Exame de citologia: para que serve, tipos e como é feito

dezembro 2021

O exame de citologia tem como objetivo realizar a avaliação das células de determinada região do corpo ou fluido, sendo capaz de identificar a presença de sinais de inflamação, infecção, sangramentos ou de câncer por meio da observação da amostra no microscópio.

Este exame costuma ser indicado para analisar o conteúdo de cistos, nódulos, líquidos incomuns que se acumulam em cavidades do corpo ou de secreções anormais como escarros.

Alguns dos principais tipos de citologia são os realizados na punção aspirativa de nódulos da tireoide ou da mama, como também no exame ginecológico ou no aspirado de secreções respiratórias, por exemplo.

Para que serve

O exame se citologia serve para avaliar as características das células, sendo útil para detectar processos inflamatórios, infecções e alterações indicativas de malignidades, uma vez que dependendo da situação pela qual o corpo está passando, é possível observar alterações nas características das células. 

O exame de citologia é principalmente indicado para as mulheres como forma de prevenir o câncer de colo de útero, por exemplo, pois ao avaliar as células de fazem parte do tecido uterino, é possível observar se há sinais indicativos de infecção pelo vírus HPV e/ ou de câncer de colo de útero.

Além disso, o exame de citologia pode ser indicado para avaliar as características de cistos e nódulos presentes na mama e na tireoide, além de também poder ser realizado com a finalidade de avaliar as características do escarro pulmonar, por exemplo.

Qual a diferença entre citologia e histologia?

A citologia é um exame que avalia as características das células presentes em determinado material coletado, enquanto que a histologia é um exame que tem como objetivo avaliar pedaços inteiros de tecidos, que por sua vez corresponde ao conjunto de células especializadas em determinada função, sendo então possível observar a composição e arquitetura do material.

Dessa forma, é possível dizer que a citologia e a histologia são exames complementares e que podem ser solicitados em conjunto pelo médico.

Tipos de citologia

A citologia pode ser realizada em diversas situações, sendo os tipos mais comuns:

1. Citologia aspirativa da tireoide

A citologia aspirativa ou punção aspirativa por agulha fina (PAAF) da tireoide é um exame muito importante para avaliar nódulos e cistos da tireoide, pois é capaz de indicar se é uma lesão benigna ou maligna.

Neste exame, o médico irá puncionar o nódulo, podendo ser guiado pela ultrassonografia, e obter amostras das células que o compõem. Em seguida, o material é colocado em uma lâmina para que seja analisado em um microscópio, podendo-se observar se as células têm características anômalas que podem sugerir câncer.

Desta forma, a citologia aspirativa é útil para orientar a melhor forma de tratamento para um nódulo, indicando a necessidade de apenas acompanhamento, nos casos benignos, a cirurgia para remover a tireoide, nos casos suspeitos de malignidade, assim como a quimioterapia caso seja identificado o câncer. Veja mais sobre a PAAF.

2. Citologia aspirativa da mama

A punção aspirativa da mama é um dos tipos mais frequentes de citologia e muito importante para avaliar características de cistos ou nódulos mamários, especialmente quando crescem rapidamente ou apresentam características suspeitas de câncer.

Assim como na punção da tireoide, a coleta do exame pode ser feita guiada ou não por ultrassonografia, e em seguida, o material é enviado ao laboratório para que o exame de citologia avalie as células que compõem o material aspirado.

3. Citologia ginecológica

A citologia ginecológica é um exame muito solicitado para mulheres em idade reprodutiva e com vida sexual ativa, sendo realizada através da raspagem e "escovação" do colo uterino para coletar amostras de células desta região, que serão fixadas em uma lâmina e enviadas ao laboratório.

Assim, este exame é capaz de identificar infecções vaginais, ISTs e sinais de câncer do colo uterino. A pesquisa por células cancerígenas é também conhecida como citologia oncótica do colo uterino, sendo este exame muito importante para o diagnóstico precoce e prevenção do câncer de colo uterino. Veja como é feita a citologia oncótica.

4. Citologia de secreções respiratórias

As secreções respiratórias como escarro dos pulmões ou muco nasal podem ser coletadas, geralmente por aspiração, para que sejam avaliadas em laboratório. Este tipo de exame costuma ser solicitado para tentar identificar o microrganismo causador de uma infecção, como fungos ou bactérias, como o bacilo da tuberculose, por exemplo. Além disso, também pode avaliar a presença de células cancerígenas, sangue ou sinais de alergia.

5. Citologia de fluidos corporais

A citologia pode ser também realizada para avaliar as células presentes em fluidos corporais. Um exemplo é a citologia do líquido ascítico, que é um fluido que se acumula na cavidade abdominal, principalmente, devido a doenças abdominais, como cirrose. Este exame pode ser solicitado para esclarecer a causa da ascite, assim como pesquisar infecções ou até mesmo sinais de câncer abdominal.

Também podem ser coletados para citologia o líquido que se acumula na pleura, que é o espaço entre as membranas que revestem os pulmões, no pericárdio, que é a membrana que envolve o coração, ou mesmo o líquido que se acumula nas articulações, devido a artrites causadas por doenças autoimunes ou infecciosas, por exemplo. 

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em dezembro de 2021. Revisão clínica por Marcela Lemos - Biomédica, em dezembro de 2021.
Revisão clínica:
Marcela Lemos
Biomédica
Mestre em Microbiologia Aplicada, com habilitação em Análises Clínicas e formada pela UFPE em 2017 com registro profissional no CRBM/ PE 08598.