Endorfina: o que é, para que serve e como aumentar

maio 2022

A endorfina é um hormônio produzido naturalmente pela glândula hipófise no cérebro, e quando é liberado na circulação sanguínea age estimulando a sensação de prazer, bem estar, bom humor, motivação e felicidade. Além disso, a endorfina também age como um analgésico opioide, reduzindo a dor física e o estresse, sendo por isso, conhecida como “opioide endógeno”, ou seja, “opioide do próprio corpo”.

Os baixos níveis de endorfina no corpo podem causar irritação, tristeza ou irritabilidade, e podem aumentar o risco de desenvolver problemas de saúde como depressão, ansiedade, fibromialgia ou enxaqueca crônica, por exemplo. 

No entanto, existem algumas formas de estimular a produção de endorfinas, como praticar atividades físicas, ter contato íntimo, comer chocolate ou estar entre amigos, que são atividades que levam à liberação de endorfina no sangue, aumentando a sensação de bem estar e prazer.

Para que serve a endorfina

A endorfina é muito importante para diversas funções do organismo, por isso, é importante que os seus níveis se encontrem em concentrações saudáveis. As principais funções da endorfina são:

1. Melhorar o humor

A endorfina atua no cérebro regulando a ansiedade, aumentando a felicidade e melhorando o humor e, por isso, baixos níveis desse neurotransmissor podem causar ansiedade e levar à depressão.

2. Aumentar a auto-estima

A liberação de endorfina pelo corpo aumenta a sensação de bem estar, felicidade e prazer, o que ajuda a aumentar a autoconfiança, melhorando a auto-estima.

3. Reduzir a dor

A endorfina possui ação analgésica, semelhante aos remédios opioides como a morfina, sendo liberada naturalmente pelo corpo nos momentos de dor, como ao fazer esforços físicos extremos, quebrar um osso ou após cirurgias, por exemplo. 

Apesar de ter ação semelhante aos opioides, a endorfina não causa dependência ou vício como os remédios opioides.

4. Reduzir o estresse

Além da diminuição da sensação da dor, a endorfina também ajuda a reduzir o estresse pois age regulando a liberação de hormônios relacionados ao estresse.

Além disso, a endorfina aumenta a sensação de bem estar e prazer, o que ajuda a reduzir o estresse.  

5. Melhorar a memória e a atenção

A endorfina também ajuda a melhorar a memória e a atenção, pois quando é liberada aumenta a sensação de bem estar, o que facilita a atenção aos estímulos externos, além permitir que estímulos externos sejam percebidos de forma mais clara.

6. Fortalecer o sistema imunológico

A liberação de endorfina ajuda a fortalecer o sistema imunológico, por reduzir o estresse emocional. Isto porque em situações de estresse crônico ou depressão, o sistema imunológico pode ficar enfraquecido, diminuindo sua capacidade de combater microorganismos e aumentando o risco de doenças. 

7. Aumentar o desejo por contato íntimo

A endorfina influencia na sexualidade, pois induz a síntese e liberação de outros hormônios, como a ocitocina, por exemplo, também conhecida como o hormônio do amor, o que leva a um aumento do desejo pelo contato íntimo, além de facilitar o vínculo amoroso, por causar sensação de felicidade e bem estar. Conheça mais sobre a ocitocina.

Doenças relacionadas a endorfina baixa

Os baixos níveis de endorfina no corpo têm sido relacionados ao maior risco de desenvolvimento de algumas condições, como:

  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Fibromialgia;
  • Enxaqueca crônica;
  • Problemas de sono e vigília.

Além disso, a pessoa pode ainda sentir-se constantemente cansada, triste, irritada e ficar sem paciência facilmente, o que pode indicar que o corpo precisa de mais endorfina na corrente sanguínea.

Como aumentar as endorfinas

Algumas formas de aumentar a liberação de endorfinas na corrente sanguínea são:

1. Fazer exercício físico

Uma das melhores formas de aumentar a liberação de endorfinas é fazer uma corrida, pelo menos 1 vez por semana. No entanto, para pessoas que não gostam desse tipo de exercício, pode-se optar por praticar aulas de grupo numa academia ou algo mais tranquilo como uma aula de pilates ou yoga, por exemplo.

Além disso, pode-se fazer uma atividade que dê prazer e ao mesmo tempo ajude a exercitar o corpo, como andar de bicicleta, caminhar, surfar ou praticar uma modalidade de dança de que se goste, por exemplo.

O importante é encontrar algum momento durante a semana para se dedicar a esta prática. Conheça os principais benefícios da atividade física

2. Comer chocolate

O chocolate estimula a liberação de neurotransmissores relacionados com o bem-estar, pois contém uma endorfina chamada anandamida,que faz com que a pessoa se sinta mais feliz e satisfeita.

Para usufruir dos benefícios do chocolate, basta comer um quadradinho por dia, e o ideal é que seja chocolate negro com 70% de cacau, no mínimo, porque tem menos gordura e açúcar na composição, reduzindo assim o impacto negativo na balança.

