Afta na garganta: 7 principais causas (e o que fazer)

setembro 2022

Afta na garganta é quando surge uma pequena ferida arredondada, esbranquiçada no centro e avermelhada por fora, que causa dor e desconforto, especialmente ao engolir ou falar. Além disso, em alguns casos, pode ainda surgir febre, mal-estar geral e aumento dos gânglios do pescoço.

Geralmente, a afta na garganta ocorre após períodos de estresse, emoções fortes ou ferimentos na boca, mas também pode ser causada por infecções, como herpes, ou uso de alguns medicamentos, como anti-inflamatórios. Já quando as aftas são muito grandes e demoram a cicatrizar podem indicar problemas mais graves, como HIV ou câncer.

Em caso de aftas na garganta frequentes, que demorem para cicatrizar ou que sejam acompanhadas por outros sintomas como febre e perda de peso, é importante consultar um clínico geral para identificar a causa e iniciar o tratamento apropriado.

As principais causas de afta na garganta são:

1. Estomatite aftosa

As aftas que ocorrem na estomatite aftosa não possuem uma causa específica e geralmente provocam apenas dor no local em que aparecem. No entanto, costumam surgir após pequenos ferimentos na boca, períodos de estresse ou emoção e menstruação.

Além disso, deficiência de ferro ou vitamina B12, alergias a produtos, como pastas de dente ou flúor dental, e alimentos, como frutas cítricas e canela, também podem provocar estomatite aftosa.

O que fazer: as aftas provocadas pela estomatite aftosa tendem a melhorar sem que nenhuma medida específica em até 3 semanas. No entanto, em caso de dor intensa ou dificuldade para comer, é recomendado consultar um clínico geral, que pode indicar medicamentos como pomadas contendo anestésicos e corticóides, que ajudam a aliviar o desconforto. Veja outras dicas que podem ajudar a melhorar as aftas.

2. Herpes

O vírus que causa herpes labial também pode provocar aftas dolorosas na garganta, na língua ou no céu da boca, além das pequenas bolhas nos lábios. Entenda melhor os sintomas de herpes na língua e boca.

Estes sintomas podem ainda ser acompanhados de febre e mal-estar quando a infecção ocorre pela primeira vez, e tendem a ser mais leves nas vezes seguintes.

O que fazer: as aftas causadas por herpes tendem a melhorar em cerca de 2 semanas sem tratamento específico. No entanto, caso sintomas como febre, mal-estar ou dor intensa ocorram, é recomendado consultar um clínico geral para confirmar o diagnóstico. Nestes casos, medicamentos como antivirais e analgésicos podem ser indicados para aliviar os sintomas e ajudar a afta a melhorar mais rapidamente.

3. COVID-19

A infecção por SARS-CoV-2, que causa a COVID-19, também pode causar o surgimento de afta na garganta, devido a fatores como a inflamação intensa que a infecção causa e ao efeito direto do vírus sobre a mucosa oral.

No entanto, outros sintomas mais clássicos como tosse e febre também podem estar presentes. Veja os principais sintomas da COVID-19.

O que fazer: é importante consultar um clínico geral, pneumologista ou infectologista se existir suspeita de COVID-19, porque o uso de medicamentos como dipirona, antivirais específicos pode ser indicado. Nos casos graves, pode até ser necessária a internação no hospital. Confira como é o tratamento da COVID-19.

4. Uso de medicamentos

O uso de alguns medicamentos, principalmente anti-inflamatórios não esteroides, como o piroxicam ou naproxeno, alguns anti-hipertensivos, como losartana, e os medicamentos utilizados em quimioterapia, também podem causar aftas na garganta como efeito colateral.

O que fazer: é importante evitar fazer uso de medicamentos sem indicação médica e utilizá-los sempre conforme orientado. Além disso, em caso de suspeita de aftas causadas por medicamentos, é recomendado consultar um médico, preferencialmente aquele que indicou o tratamento, para adequar a dose ou suspender o uso do medicamento.

5. Lúpus eritematoso sistêmico

A afta causada pelo lúpus eritematoso sistêmico pode ocorrer em locais como garganta, língua, céu da boca ou lábios. No entanto, é normal que surjam outros sintomas como perda de peso, indisposição e dor nas articulações. Veja outros sintomas do lúpus eritematoso sistêmico.

O que fazer: em caso de suspeita de lúpus eritematoso sistêmico é importante consultar um reumatologista, porque as aftas tendem a melhorar com o tratamento da doença, que pode envolver medicamentos como corticoides orais e antimaláricos.

6. Infecção por HIV

O HIV pode causar uma ou mais aftas na garganta, que tendem a ser maiores, dolorosas e demorar mais para curar, especialmente em pessoas que não fazem o tratamento adequado.

Embora a infecção por HIV possa causar poucos sintomas no início, caso não seja tratada, pode afetar gravemente a imunidade, aumentando o risco de infecções. Confira os sintomas da infecção por HIV.

O que fazer: é importante consultar um clínico geral ou infectologista em caso de suspeita de HIV. Caso o diagnóstico seja confirmado, a afta na garganta tende a melhorar com o tratamento adequado do HIV, que envolve o uso de medicamentos antivirais. Veja como é feito o tratamento da infecção por HIV.

