Hipoparatireoidismo: o que é, sintomas, causas e tratamento

dezembro 2021

O hipoparatireoidismo é uma doença causada pela diminuição do hormônio PTH, também conhecido como paratormônio, e que tem como principal função regular e manter os níveis de fósforo e cálcio no sangue. Assim, a falta de PTH no organismo pode levar ao surgimento de sintomas como fraqueza, espasmos musculares ou alterações nos ossos, por exemplo.

A causa mais comum do hipoparatireoidismo é devido a uma lesão acidental nas glândulas paratireóides ou cirurgia no pescoço para remoção das glândulas tireóides, por exemplo, mas também pode ocorrer por doenças autoimunes ou até mesmo por mal funcionamento das glândulas paratireóides.

O tratamento do hipoparatireoidismo deve ser indicado pelo endocrinologista ou clínico geral e pode ser feito com o uso de remédios ou dieta para aumentar os níveis de cálcio e/ou reduzir fósforo no sangue.

Principais sintomas

Os sintomas do hipoparatireoidismo estão relacionados, principalmente, com os níveis de cálcio no sangue ou hipocalcemia e altos níveis de fósforo no sangue, ou hiperfosfatemia. Assim, alguns sinais e sintomas que podem surgir incluem:

  • Formigamento ou sensação de queimação nos lábios e ponta dos dedos;
  • Falta de sensibilidade nos pés, nas mãos ou ao redor da boca;
  • Dor muscular;
  • Cãibras musculares fortes;
  • Contração ou espasmos musculares;
  • Fraqueza ou cansaço excessivo;
  • Cólicas menstruais fortes, no caso de mulheres;
  • Pele seca e áspera;
  • Unhas quebradiças,
  • Perda de cabelo;
  • Convulsões generalizadas;
  • Palpitações cardíacas.

A intensidade dos sintomas depende da gravidade e da velocidade da perda dos níveis de cálcio, sendo que em casos mais leves, pode não haver qualquer sintoma, e a doença ser apenas detectada em exames de rotina.

Além disso, algumas pessoas podem apresentar sintomas só quando há necessidade de mais cálcio no organismo, como na gravidez, amamentação ou com o uso de medicamentos que reduzem o cálcio, por exemplo.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do hipoparatireoidismo é feio pelo endocrinologista ou clínico geral através da análise dos sintomas e de exames de sangue para confirmar os baixos níveis do hormônio PTH e do cálcio, e os níveis elevados de fósforo. Além disso, o médico também pode solicitar a dosagem de magnésio no sangue, e de cálcio e fósforo na urina.

Outros exames que podem ser solicitados pelo médico são o eletrocardiograma para verificar alterações nos batimentos cardíacos, e exames de imagem da região do pescoço, com ultrassonografia, cintilografia ou ressonância magnética, por exemplo, para ajudar a identificar alterações nas glândulas paratireoides.

Possíveis causas

O hipoparatireoidismo é causado por uma redução da produção do hormônio PTH pelas glândulas paratireóides, localizadas atrás da tireóide, sendo que a causa mais comum é devido a lesões acidental das paratireoides ou complicações de cirurgia na região do pescoço, como a cirurgia para retirada da tireóide, por exemplo.

No entanto, alguns outros fatores podem contribuir para o desenvolvimento do hipoparatireoidismo, como:

  • Desenvolvimento anormal da paratireóide, como a Síndrome DiGeorge;
  • Doenças autoimunes, como a síndrome autoimune poliglandular tipo 1;
  • Mau funcionamento das glândulas paratireóides, como no hipoparatireoidismo hereditário;
  • Deficiência persistente de magnésio ou hipomagnesemia;
  • Radioterapia na região do pescoço;
  • Invasão de células de câncer no tecido da paratireóide ou outras doenças como hemocromatose, por exemplo.