Conheça outros benefícios que o chocolate tem para a saúde e saiba como o usar para preparar receitas saudáveis

3. Dar gargalhadas

Estar com os amigos contando histórias, relembrar momentos felizes ou até mesmo assistir filmes com cenas divertidas ou espetáculos de comediantes, podem garantir momentos de grande alegria e por isso devem ser realizados com frequência.

O riso é benéfico e, por isso, pode ser usado até mesmo como forma de terapia alternativa, chamada de terapia do riso ou risoterapia, que tem como objetivo promover o bem-estar mental e emocional por meio do riso. Confira algumas dicas para melhorar o humor

4. Ter contato íntimo

O prazer do contato íntimo libera endorfinas que promovem a felicidade e, por isso, é importante manter um relacionamento amoroso em que o contato íntimo seja satisfatório e regular.

Para se usufruir ao máximo do contacto íntimo, o ideal é que a pessoa se sinta à vontade com o parceiro, e que todo o envolvimento afetivo contribua para a satisfação do casal, de forma a promover a felicidade e a fortalecer o relacionamento.

5. Ser grato

A gratidão pela vida, pelo que se tem ou conquistou, pela presença dos amigos ou da família também libera endorfinas, deixando as pessoas mais felizes, por isso, é sempre bom tirar um tempo para refletir e encontrar motivos para agradecer.

Assim, para manter o hábito de agradecer pelas coisas boas da vida, mesmo as pequenas coisas, pode-se fazer uma lista de motivos de gratidão. Para isso, pode-se tentar colocar pelo menos 1 item nessa lista todos os dias, e meditar nela, fazendo isso como um exercício.

6. Relembrar bons momentos

Quanto mais se pensa em situações tristes, mas abatida a pessoa pode ficar. Por outro lado, quanto mais frequentes forem os bons pensamentos e a lembrança de bons momentos, maiores serão as chances de a pessoa se sentir feliz.

As pessoas que têm o hábito de passar a vida reclamando, devem tentar identificar todas as vezes em que tiveram um pensamento ruim ou fizeram um comentário negativo, e focar a sua atenção na substituição desses pensamentos maus pelos bons. Além disso, também é muito importante para a felicidade ter a capacidade de ver o lado positivo de cada acontecimento ou pensamento aparentemente mau.

7. Fazer planos para o futuro

A chave para o sucesso está no equilíbrio entre o sonho e a realidade. Sonhar com o que se deseja é uma boa forma de ajudar a alcançá-lo, no entanto, deve-se manter os pés no chão para evitar decepções. Por isso, a pessoa pode sonhar mas ao mesmo tempo deve construir formas para tornar esse sonho realidade. Quando isso acontecer, haverá mais um motivo de gratidão, o que também traz felicidade.

Uma outra forma de alcançar a felicidade é investir no consumo de alimentos que contêm ou estimulam a produção de serotonina, como tomate, castanha do pará e vinho tinto, por exemplo.

Já as drogas ilícitas como a maconha, cocaína e remédios como anfetaminas podem aparentemente trazer felicidade, mas apenas de forma momentânea, prejudicando o funcionamento do cérebro e a saúde. 

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em maio de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em maio de 2020.

Bibliografia

  • MISRA, U. K.; et al. Role of β endorphin in pain relief following high rate repetitive transcranial magnetic stimulation in migraine. Brain Stimul. 10. 3; 618-623, 2017
  • KIRKHAM, M.; JOWITT, M. Optimising endorphins. Pract Midwife. 15. 10; 33-5, 2012
Mostrar bibliografia completa
  • KHAJEHEI, M.; BEHROOZPOUR, E. Endorphins, oxytocin, sexuality and romantic relationships: An understudied area. World J Obstet Gynecol. 7. 2; 17-23, 2018
  • SPROUSE-BLUM, Adam S.; et al. Understanding Endorphins and Their Importance in Pain Management. Hawaii Med J. 69. 3; 70–71, 2010
  • AMIR, S.; et al. The role of endorphins in stress: evidence and speculations. Neurosci Biobehav Rev. 4. 1; 77-86, 1980
  • CHAUDHRY, S. R.; GOSSMAN, W. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Biochemistry, Endorphin. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK470306/>. Acesso em 22 dez 2021
  • GRISEL, J. E.; et al. Influence of β-Endorphin on anxious behavior in mice: interaction with EtOH. Psychopharmacology. 200. 105–115, 2008
  • PILOZZI, A.; et al. Roles of β-Endorphin in Stress, Behavior, Neuroinflammation, and Brain Energy Metabolism. Int. J. Mol. Sci. 22. 1; 338, 2021
  • KHAJEHEI, M.; BEHROOZPOUR, E. Endorphins, oxytocin, sexuality and romantic relationships: An understudied area. World J Obstet Gynecol. 7. 2; 17-23, 2018
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • QUE ALIMENTOS ESTIMULAM A FELICIDADE? | Tati Comenta #14

    01:34 | 22196 visualizações
  • 3 Segredos para VIVER MAIS

    03:04 | 19586 visualizações