Pele ressecada: 11 principais causas e o que fazer

A pele ressecada é uma alteração bastante comum e, na maioria dos casos acontece quando se fica muito tempo num ambiente muito frio ou muito quente ou quando se toma banho com água quente por muito tempo, por exemplo, o que acaba desidratando a pele e deixando-a mais seca. 

No entanto, a pele ressecada também pode ser um sinal que indica alterações na produção do hormônio estrogênio ou pode surgir como efeito colateral de alguns remédios diuréticos. Nestes casos, além da pele seca, podem surgir outros sintomas como dor de cabeça, tonturas, boca e olhos secos ou momentos de confusão.

Para identificar a causa correta da pele ressecada é importante consultar um dermatologista de forma a avaliar os sintomas e iniciar o tratamento mais adequado, que pode ser feito usando cremes hidratantes, mantendo uma alimentação saudável e equilibrada ou tomando remédios que reponham hormônios que estejam faltando.

Pele ressecada: 11 principais causas e o que fazer

As principais causas da pele ressecada são:

1. Mudanças de temperatura

Ficar muito tempo no frio, como acontece no inverno, pode ressecar a pele, porque quando a temperatura ambiente diminui, a pele perde a sua hidratação. No entanto, o mesmo também pode acontecer no verão, pois devido às temperaturas altas, as glândulas sebáceas e sudoríparas produzem menos óleos e suor, deixando a pele mais seca.

O que fazer: para tratar a pele ressecada é importante usar cremes hidratantes e proteger a pele das regiões que se encontram mais expostas, como as mãos e o rosto, colocando luvas, e mantendo o corpo quente.

2. Tomar banho com água muito quente

Tomar banho com água muito quente é outra causa muito comum para a pele ressecada pois a temperatura elevada da água remove a gordura natural da pele, deixando-a ressecada. Além disso, o uso de sabonetes que não foram testados dermatologicamente, ou tenham um ph que não é o adequado, também podem eliminar a camada oleosa da pele, tornando-a mais seca.

O que fazer: é importante tomar um banho, no máximo de 5 minutos, usando água morna e evitando o uso de esponjas porque diminuem a proteção da pele e deixam-na mais sensível. O sabonete deve ser ligeiramente ácido, com um ph entre 5-6, e a pele deve ser hidratada com cremes hidratantes logo após o banho pois os poros encontram-se mais abertos, tornando a hidratação mais eficaz. 

3. Não comer frutas e vegetais

Ter uma alimentação pobre em vegetais e frutas pode deixar a pele mais ressecada pois esses alimentos são ricos em vitaminas e minerais que ajudam a proteger as camadas da pele, mantendo-a saudável e bonita. 

O que fazer: é importante manter uma alimentação saudável e variada, incluindo frutas, legumes e gorduras boas, que se encontram no peixe, carne ou oleaginosas porque ajudam a manter a oleosidade da pele, evitando que fique ressecada.

4. Beber pouca água

Beber pouca água pode ser um motivo da pele ressecada pois a falta de hidratação torna a pele mais áspera e com menos elasticidade, podendo levar à sua descamação.  

O que fazer: é importante beber, pelo menos, 2 litros de água por dia para garantir que o organismo está bem hidratado e a pele se mantem saudável.

5. Praticar natação ou hidroginástica

Os esportes que necessitam do contato frequente da pele com cloro, como acontece na natação ou hidroginástica, podem levar ao ressecamento da pele porque os químicos presentes na água, embora sejam seguros para a saúde, ao longo do tempo podem ir agredindo a pele, deixando-a mais seca.

O que fazer: é recomendado que depois de estar na água da piscina se tome um banho com água morna e se use um sabonete de pH ligeiramente ácido, entre 5-6, para retirar o excesso de cloro e evitar que continue ressecando a pele.

6. Usar roupas de tecido sintético

O uso frequente de roupas de tecido sintético, como poliéster ou elastano, impede que a pele transpire de forma adequada, deixando-a mais áspera e ressecada.

O que fazer: o tecido ideal para a roupa deve ser natural, como algodão, lã ou linho, porque evita o surgimento de alergias e permite que a pele respire, impedindo que fique ressecada.

7. Dermatite atópica

A dermatite atópica é uma doença que dificulta a retenção de água na pele porque impede que a pele produza a gordura necessária para manter a sua hidratação e, por isso, torna-se mais ressecada. Além disso, podem ainda surgir outros sintomas como coceira e lesões avermelhadas na pele que aparecem, principalmente, nos joelhos, cotovelos, dorso das mãos, pés e região genital.

Esta doença, normalmente, surge na infância e tende a diminuir até à adolescência, podendo aparecer novamente na idade adulta.

O que fazer: é importante manter a hidratação da pele com o uso de cremes hidratantes. Além disso, em alguns casos, pode ser necessário consultar o dermatologista para iniciar um tratamento específico para a dermatite atópica. Saiba como é feito o tratamento para a dermatite atópica. 

Pele ressecada: 11 principais causas e o que fazer

8. Idade avançada

O envelhecimento é uma das causas naturais da pele ressecada, porque a pele vai ficando com menos elasticidade e vai perdendo a sua oleosidade e hidratação ao longo dos anos. Isso acontece, mais frequentemente, no rosto, mãos, cotovelos e joelhos, embora também possa surgir na restante pele do corpo.