7. Câncer oral

O câncer oral pode causar uma afta na garganta ou feridas que são difíceis de cicatrizar e que podem provocar dor. Dependendo da extensão do tumor, outros sintomas como dificuldade e dor para engolir, rouquidão, perda de peso e ínguas no pescoço também podem ocorrer. Saiba como identificar os sintomas de câncer na boca.

O que fazer: em caso de suspeita de câncer é importante consultar um clínico geral para uma avaliação detalhada, que geralmente envolve biópsia da lesão. O tratamento, quando indicado, pode incluir cirurgia para remoção do tumor, radioterapia e quimioterapia.

Quando ir ao médico

É recomendado ir ao médico quando as aftas surgem mais de 6 vezes por ano, curam com dificuldade ou caso existam outros sintomas, como febre, desconforto para engolir e sensação de mal estar, por exemplo.

O médico pode indicar os exames mais apropriados para identificar a causa, o que pode incluir o hemograma completo, contagem de VSH, dosagem de ferro e vitamina B12, além de exames microbiológicos, caso haja suspeita de infecção, e a biópsia, em caso de suspeita de câncer.

O que fazer para curar a afta mais rápido

Para ajudar a curar a afta na garganta, é recomendado:

  • Enxaguar a boca com um antisséptico bucal após a escovar os dentes para ajudar a eliminar as bactérias e limpar a região, evitando a formação de aftas;
  • Evitar ingerir alimentos ácidos como limão, abacaxi, tomate, kiwi e laranja, pois a acidez aumenta a dor e o desconforto;
  • Comer mais alimentos ricos em vitaminas do complexo B, ácido fólico e ferro como banana, manga, iogurte desnatado ou suco de maçã, já que a deficiência dessas vitaminas pode ser uma causa do aparecimento de aftas;
  • Fazer gargarejos com água morna e sal, pois são antissépticos, deixando a região limpa. Para fazer os gargarejos, basta adicionar 1 colher de sopa de sal em 1 copo de água morna ou 2 colheres de sopa de água oxigenada 10 volumes em 1 copo de água.
  • Evitar alimentos que possam agravar a afta, como torrada, amendoim, nozes;
  • Usar escova de dente macia;
  • Evitar os produtos para higiene oral contendo lauril sulfato de sódio durante o tratamento para a afta, pois podem aumentar a inflamação.

Com o tratamento e a adoção destas medidas, a afta na garganta tende a desaparecer naturalmente em poucos dias. Além disso, é importante ter atenção à alimentação para acelerar a recuperação. Por isso, veja no vídeo a seguir o que comer para curar a afta mais rapidamente:

Opções de remédios para tratar a afta

O tratamento para afta na garganta geralmente pode ser feito com pomadas corticoides e anti-inflamatórias tópicas, como a Omcilon-A ou a Gingilone, ou com pomadas anestésicas tópicas, como Xylocaína pomada 5%, prescritas pelo médico e que podem ser aplicadas com o dedo ou com a ajuda de um cotonete.

Outros remédios para afta na garganta que podem ser utilizados para aliviar a dor são o Paracetamol ou o Ibuprofeno, por exemplo. No entanto, o seu uso também deve ser orientado pelo médico. Veja uma lista mais completa dos principais remédios usados para tratar as aftas.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em setembro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em março de 2020.

Bibliografia

  • STATPEARLS. Features, Evaluation, and Treatment of Coronavirus (COVID-19). 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK554776/>. Acesso em 26 ago 2022
  • STATPEARLS. Herpes Simplex Type 1. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK482197/>. Acesso em 26 ago 2022
Mostrar bibliografia completa
  • YUAN, Anna; WOO, Sook-Bin. Adverse drug events in the oral cavity. ORAL MEDICINE. Vol.119, n.1. 35-47, 2015
  • BENLI, Merve at al. Orofacial manifestations and dental management of systemic lupus erythematosus: A review. Oral Dis. Vol.27, n.2. 151-167, 2021
  • STATPEARLS. Oral Mucosa Cancer. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK565867/>. Acesso em 26 ago 2022
  • STATPEARLS. Aphthous Stomatitis. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK431059/>. Acesso em 26 ago 2022
  • ERBAS, Gizem S. et al. COVID-19-related oral mucosa lesions among confirmed SARS-CoV-2 patients: a systematic review. Int J Dermatol. Vol.61, n.1. 20-32, 2022
  • BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE (MINISTÉRIO DA SAÚDE). Aftas. 2015. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/153-aftas>. Acesso em 30 mar 2020
  • SEMINÁRIOS FORL. Estomatites. Disponível em: <https://forl.org.br/Content/pdf/seminarios/seminario_37.pdf>. Acesso em 30 mar 2020
  • TELESSAUDERS UFRGS. ULCERAÇÃO AFTOSA RECORRENTE. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/telessauders/documentos/protocolos_resumos/aftas.pdf>. Acesso em 30 mar 2020
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • Como eliminar AFTA rapidamente

    02:53 | 2939336 visualizações