Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Tipos de Colírios e para que Servem

Os colírios servem para tratar todo o tipo de problemas nos olhos como desconforto ocular, ressecamento ou alergia à poeira, ou problemas mais graves como conjuntivite, inflamações e infecções oculares ou ceratoconjuntivites, por exemplo. Os colírios são remédios na forma liquida, que devem ser aplicados no olho na forma de gotas, devendo o número de gotas a utilizar ser indicado pelo médico. 

O tipo de colírio a utilizar depende do problema a tratar, e estes apenas devem ser usados sob indicação do médico, que irá indicar qual o tipo de colírio que deve ser utilizado para tratar o problema. Os colírios são considerados remédios, e por isso não devem ser usados sem acompanhamento médico, pois embora possam aliviar os sintomas sentidos podem não estar tratando a doença, estando apenas a mascarar sintomas. Assim, os principais tipos de colírios que existem incluem: 

1. Colírios lubrificantes

Systane, Lacril, Trisorb, Dunason ou Lacrifilm são alguns exemplo de colírios que servem para lubrificar o olho, sendo especialmente indicados para pessoas com baixa lubrificação no olho ou usuários de lentes de contato. 

Tipos de Colírios e para que Servem

Estes colírios servem para tratar problemas menos graves como síndrome do olho seco, ardor e irritação provocados por poeiras, fumaça, poluentes, produtos químicos, raios ultravioleta, calor seco ou excessivo, ar condicionado, vento, computador ou cosméticos.

2. Colírios Antibióticos

Maxitrol, Zymar, Vigadexa ou Cilodex são colírios compostos por substâncias antibióticas, indicadas para o tratamento de infecções e inflamações oculares causadas por bactérias como conjuntivites bacterianas. Além disso, quando necessários e indicado pelo médico podem também ser usados para prevenir infecções bacterianas. 

3. Colírios Anti-inflamatórios

Acular LS, Maxilerg, Nevanac, Maxiflox-D ou Voltaren DU colírio são alguns exemplos de colírios com ação anti-inflamatória, indicados para prevenção e tratamento da dor e da inflamação. 

Este tipo de colírios é especialmente indicado nos casos onde existe a recuperação de uma cirurgia aos olhos ou no tratamento de doenças como conjuntivite viral, crônica ou ceratite, uma inflamação que surge na córnea. 

4. Colírios Antialérgicos

Relestat, Zaditen, Lastacaft ou Florate são exemplos de colírios com ação antialérgica, indicados para o tratamento da conjuntivite alérgica, coceira persistente, inchaço e irritações leves nos olhos. 

Tal como acontece com alguns remédios anti-histamínicos para a alergia, o uso destes colírios pode provocar alguma sonolência. 

5. Colírios Anestésicos

Anestésico da Allergan, Cloridrato de Tetracaína com Fenilefrina ou Anestalcon são alguns dos colírios anestésicos que podem ser usados pelo médico, em meio hospitalar ou em consultório, para exames de diagnóstico como medição da pressão ocular, raspagem do olho ou retirada de corpos estranhos, por exemplo.

Este tipo de colírio alivia a dor e a sensibilidade, o que permite a realização dos procedimentos necessários. Porém, este tipo de colírios pode ser perigoso, pois retiram a dor e a sensibilidade, o que pode pode fazer com que a pessoa se machuque, pois se o paciente coçar o olho pode provocar lesões na córnea devido à falta de sensibilidade. 

Tipos de Colírios e para que Servem

6. Colírios Vasoconstritores

Freshclear, Colírio Moura, Lerin ou Colírio Teuto são alguns colírios com ação descongestionante. 

Este tipo de colírios descongestionam e lubrificam os olhos, sendo especialmente indicados para o alivio de irritações leves e vermelhidão causadas por resfriados, rinite, corpos estranhos, poeiras, fumaça, lentes de contato rígidas, sol ou água de piscina e do mar, por exemplo. 

Como usar os colírios corretamente

Durante a utilização de qualquer tipo de colírio, existem alguns cuidados a ter, como: 

  1. Não encostar a ponta do frasco nos olhos, nos dedos ou em alguma outra superfície; 
  2. Assim que terminar a aplicação, deve fechar imediatamente o frasco do colírio;
  3. Use sempre o número de gotas indicado pelo médico, para evitar a superdosagem;
  4. Se precisar de usar diferentes tipos de colírios, deve aguardar no mínimo 5 minutos entre aplicações; 
  5. Se for usuário de lentes de contato, deve retirar as lentes antes de aplicar o colírio e aguardar 15 minutos depois da aplicação, antes de voltar a colocar as lentes. 

Estes cuidados são muito importantes pois garantem a correta utilização do colírio, evitando a contaminação do frasco e do remédio.

Para aplicar um colírio, o ideal é estar deitado durante a aplicação, sendo recomendado pingar as gotas na parte inferior do olho, mais especificamente na bolsa vermelha que se forma ao puxar a pálpebra inferior para baixo. Após pingar as gotas recomendadas, deve-se fechar o olho e pressionar o canto próximo ao nariz, para ajudar na absorção local do remédio.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...