Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Cirurgia de tireoide: como é feita, principais tipos e recuperação

A cirurgia de tireoide é feita para tratar problemas na tireoide, como nódulos, cistos, aumento exagerado da tireoide ou câncer, e pode ser total ou parcial, dependendo se a glândula é, ou não, retirada completamente.

Geralmente, esta cirurgia conhecida por tireoidectomia, é delicada pois encontram-se próximo veias, artérias, nervos e músculos essenciais à vida, no entanto, é comum não haver complicações, mesmo em casos de câncer, sendo pouco frequente alterações na voz ou hematomas.

Localização da tireoide
Localização da tireoide

A recuperação da cirurgia é simples, sendo necessário evitar fazer esforços para não provocar inchaço e sangramento no local do corte, ficando uma cicatriz no pescoço.

Tipos de cirurgia para retirar a tireoide

A cirurgia de tireoide é feita com anestesia geral e durante a operação, que demora cerca de 2 horas, o médico faz um corte no pescoço permitindo observar e retirar a tireoide.

Geralmente, antes da cirurgia de tireoide, deve-se fazer 8 horas de jejum e não tomar alguns remédios nos 10 dias anteriores, como AAS, Bufferin ou Melhoral, por exemplo porque aumentam o risco de sangramento durante a cirurgia e no pós-operatório que podem prejudicar a cicatrização. Os principais tipos de cirurgia são:

  • Tireoidectomia total: Consiste em remover completamente a tireoide, havendo obrigatoriamente a necessidade de reposição hormonal.
  • Lobectomia ou Hemitereoidectomia: Consiste em retirar apenas um lado e também o istmo, que é a parte que une os dois lados, ficando metade de tireoide funcionando normalmente. Pode ser indicada em caso de câncer de tireoide do tipo papilífero ou folicular, e precisa de avaliação para necessidade de reposição hormonal.
  • Esvaziamento cervical: Em alguns casos além de remover a tireoide pode ser necessário retirar os linfonodos próximos à tireoide e na cervical, quando estes encontram-se afetados ou para evitar se sejam, especialmente em caso de câncer de tireoide do tipo medular ou anaplásico. No caso do câncer folicular ou papilífero o médico pode não ver necessidade de esvaziamento cervical se a biopsia indicar que estes não estão afetados.
Logo após a cirurgia
Logo após a cirurgia
3 dias depois da cirurgia
3 dias depois da cirurgia

Na maioria dos casos, pode-se regressar a casa no dia seguinte, ficando internado por 1 ou 2 dias, uma vez que o surgimento de complicações é mínimo. No entanto, não é possível estudar ou trabalhar na primeira semana a seguir à cirurgia.  

O médico pode ainda decidir se é necessário realizar o tratamento com iodo radioativo, que serve para eliminar completamente qualquer vestígio de células malignas. Saiba tudo sobre o Iodo Radioativo.

Assista ainda ao vídeo seguinte e veja qual a alimentação mais adequada para fazer durante o tratamento com iodo radioativo:

Como é a recuperação depois de retirar a tireoide

O pós-operatório da cirurgia de tireoide dura cerca de 15 dias e durante esse tempo deve-se evitar fazer esforços físicos, como correr ou atividades domésticas intensas para evitar o desenvolvimento de inchaço e sangramento no local do corte. No entanto, não é necessário repouso total, podendo-se na maioria dos casos, andar, trabalhar e mexer o pescoço na semana seguinte à operação.

Depois de sair do bloco operatório, pode-se ter um dreno no pescoço, para retirar o excesso de líquido com sangue e evitar hematomas, e como é normal sentir alguma dor o médico pode indicar o uso de analgésicos e anti-inflamatórios, como Paracetamol ou Ibuprofeno, e comer alimentos líquidos e moles para diminuir o desconforto do alimento na garganta.

Além disso, fica-se com um curativo no pescoço para evitar o contato com bactérias e sujeiras e proteger do sol o local onde foi feito o corte, que não deve ser molhado. Normalmente, o paciente vai para casa com o curativo, que deve ser retirado cerca de 3 dias depois da cirurgia no hospital, sendo também retirados os pontos quando estes estão visíveis.

