 minutos, várias vezes por dia, para ajudar a diminuir o inchaço;
  • Fazer uma alimentação líquida ou pastosa nos primeiros 3 meses ou de acordo com a indicação do médico;
  • Evitar esforços, não fazer exercícios e não ficar exposto ao sol;
  • Evitar fumar, pois pode interferir na cicatrização e aumentar o risco de infecção;
  • Utilizar uma escova de dentes macia, e evitar escovar os dentes com muita intensidade;
  • Fazer drenagem linfática no rosto para diminuir o inchaço. Veja o passo a passo para fazer drenagem linfática no rosto em casa. 

Além disso, é recomendado fazer fisioterapia que pode ser iniciada 1 ou 2 dias após a cirurgia, ou segundo liberação do médico. Inicialmente o objetivo deve ser diminuir a dor e o inchaço local, mas após cerca de 15 dias, se a cicatrização estiver boa, pode-se concentrar nos exercícios para aumentar a movimentação da articulação temporomandibular e facilitar a abertura da boca, facilitando a mastigação.

A drenagem linfática pode ajudar a diminuir o inchaço do rosto e pode ser feita em todas as sessões..

Possíveis riscos da cirurgia

Os principais riscos da cirurgia ortognática são perda de sensibilidade no rosto, sensação de dormência nas bochechas ou lábios, sangramentos da boca ou do nariz, infecção no local em que foram realizados os cortes, ou danos nos dentes.

Além disto, como em todas as cirurgias que utilizam anestesia geral, podem surgir complicações pós-operatórias como náuseas, vômitos, queda da pressão arterial, calafrios, ou tremores, por exemplo. 

Sinais de alerta para voltar ao médico

É importante consultar o cirurgião ou procurar o pronto socorro mais próximo caso surjam sintomas, como:

  • Febre superior a 38ºC;
  • Dificuldade respiratória;
  • Dor intensa ou que não melhora com os remédios;
  • Presença de secreção ou pus no local da cicatriz;
  • Vermelhidão, inchaço ou sensibilidade na cicatriz;
  • Vômitos ou diarréia persistentes;
  • Sangramento que não melhora.

Esses sintomas devem ser avaliados pelo médico imediatamente para avaliação e indicação do tratamento mais adequado.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em julho de 2022. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • ANDRUP, M.; et al. Indications and Frequency of Orthognathic Surgery in Sweden – A Questionnaire Survey. Int J Oral Dent Health. 1. 4; 1-5, 2015
  • KHECHOYAN, D. Orthognathic Surgery: General Considerations. Semin Plast Surg. 27. 3; 133–136, 2013
Mostrar bibliografia completa
  • NHS - NATIONAL HEALTH SERVICE: ORTHODONTICS DEPARTMENT. A guide for patients considering orthodontics and jaw surgery (Orthognathic Treatment). 2020. Disponível em: <https://www.qvh.nhs.uk/wp-content/uploads/2015/09/A-guide-for-pts-considering-orthognathic-surgery-Rvw-February-2020.pdf>. Acesso em 01 jul 2022
  • LARSEN, M. K. Indications for Orthognathic Surgery - A Review. OHDM. 16. 2; 1-13, 2017
  • ESTÊVÃO, Vânia S. S. V. Cirurgia Ortognática – Correcção das Deformidades Dentofaciais. Tese de Mestrado, 2011. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.
  • Cláudio F. et al. Influência da cirurgia ortognática na harmonia facial: Série de casos. Rev. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-Fac. Vol 15. 1 ed; 21-16, 2015
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Clínico geral
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878

Tuasaude no Youtube

  • Para que serve o aparelho ortodôntico

    07:00 | 18874 visualizações
  • Quem trata problemas na Articulação da Mandíbula?

    01:21 | 30599 visualizações
  • 3 DICAS PARA AUMENTAR A SAÚDE DOS DENTES

    02:00 | 28088 visualizações