O que fazer: é importante manter cuidados como a hidratação da pele, beber cerca de 2 litros de água por dia e comer alimentos saudáveis pois ajudam a hidratar a pele e fornecem os nutrientes necessários para que se mantenha saudável e mais bonita.

9. Diminuição da produção de estrogênio

Quando os níveis de estrogênio diminuem, o que acontece na menopausa, a pele fica mais ressecada pois a quantidade de água retida na pele diminui, assim como, a sua oleosidade. Conheça outras alterações que acontecem com o corpo na menopausa.

O estrogênio é um hormônio importante na hidratação da pele pois estimula a produção de gordura, através das glândulas sebáceas, mantendo a pele macia e saudável. Além disso, o estrogênio estimula a produção de colágeno, tornando a pele mais elástica e firme.

O que fazer: é importante consultar o dermatologista para indicar o melhor tratamento, que pode ser feito com remédios que aumentem os valores do estrogênio. Além disso, é necessário hidratar a pele com cremes hidratantes porque ajudam a repor a gordura da pele, impedindo que fique ressecada.

10. Diabetes

O ressecamento da pele também pode ser um sinal de diabetes, pois a diabetes pode causar lesões nos nervos que controlam a produção de gordura da pele e de suor, diminuindo a sua oleosidade e hidratação e deixando-a mais ressecada. 

Além disso, a diabetes pode provocar um aumento da fome, sede exagerada, boca seca, cansaço fácil e vontade de urinar mais vezes ao dia, fazendo com que o organismo fique com menos quantidade de água e a pele se torne mais seca. Confira outras complicações da diabetes. 

O que fazer: é importante manter a hidratação da pele com o uso de cremes hidratantes para evitar que se descame ou que desenvolva feridas, pois estas são mais difíceis de cicatrizar com a diabetes. A alimentação deve ser saudável e orientada pela nutricionista pois permite indicar quais os melhores alimentos para cada pessoa, podendo manter estáveis os níveis de açúcar no sangue.

11. Uso de alguns remédios

O uso de remédios diuréticos, como a furosemida e a hidroclorotiazida, provocam a eliminação excessiva de água do organismo, podendo deixar a pele ressecada. Além disso, outros medicamentos que também podem levar à desidratação e ressecamento da pele são os remédios para alergia, para a pressão alta e as estatinas usadas no tratamento do colesterol alto.

O que fazer: Embora alguns remédios possam provocar ressecamento da pele, não devem ser interrompidos sem indicação do médico. Assim, é importante informar o médico sobre essa alteração, para avaliar a possibilidade de trocar de medicamento ou re-ajustar a dose.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. CUIDADOS COM A PELE DA PESSOA IDOSA. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/mm/cms/2019/03/18/cartilha2sbd-cuidados-da-pessoa-idosasite.pdf>. Acesso em 15 Mar 2021
  • CARVALHO, Vânia et al. Guia prático de atualização em dermatite atópica - Parte II: abordagem terapêutica. Arq Asma Alerg Imunol. 1. 2; 157-182, 2017
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDATRIA. Sabonetes. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/flipping-book/consenso-cuidados-pele/cuidados-com-a-pele/assets/basic-html/page31.html>. Acesso em 15 Mar 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Complicações do Diabetes. Disponível em: <https://www.diabetes.org.br/publico/complicacoes/complicacoes-do-diabetes>. Acesso em 15 Mar 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Neuropatia Diabética. Disponível em: <https://www.diabetes.org.br/publico/complicacoes/neuropatia-diabetica>. Acesso em 15 Mar 2021
  • CARVALHO, Vânia et al. Guia prático de atualização em dermatite atópica - Parte II: abordagem terapêutica. Arq Asma Alerg Imunol. 1. 2; 157-182, 2017
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Cuidados com a pele no inverno. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/cuidados/cuidados-com-a-pele-no-inverno/>. Acesso em 15 Mar 2021
  • MENDES, Bruna et al. Avaliação crítica do pH dos sabonetes infantis. J. Pediatr. 92. 3; 290-295, 2016
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. CUIDADOS COM A PELE DA PESSOA IDOSA. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/mm/cms/2019/03/18/cartilha2sbd-cuidados-da-pessoa-idosasite.pdf>. Acesso em 15 Mar 2021
  • SOCIEDADE PORTUGUESA DE DERMATOLOGIA E VENEREOLOGIA. Doenças da pele. Disponível em: <https://www.spdv.pt/_doencas_de_pele_2>. Acesso em 15 Mar 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Os efeitos dos estrogênios e fitoestrogênios na pele humana e seu uso tópico para prevenção do envelhecimento cutâneo: revisão da literatura. 2020. Disponível em: <https://www.redalyc.org/jatsRepo/2655/265563305001/html/index.html>. Acesso em 15 Mar 2021
  • Sociedade Brasileira de Dermatologia. Disponível em: <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9139/tde-26022009-102032/publico/Cap2.pdf>. Acesso em 15 Mar 2021
Mais sobre este assunto: