Bolhas na garganta: o que pode ser e como tratar

março 2022

A presença de bolhas na garganta pode acontecer por diversas causas, como infecções, alguns tratamentos ou doenças, podendo se espalhar para a língua e para o esôfago e ficar vermelhas e inchadas, dificultando a deglutição e a fala.

Uma vez que existem várias causas para este sintoma, é recomendado consultar um clínico geral ou um otorrino para uma avaliação mais detalhada, de forma a iniciar o tratamento adequado.

O tratamento geralmente consiste no uso de analgésicos, anti-inflamatórios, uso de elixires ou uso de antibióticos, caso se trate de uma infecção.

As principais causas para o aparecimento de bolhas na garganta são:

1. Tratamentos para o câncer

Tanto a radioterapia quanto à quimioterapia são tratamentos que levam à diminuição do sistema imunológico e, assim, causam diversos efeitos colaterais, podendo ser um deles a formação de bolhas na garganta, por exemplo.

O que fazer: Para aliviar os efeitos colaterais relacionados ao tratamento para o câncer, é importante manter a boca e a garganta bem hidratados e comer alimentos moles, como por exemplo melancia, banana e legumes.

2. Infecções

A proliferação de microrganismos na boca pode levar ao surgimento de bolhas na garganta. A boca é constituída naturalmente por microrganismos, no entanto devido a situações que possam alterar o sistema imunológico ou expor demais a boca, pode haver o crescimento não controlado de microrganismos.

O que fazer: O mais indicado nesse caso é buscar orientação médica, para que possa ser identificado que tipo de microrganismo que causou o surgimento de bolhas na garganta e, assim, poder ser iniciado o tratamento, que pode ser feito com antifúngicos, antivirais ou antibióticos. Além disso, é importante realizar a higienização adequada da boca. Saiba como escovar corretamente os dentes.

3. Câncer na orofaringe

Um dos sintomas do câncer de orofaringe é a presença de bolhas ou feridas na garganta que não cicatrizam em 15 dias. Além disso, é indicativo de câncer de orofaringe dor na garganta, irritação e a presença de manchas vermelhas ou brancas nas gengivas, língua, lábios ou garganta.

O que fazer: É importante ir ao médico assim que surgirem os primeiros sintomas de câncer de orofaringe para que o tratamento possa ser iniciado o mais rápido possível. Geralmente o tratamento é feito a partir da remoção do tumor, seguido de sessões de quimio e radioterapia. Veja quais são as opções de tratamento para o câncer de boca.

4. Estomatite aftosa

A estomatite aftosa, popularmente conhecida como afta, corresponde a uma ferida arredondada e esbranquiçada que pode surgir na garganta e causar desconforto para engolir ou falar, por exemplo. Saiba quais são as possíveis causas de afta na garganta.

O que fazer: O tratamento para a afta na garganta é feito de acordo com a orientação do médico, sendo normalmente feito com o uso de pomadas e suspensão do consumo de alimentos ácidos, já que podem aumentar o desconforto. Veja quais os melhores remédios para tratar as aftas.

5. Herpangina

A herpangina é uma doença viral que acontece com mais frequência em bebês e crianças entre os 3 e 10 anos caracterizada por febre, dor de garganta e presença de aftas e bolhas na boca. Veja como identificar a herpangina.

O que fazer: O tratamento para a herpangina é feito com a orientação do pediatra, sendo recomendado o uso de medicamentos para aliviar os sintomas, como o Paracetamol ou a Lidocaína tópica, que deve ser passada na boca para diminuir o desconforto causado pelas feridas.

6. Doença de Behçet

A doença de Behçet é uma doença rara, que ocorre com mais frequência em pessoas entre 20 e 30 anos, caracterizada pela inflamação de diferentes vasos sanguíneos, levando ao surgimento de diarreia frequente, fezes com sangue e feridas na região genital e na boca. Saiba mais sobre a doença de Behçet.

O que fazer: A doença de Behçet não tem cura, sendo geralmente indicado o uso de medicamentos para aliviar os sintomas, como corticoides ou anti-inflamatórios, por exemplo, que devem ser usados de acordo com a orientação médica.

Outras causas

Além destas causas, existem outras que podem provocar o aparecimento de bolhas no esôfago e nas cordas vocais, podendo por vezes espalhar-se para a garganta, como é o caso do refluxo gastroesofágico, infecção por vírus Herpes simplex, HIV, HPV, uso de alguns medicamentos, vômito excessivo ou abuso de álcool, por exemplo.

Possíveis sintomas

Quando aparecem bolhas na garganta, pode não se manifestar mais nenhum sintoma, no entanto, em alguns casos as feridas podem também aparecer na boca e pode ocorrer dificuldade para engolir, aparecimento de manchas brancas na garganta, febre, dor na boca e na garganta, aparecimento de nódulos no pescoço, mau hálito, dificuldade para mover a mandíbula, dor no peito e azia.

Como é feito o tratamento

O tratamento das bolhas na garganta depende da sua causa, sendo muito importante ir ao médico para que se possa fazer o diagnóstico correto. Assim, caso se trate de uma infecção, o tratamento consiste na administração de antibióticos ou antifúngicos, que devem ser receitados pelo médico.

Para aliviar a dor e o desconforto, podem-se tomar analgésicos, como o paracetamol, por exemplo, ou anti-inflamatórios como o ibuprofeno. Além disso, pode-se usar um elixir antisséptico, cicatrizante e analgésico para gargarejar cerca de 3 vezes ao dia, para aliviar o desconforto, além de manter uma boa higiene da boca.

Também é importante evitar alimentos picantes, quentes ou ácidos, porque podem irritar ainda mais as bolhas e deve-se também beber muita água, de preferência fria e comer alimentos gelados, que ajudam a aliviar a dor e a inflamação.

Caso as bolhas sejam causadas por refluxo gástrico, o médico pode receitar antiácidos ou inibidores da produção de ácido, para evitar a queimação da garganta. Veja quais os remédios usados para tratar o refluxo gastroesofágico.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em março de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em maio de 2020.

Bibliografia

  • GOLDMAN, Lee; SCHAFER, Andrew I. . Goldman-Cecil Medicine . 25.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018.
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.