10 dias depois da cirurgia
10 dias depois da cirurgia

O que acontece depois de retirar a tireoide

Geralmente, a cirurgia à tireoide não traz complicações, porém as consequências mais comuns incluem:

  • Dor de garganta e tosse, que pode causar dificuldade de comer e, que normalmente reduz ao fim de 1 semana, estando relacionadas com a inflamação da garganta;
  • Alterações na voz, como rouquidão e cansaço em falar que normalmente passa espontaneamente após alguns meses, sendo em alguns casos necessário treino de voz;
  • Diminuição dos níveis de cálcio no sangue, pois próximo da tireoide encontram-se as glândulas paratireoides que produzem um hormônio conhecido por PTH responsável por regular o nível de cálcio no sangue;
  • Hematoma no pescoço que pode provocar dor e inchaço no pescoço.

Como é feito um corte no pescoço, é normal ficar com uma cicatriz fina que pode variar entre 3 a 15 cm.

Como viver sem tireoide

É possível viver sem tireoide porque os hormônios produzidos por este órgão podem ser substituídos por remédios em comprimidos com cálcio e vitamina D e Levotiroxina ou Synthroid, por exemplo, recomendados pelo endocrinologista que têm de ser tomados de manhã em jejum. Veja quais são os Remédios para Tireoide que o médico pode indicar.

Depois de remover a tireoide totalmente, estes medicamentos têm de ser tomados por toda a vida, para manter o nível de hormônios estável e evitar sintomas como formigamento e câimbras. Esses remédios podem começar a serem tomados após a cirurgia.

Assista o vídeo seguinte e veja algumas dicas que podem ajudar pessoas sem tireoide a viver melhor:

Quando é retirada apenas metade da tireoide nem sempre é preciso fazer essa reposição hormonal porque a metade que ficou poderá se ajustar o produzir a quantidade de hormônios que o corpo precisa. Assim, o médico deve pedir a realização de exames de sangue e ultrassom para verificar o resultado da cirurgia e como estão os níveis destes hormônios na corrente sanguínea cerca de 1 mês depois de retirar parte da tireoide. Durante esse tempo de espera a pessoa deverá observar se apresenta sintomas de alterações na tireoide, como alterações menstruais, cãibras, cansaço nas pernas ou sensação de formigamento. Confira todos os sintomas de problemas na tireoide.

Retirar a tireoide engorda?

Ao retirar completamente a tireoide e não fazer a reposição hormonal pode haver hipotireoidismo, e uma das características disso é o aumento do peso e inchaço corporal. Assim, é preciso tomar os remédios para substituir os hormônios que a tireoide produzia para manter o peso adequado e manter as outras funções do corpo, como regulação da temperatura devidamente controladas. Por isso sempre que a pessoa retira a tireoide completamente deverá tomar os remédios para tireoide por toda vida.

Retirar somente metade da tireoide também pode levar ao aumento do peso, quando a metade de sobrou não é capaz de produzir os hormônios que o corpo precisa. Por isso, além de fazer os exames da tireoide periodicamente, é preciso observar se surgem sintomas relacionados ao hipotireoidismo. Saiba os 5 exames que avaliam a tireoide

Se o médico indicar o tratamento com Iodo Radioativo após retirar a tireoide, não é possível iniciar a toma dos hormônios tireoidianos, e por isso durante esses 30 dias de intervalo entre um procedimento e outro é comum a pessoa se sentir inchada, com dor de cabeça e com falta de concentração, mas esse período sem remédios é importante para aumentar a eficácia da iodoterapia radioativa, que pode eliminar completamente as células malignas. Depois desse tratamento, o médico poderá indicar a toma dos medicamentos para tireoide, e os sintomas desagradáveis devem desaparecer em poucos dias. 

Bibliografia >

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA. Hipotireoidismo: Sintomas. Disponível em: <http://www.tireoide.org.br/hipotireoidismo-sintomas/>. Acesso em 21 Fev 2020
  • FERRI, Fred F.. Ferri - Endocrinologia - Recomendações Atualizadas de Diagnóstico e Tratamento. 1 ed. Rio de Janeiro : Elsevier, 2019.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem