Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como identificar e tratar a arterite temporal

A arterite das células gigantes, também conhecida como arterite temporal, é uma doença que causa inflamação crônica das artérias da circulação sanguínea, e provoca sintomas como dor de cabeça, febre, anemia, cansaço e mal-estar. 

Sua causa, apesar de não ser bem esclarecida, está ligada à auto-imunidade, e é mais comum em pessoas acima dos 50 anos e idosos, sendo detectada, geralmente, pelo reumatologista, através do exame físico, sanguíneo e biópsia da artéria, que demonstram inflamação, e, por isto, o tratamento é feito com corticóides. 

A inflamação das artérias provoca sintomas generalizados e que atrapalham a circulação. Assim, os principais sinais e sintomas são:

  • Dor de cabeça ou no couro cabeludo, que pode ser forte e latejante;
  • Sensibilidade e dor na artéria temporal, que se localiza na parte lateral da testa;
  • Dor e fraqueza na mandíbula, que surgem após falar ou mastigar prolongadamente e melhoram com o descanso;
  • Febre recorrente e não explicada;
  • Anemia;
  • Cansaço e mal-estar geral;
  • Falta de apetite;
  • Perda de peso;

Alterações graves, como perda da visão, cegueira repentina ou aneurismas, podem acontecer em alguns casos, mas podem ser evitadas com a identificação e realização do tratamento, o mais breve possível, pelo reumatologista.

Como identificar e tratar a arterite temporal

Além destes sintomas, é comum que a arterite temporal esteja acompanhada da polimialgia reumática, que é outra doença que provoca inflamação dos músculos e articulações, causando dor no corpo, fraqueza e desconforto nas articulações, principalmente do quadril e ombros. Saiba mais sobre a polimialgia reumática

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da arterite temporal é feito através da avaliação clínica pelo clínico geral ou reumatologista, além da realização de exames de sangue, que demonstram inflamação, como a elevação dos níveis VHS, que pode atingir valores acima de 100mm.

A confirmação, entretanto, é feita pela biópsia da artéria temporal, que irá demonstrar as alterações inflamatórias diretamente no vaso. 

Como é feito o tratamento

O tratamento da arterite das células gigantes é feito para aliviar os sintomas e prevenir a perda da visão, com o uso de corticóides, como a Prednisona, em doses altas, orientados pelo reumatologista. O uso de remédios é feito por, pelo menos, 4 meses, variando de acordo com a melhora dos sintomas.

Além disto, o médico pode, ainda, recomendar analgésicos e antitérmicos, como paracetamol, para aliviar sintomas como febre, cansaço e mal estar geral, caso surjam.

A doença pode ser curada com o tratamento, ou pode voltar a recorrer após algum tempo, o que varia com a resposta de cada pessoa ao tratamento.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...