Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

7 sintomas que podem indicar câncer de tireóide

O câncer de tireoide é um tipo de tumor que na maior parte das vezes tem cura quando seu tratamento é iniciado muito precocemente, sendo por isso importante estar atento a sintomas que possam indicar o desenvolvimento do câncer, especialmente:

  1. Nódulo ou caroço no pescoço, que normalmente cresce rapidamente;
  2. Inchaço no pescoço devido a aumento das ínguas;
  3. Dor na parte da frente da garganta que pode irradiar para os ouvidos;
  4. Rouquidão ou outras alterações da voz;
  5. Dificuldade para respirar, como se tivesse algo preso na garganta;
  6. Tosse constante que não acompanha um resfriado ou gripe;
  7. Dificuldade para engolir ou sensação de algo preso na garganta.

Embora este tipo de câncer seja mais comum a partir dos 45 anos de idade, sempre que surgir algum destes sintomas é recomendado consultar um endocrinologista ou cirurgião de cabeça ou pescoço para fazer exames de diagnóstico, identificar se existe algum problema na tireoide e iniciar o tratamento adequado.

No entanto, estes sintomas também podem indicar outros problemas menos graves como hipertireoidismo, hipotireoidismo ou apenas cistos ou nódulos na tireoide, que normalmente são benignos e não apresentam qualquer perigo para a saúde.

Veja ainda quais os sinais que podem indicar outras alterações na tireoide: Sintomas de tireoide.

7 sintomas que podem indicar câncer de tireóide

Como diagnosticar o câncer de tireoide

Para diagnosticar o câncer de tireoide é aconselhado ir no endocrinologista para observar o pescoço do indivíduo e identificar alterações como inchaço, dor ou presença de um nódulo. No entanto, também é importante realizar um exame de sangue para verificar as quantidades dos hormônios TSH, T3, T4 e tireoglobulina, que quando estão alterados podem indicar alterações na tireoide.

Além disso, é necessário fazer uma ultrassonografia da glândula tireoide ou uma biópsia para retirada de uma pequena amostra do tecido e confirmar a presença de células malignas na glândula, o que realmente determina se é câncer. 

Pessoas diagnosticadas com câncer de tireoide de baixo risco normalmente apresentam valores normais nos exames de sangue, e por isso é tão importante realizar as biópias sempre que o médico indicar, se estas indicarem resultado inconclusivo, devem ser repetidas periodicamente até que fique comprovado que se trata de um nódulo benigno. 

Por vezes, a certeza de que se trata de um câncer de tireoide só acontece depois de fazer a cirurgia para retirada do nódulo que foi enviado para o laboratório de análise. 

Quais os tipos de câncer de tireoide

Existem diferentes tipos de câncer da tireoide que variam de acordo com o tipo de células que são afetadas. No entanto os mais comuns incluem:

  • Carcinoma papilífero: é o tipo mais comum de câncer de tireoide, afetando 80% dos casos, este normalmente se desenvolve muito lentamente, sendo o tipo mais fácil de tratar;
  • Carcinoma folicular: é um tipo de câncer da tireoide menos frequente que o papilífero, mas também tem um bom prognóstico, sendo fácil de tratar; 
  • Carcinoma medular: é raro, afetando apenas 3% dos casos, sendo mais difícil de tratar, tendo menor chance de cura;
  • Carcinoma anaplásico: é muito raro, afetando apenas 1% dos casos, mas é muito agressivo, tendo poucas chances de cura. 

O câncer de tireoide papilar ou folicular tem alta taxa de sobrevivência, embora possa diminuir para metade quando o câncer é diagnosticado numa fase muito avançada, principalmente se houver metástases espalhadas pelo corpo. Assim, além de saber qual o tipo de tumor a pessoa possui, deve saber também o seu estadiamento e se existem metástases ou não, porque isso determina qual o tratamento mais indicado para cada caso.  

Como tratar o câncer de tireoide

O tratamento para o câncer de tireoide depende do tamanho do tumor e, as principais opções de tratamento incluem a cirurgia, iodoterapia e hormonioterapia. Nos casos mais graves, pode ser indicado quimioterapia e radioterapia, mas todos os tipos de tratamento são sempre indicadas pelo médico endocrinologista ou cirurgião de cabeça e pescoço. 

  • Cirurgia: conhecida por tireoidectomia, consiste em retirar parte da tireoide ou toda a glândula, além de fazer o  esvaziamento cervical para remover os gânglios do pescoço que podem estar afetados. Saiba como a cirurgia é feita em: Cirurgia de tireoide.
  • Reposição hormonal: A seguir deve-se tomar medicamentos para substituir os hormônios produzidos pela tireoide, por toda a vida, todos os dias, em jejum. Saiba quais podem ser estes medicamentos;
  • Radioterapia: Pode ser indicada em caso de câncer medular ou anaplásico, especialmente num tumor avançado. 
  • Toma de iodo radioativo: Cerca de 1 mês após a retirada da tireoide deve-se iniciar a 2ª passo do tratamento que é a toma do iodo radioativo que serve para eliminar completamente todas as células da tireoide e, consequentemente, todos os vestígios do tumor. Saiba tudo sobre a iodoterapia.

Assista ainda o vídeo seguinte e saiba que dieta adotar para realizar este tratamento:

A quimioterapia quase nunca é recomendada em caso de câncer de tireoide porque esse tipo de tumor não responde bem a este tratamento. 

Como é o acompanhamento depois do tratamento

7 sintomas que podem indicar câncer de tireóide

Depois do tratamento para retirar um tumor da tireoide é preciso realizar exames para avaliar se o tratamento eliminou completamente as células malignas e se a reposição hormonal está adequada às necessidades da pessoa.

Os exames necessários incluem:

  • Cintilografia ou PCI - pesquisa de corpo inteiro: é um exame onde a pessoa toma um medicamento e depois entra num aparelho que gera imagens de todo o corpo, a fim de encontrar células tumorais ou metástases pelo corpo. Esse exame pode ser feito, de 1 à 6 meses, depois da iodoterapia. Se forem encontradas células malignas ou metástases o médico pode indicar a toma de um novo comprimido de iodo radioativo para eliminar qualquer vestígio do câncer, mas normalmente basta uma única dose de iodoterapia.
  • Ecografia do pescoço: Pode indicar se existem alterações no pescoço e nos gânglios cervicais;
  • Exames de sangue para dosagem de TSH e tireoglobulina, à cada 3, 6 ou 12 meses, o objetivo é que seus valores estejam <0,4mU/L.

Normalmente o médico pede apenas 1 ou 2 cintilografias de corpo inteiro e depois o acompanhamento é feito somente com ultrassom do pescoço e exames de sangue. Dependendo da idade, do tipo e estadiamento do tumor, e do estado geral de saúde que a pessoa apresentar, esses exames podem ser repetidos periodicamente por um período de 10 anos, ou mais, à critério médico.

O câncer de tireoide pode voltar?

É pouco provável que um tumor descoberto precocemente consiga se espalhar pelo corpo, havendo metástases, mas a melhor forma de saber se existem células malignas no corpo é realizando os exames que o médico solicitar, especialmente as ultrassonografias e cintilografias, e ter alguns cuidados como se alimentar bem, praticar exercício físico regularmente e ter bons hábitos de vida.

No entanto, se o tumor for agressivo ou se for descoberto numa fase mais avançada, existe a possibilidade do câncer surgir em outros locais do corpo, sendo que as metástases são mais frequentes nos ossos ou no pulmão, por exemplo. 

Mais sobre este assunto:


Carregando
...