Febre: o que é, principais causas e o que fazer

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
abril 2022

A febre é um mecanismo de defesa do corpo, que faz com que a temperatura corporal fique acima dos 38ºC. É por esse motivo que a febre é tão comum quando existe alguma infecção no corpo, seja uma gripe, uma amigdalite ou COVID-19, pois nessas temperaturas, a maior parte dos microorganismos não consegue sobreviver ou tem maior dificuldade para se multiplicar, facilitando o trabalho do sistema imune.

Embora o valor de 38ºC seja utilizado para definir a febre na maior parte dos casos, a verdade é que a febre é qualquer elevação da temperatura acima do intervalo normal para cada pessoa. É por isso que algumas pessoas podem se sentir "febris" e com mal estar geral mesmo quando a temperatura ainda está perto dos 37,5ºC.

Além das infecções, que são a principal causa da febre, o aumento da temperatura também pode acontecer por outros motivos, desde o excesso de roupa, até reações a medicamentos ou situações mais graves, como doenças autoimunes e câncer. Por esse motivo, sempre que a febre é muito alta (acima de 40ºC) ou persiste por mais de 3 dias, é importante consultar um clínico geral, para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

Como saber se é febre

Se acha que pode estar com febre, por favor indique o seu valor de temperatura na calculadora:

ºC
Erro

Principais causas da febre

As principais causas de febre são:

1. Infecções

A infecção por vírus, bactérias ou parasitas é a principal causa de febre, isso porque a presença desses agente infecciosos no organismo estimula o sistema imunológico, o que resulta na liberação de citocinas e no aumento da temperatura com o objetivo de promover a eliminação do agente responsável pela infecção. As principais infecções que possuem a febre como um dos sintomas são:

  • Pneumonia, que pode ser causada tanto por vírus quanto por bactéria;
  • Gripe, que é causada por vírus;
  • Sinusite, que pode ser causada por vírus ou bactéria;
  • COVID-19, que é causada pelo vírus SARS-CoV-2;
  • Malária, que é causada pelo parasita Plasmodium sp.;
  • Sepse, que é a infecção no sangue causada por bactérias.

Além da febre, é comum que sejam notados outros sintomas de acordo com o tipo de infecção, podendo haver alterações respiratórias, dor de cabeça, mal estar, cansaço excessivo e fraqueza, por exemplo.

O que fazer: Na presença de sinais e sintomas indicativos de infecção, é importante que o clínico geral seja consultado para que possam ser feitos exames que ajudem a identificar o agente infeccioso e, assim, ser possível iniciar o tratamento mais adequado, que pode envolver o uso de antibióticos ou antivirais, além de ser recomendado que a pessoa fique em repouso. Dessa forma, é possível não só combater a febre, mas também tratar a infecção.

2. Doenças autoimunes

Algumas doenças autoimunes, como a artrite reumatoide e a doença de Crohn, também podem ter a febre alta e persistente como um dos sintomas. Isso porque como o sistema imune produz anticorpos contra as células saudáveis do corpo há o desenvolvimento de uma inflamação crônica, resultando no aumento da temperatura corporal.

No caso da artrite reumatoide, além da febre, é comum também haver dor e rigidez nas articulações, vermelhidão e dificuldade para movimentar a articulação afetada. Já no caso da doença de Crohn, outros sintomas além da febre são diarreia intensa, cólicas abdominais e perda de peso, por exemplo.

O que fazer: Nesses casos é importante que sejam seguidas as orientações do médico, que normalmente indicam o uso de medicamentos que diminuem a atividade do sistema imunológico, promovendo o controle dos sintomas. Além disso, pode ser recomendado o uso de medicamentos anti-inflamatórios ou corticoides para aliviar os sintomas. No caso da doença de Crohn, é fundamental que a pessoa tenha também a orientação de um nutricionista, isso porque é importante ter uma alimentação adequada para prevenir as crises. Veja como deve ser a alimentação para doença de Crohn.

3. Vacina

Algumas vacinas podem ter como reação adversa a febre, isso porque são fabricadas com o agente infeccioso ou toxina atenuada, ou seja, com baixa atividade, de forma que são incapazes de causarem doença, mas suficientes para estimular a atividade do sistema imunológico, que passa a produzir anticorpos contra o agente infeccioso ou toxina, resultando na imunidade.

Algumas das vacinas que possuem como efeito colateral a febre é a vacina antitetânica, a vacina contra a difteria e as vacinas contra a COVID-19, por exemplo.

O que fazer: A febre é considerada normal após a imunização, desaparecendo após algumas horas sem que seja realizar qualquer tipo de tratamento. No entanto, para aliviar a febre, pode-se tomar um banho morno, permanecer em um ambiente ventilado e colocar uma toalha molhada com água fria na testa e nos punhos, por exemplo. Assim, é possível favorecer a regulação da temperatura corporal. Saiba mais sobre como baixar a febre.

4. Uso de medicamentos

Alguns medicamentos como antimicrobianos, anti-histamínicos, antidepressivos, opioides, antieméticos e estimulantes do sistema nervoso central, por exemplo, podem também ter como efeito colateral a febre. Isso porque podem interferir no mecanismo fisiológico da perda de temperatura pela extremidade e na regulação da temperatura ou estimular uma resposta imunológica ou as propriedades pirogênicas do medicamento, havendo aumento da temperatura corporal.

O que fazer: Caso a febre seja causada pelo uso do medicamento, é importante que o médico seja informado sobre esse efeito adverso, pois assim é possível que seja feita uma avaliação sobre a necessidade de troca ou suspensão do medicamento.

5. Câncer

A febre pode estar presente em alguns tipos de câncer, principalmente nos estágios mais avançados, em que outros órgãos são atingidos pelas células tumorais.

O que fazer: Nesse caso é importante informar ao médico do sintoma apresentado e seguir com o tratamento recomendado. Em alguns casos, pode ser necessário ajuste no tratamento para evitar que haja maior progressão da doença.

Como medir a temperatura corporal

Para saber a temperatura corporal e confirmar a febre, é recomendado fazer uso de um termômetro: digital ou de vidro (que deve ser colocado na axila, boca ou ânus) ou infravermelho (que basta ser apontado para a testa).

Entenda melhor como medir a temperatura e quantos graus é febre.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em abril de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em agosto de 2021.

Bibliografia

  • WALTER, Edward J.; HANNA-JUMMA, Sameer; CARRARETTO, Mike; FORNI, Lui. The pathophysiological basis and consequences of fever. Critical Care. 2016
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • COMO BAIXAR A FEBRE RÁPIDO

    03:48 | 465196 visualizações