Além disso, o hipoparatireoidismo pode ser causado devido a uma resistência do corpo ao hormônio PTH produzido pelas glândulas paratireóides. No entanto, nesse caso, a produção do PTH é normal ou até alta, porém esse hormônio não consegue realizar a sua função mesmo sendo produzido em quantidade suficiente. Esta condição é conhecida como pseudo-paratireoidismo, que significa “parecido com hipoparatireoidismo”, tendo os mesmos sintomas do hipoparatireoidismo típico, porém com produção normal do PTH.

Como é feito o tratamento

O tratamento do hipoparatireoidismo tem como principal objetivo controlar a diminuição de cálcio no organismo, e deve ser orientado pelo endocrinologista de acordo com a sua causa, gravidade, sintomas e os níveis de cálcio no sangue.

Os principais tratamentos que podem ser indicados pelo médico são:

1. Uso de remédios ou suplementos

Alguns remédios ou suplementos alimentares podem ser indicados pelo médico para uso oral com o objetivo de aumentar os níveis de cálcio no sangue e/ou diminuir o fosfato, e incluem:

  • Carbonato de cálcio: para aumentar a quantidade de cálcio no sangue;
  • Vitamina D: para ajudar a melhorar a absorção de cálcio pelo intestino e eliminar o excesso de fósforo do corpo;
  • Magnésio: para ajudar a estimular a produção do hormônio PTH e para aumentar os níveis de magnésio quando tem níveis baixos no sangue;
  • Diuréticos tiazídicos, como como hidroclorotiazida: indicado quando o suplemento de carbonato de cálcio não é suficiente para regularizar os níveis de cálcio no sangue, pois ajudam a diminuir a quantidade de cálcio perdida na urina.

Além disso, quando os níveis de cálcio estão muito baixos, inferiores a 7,5 mg/dL, pode causar uma hipocalcemia severa e, nesses casos, é necessário o tratamento no hospital, com a reposição de cálcio diretamente na veia, com gluconato de cálcio.

Em alguns casos, o médico também pode recomendar a reposição do paratormônio, com o uso de PTH recombinante.

O uso desses remédios deve ser feito somente sob a supervisão médica e com doses específicas para cada pessoa.

2. Alterações na dieta

A dieta para hipogonadismo deve ser feita com orientação do médico ou nutricionista que devem indicar uma alimentação rica em cálcio incluindo leite e derivados como iogurte, além de vegetais verdes como brócolis, espinafre, agrião ou acelga, por exemplo. Confira a lista completa de alimentos ricos em cálcio.

Além disso, para diminuir os níveis de fósforo no sangue, é importante evitar a ingestão de refrigerantes carbonatados ou que contenham ácido fosfórico na sua composição, além de diminuir o consumo de carnes, queijos duros e grãos inteiros.

Assista o vídeo com a nutricionista Tatiana Zanin com dicas de alimentação rica em cálcio para o hipoparatireoidismo:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em dezembro de 2021.

Bibliografia

  • CLARKE, B. L.; et al. Epidemiology and Diagnosis of Hypoparathyroidism. J Clin Endocrinol Metab. 101. 6; 2284-99, 2016
  • TABACCO, G.; BILEZIKIAN, J. P. New Directions in Treatment of Hypoparathyroidism. Endocrinol Metab Clin North Am. 47. 4; 901-915, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • TECILAZICH, F.; et al. Treatment of hypoparathyroidism. Best Pract Res Clin Endocrinol Metab. 32. 6; 955-964, 2018
  • BILEZIKIAN, J. P. Hypoparathyroidism. J Clin Endocrinol Metab. 105. 6; 1722-1736, 2020
  • HANS, S. K.; LEVINE, S. N. [UPDATED 2021 JUL 18]. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Hypoparathyroidism. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK441899/>. Acesso em 28 dez 2021
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.

Tuasaude no Youtube

  • Alimentação rica em CÁLCIO

    02:16 | 232730 visualizações