Colírios para conjuntivite: principais opções (e como colocar)

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
novembro 2021

Existem diversos tipos de colírios e a sua indicação vai depender também do tipo de conjuntivite que a pessoa possui, pois existe um colírio mais adequado para cada situação.

A conjuntivite é uma inflamação nos olhos que os deixa bastante irritados e pode ser causada, por vírus ou bactérias ou acontecer como consequência de uma alergia, são as conjuntivites viral, bacteriana e alérgica. Saiba como identificar os tipos de conjuntivite.

O tratamento é estabelecido de acordo com a causa da conjuntivite e deve ser feito de acordo com orientação médica, pois pingar o colírio errado nos olhos pode levar ao agravamento da conjuntivite, gerando ceratite e até mesmo a piora da visão.

Opções de colírio para conjuntivite

O oftalmologista deve sempre indicar o colírio mais adequado para cada causa de conjuntivite. Na conjuntivite alérgica normalmente é indicado usar colírios anti-alérgicos e com propriedades anti-histamínicas. Esse tipo de conjuntivite não é transmissível, é mais comum e geralmente atinge os dois olhos. Já a infecção viral é geralmente tratada com colírios lubrificantes, enquanto que a bacteriana é tratada com colírios que têm em sua composição antibióticos.

O colírios que normalmente são utilizados incluem:

  • Conjuntivite viral: deve-se usar apenas lubrificantes, como o Moura Brasil;
  • Conjuntivite bacteriana: Maxitrol, tobradex, vigamox, biamotil, zypred;
  • Conjuntivite alérgica: Octifen, patanol, ster, lacrima plus. 

Além da utilização dos colírios, é importante limpar e secar os olhos, lavar com soro fisiológico estéril, usar lenços de papel descartáveis para limpar os olhos e manter as mãos sempre lavadas. Saiba quais são outros remédios para a conjuntivite.

Saiba mais sobre o tratamento dos vários tipos de conjuntivite, no vídeo seguinte:

Como colocar corretamente o colírio

Para usar corretamente o colírio e garantir uma recuperação mais rápida da conjuntivite deve-se:

  1. Lavar as mãos com sabão e água morna;
  2. Deitar ou levantar o queixo e olhar para o teto;
  3. Puxar a pálpebra inferior de um dos olhos;
  4. Pingar uma gota do colírio no canto interno do olho ou dentro da pálpebra de baixo;
  5. Fechar o olho e rodar com a pálpebra fechada;
  6. Repetir os mesmos passos para o outro olho.

Caso o oftalmologista tenha recomendado o uso de uma pomada junto com o colírio é importante primeiro pingar o colírio nos olhos e depois esperar 5 minutos, antes de colocar a pomada no olho. A pomada pode ser usada da mesma forma que o colírio, mas deve ser sempre aplicada no interior da pálpebra de baixo.

Após colocar o colírio ou a pomada deve-se manter o olho fechado por mais 2 ou 3 minutos para garantir que o medicamento se espalha por todo o olho.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em novembro de 2021. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em abril de 2019.
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878

Tuasaude no Youtube

  • Conjuntivite viral, alérgica ou bacteriana? Como tratar | com Dr. Arthur Frazão

    10:33 | 146435 visualizações