Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Cogumelos alucinógenos: efeitos no corpo e benefícios

dezembro 2022

Os cogumelos alucinógenos são alguns tipos de fungos que contêm psilocibina, muscarina ou o isoxazol, que são substâncias psicoativas que atuam no sistema nervoso, podendo causar  alterações visuais, mudança de humor e, em alguns casos, alucinações.

Os cogumelos alucinógenos, conhecidos também como “cogumelos mágicos”, são normalmente usados em rituais religiosos, com o objetivo de promover experiências espirituais.

Além disso, os cogumelos alucinógenos, como Psilocybe cubensis, Panaeolus Spp. e Amanita muscaria, também têm sido usados em estudos [1], [2] que mostraram melhora do humor e do bem estar geral, podendo, ajudar no tratamento da depressão e ansiedade.

Imagem ilustrativa número 1

Efeitos dos cogumelos alucinógenos

Os efeitos psicoativos dos cogumelos alucinógenos acontecem devido à presença de substâncias como psilocibina, muscarina e isoxazol, que atuam no sistema nervoso, provocando alucinações visuais ou auditivas, como ver ou ouvir coisas distorcidas ou que não existem.

Esses efeitos dos cogumelos alucinógenos podem durar de 30 minutos a 4 horas após a ingestão e variam conforme o tipo e a quantidade de cogumelo consumida, o peso, a idade e o estado de saúde da pessoa.

Além disso, o uso de cogumelos alucinógenos também pode causar “bad trip” ou “viagem ruim”, que é caracterizada pela presença de paranoia ou psicose, um sintoma onde a pessoa perde o contato com a realidade, resultando em confusão ou delírios. Entenda melhor o que é a psicose.

Possíveis benefícios

Por ter efeito semelhante à serotonina, os possíveis benefícios dos cogumelos alucinógenos para a saúde são:

  • Tratamento da depressão e ansiedade, pois os compostos presentes nesses cogumelos têm efeito similar ao da serotonina no sistema nervoso, melhorando o bem estar geral e o humor;
  • Tratar vícios como tabagismo, dependência de álcool ou drogas ilícitas, já que favorecem a neuroplasticidade, que é a capacidade do cérebro de se reprogramar, ajudando a interromper comportamentos antigos e formar novos hábitos.

Além disso, por não apresentar risco de dependência, os cogumelos alucinógenos  também têm sido estudados para ajudar no tratamento da depressão e ansiedade em casos de câncer terminal.

No entanto, é importante lembrar que, até o momento, o uso dos cogumelos alucinógenos no Brasil é permitido apenas em estudos científicos controlados.

Possíveis efeitos colaterais

Os principais efeitos colaterais dos cogumelos alucinógenos no corpo são:

  • Aumento da pressão arterial;
  • Dilatação das pupilas;
  • Aumento da temperatura corporal
  • Tontura;
  • Respiração rápida;
  • Sonolência;
  • Aumento dos batimentos do coração;
  • Suor excessivo;
  • Calafrio;
  • Fraqueza muscular.

Além disso, os cogumelos alucinógenos também podem causar náuseas, perda do apetite, dor abdominal, vômitos e, muito raramente, morte.

Quando não é indicado

O uso de cogumelos alucinógenos não deve ser feito junto com outras drogas, como bebidas alcoólicas, maconha, ecstasy ou cocaína.

Pessoas que usam medicamentos psiquiátricos não devem usar cogumelos alucinógenos. Além disso, pessoas que usam medicamentos regulares devem sempre conversar com o médico antes de usar os cogumelos alucinógenos.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Karla S. Leal - Nutricionista, em dezembro de 2022.

Bibliografia

  • ALCOHOL AND DRUG FOUNDATION. What are magic mushrooms?. Disponível em: <https://adf.org.au/drug-facts/psilocybin/>. Acesso em 20 dez 2022
  • MATZOPOULOS, Richard et al. Psychedelic Mushrooms in the USA: Knowledge, Patterns of Use, and Association With Health Outcomes. Frontiers in Psychiatry. Vol.12. 1-9, 2022
Mostrar bibliografia completa
  • GUKASYAN, Natalie et al. Efficacy and safety of psilocybin-assisted treatment for major depressive disorder: Prospective 12-month follow-up. Journal of Psychopharmacology. Vol.36. 2.ed; 151-158, 2022
  • JOHNSON, W, Matthew et al. Long-term Follow-up of Psilocybin-facilitated Smoking Cessation. The American Journal of Drug and Alcohol Abuse. Vol.43. 1.ed; 55-60, 2017
  • JOHNS HOPKINS MEDICINE. Psychedelics Research and Psilocybin Therapy. Disponível em: <https://www.hopkinsmedicine.org/psychiatry/research/psychedelics-research.html>. Acesso em 20 dez 2022
  • SOUZA, B, Jroge Luiz. A Psilocibina e o seu pontecial terapêutico em saúde mental. Tese de conclusão de graduação, 2019. Universidade Federal do Ceará.
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.