Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

Antissépticos: o que são, para que servem e quais escolher

Os antissépticos são produtos usados com o objetivo de reduzir, eliminar ou inativar microrganismos presentes na pele ou superfícies, no momento em que são utilizados.

Existem diferentes tipos de antissépticos, os de ação bactericida e de espectro estreito, que apenas eliminam as bactérias e uma pequena percentagem de outros microrganismos, e os de de largo espectro, que apresentam propriedades bactericida, fungicida e virucida.

Antissépticos: o que são, para que servem e quais escolher

Para que servem

Os antissépticos são usados para as seguintes situações:

  • Lavagem das mãos, para evitar o contágio de doenças;
  • Desinfeção de mucosas para executar procedimentos médicos, como a inserção de um cateter, por exemplo;
  • Limpeza da pele, para a preparação para cirurgias;
  • Tratamento de infecções da pele, da boca e da garganta.

Devido à sua larga aplicação, os antissépticos devem ser escolhidos mediante o objetivo da sua utilização e recomendação médica. Alguns dos antissépticos de largo espectro, que agem contra vírus, bactérias e fungos, são:

1. Álcool etílico

O álcool é a substância mais eficaz na eliminação de bactérias, vírus e fungos, exercendo uma rápida ação.

Esta substância incolor é eficaz em concentrações superiores a 70%, podendo ser encontrado em solução ou veiculado em gel, para a higienização de mãos, do cordão umbilical e da pele, para coleta de sangue arterial ou venoso, por exemplo.

Além disso, o álcool também pode ser usado na limpeza de superfícies, devendo-se, nestes casos, optar pela solução.

Álcool em gel caseiro funciona?

Existe uma grande variedade de receitas na internet, que ensinam a preparar álcool em gel caseiro, de forma fácil, porém, não é recomendado fazê-lo, já que não é possível assegurar que a concentração do gel é eficaz na eliminação de todos os microrganismos. Além disso, alguns dos ingredientes que são adicionados nessas receitas, podem  favorecer a sua proliferação.

2. Clorexidina

A clorexidina é uma substância incolor e encontra-se disponível em diferentes concentrações, tendo cada uma delas várias indicações. Embora tenha uma fraca ação contra fungos e vírus, esta solução é muito usada na limpeza do cordão umbilical, desinfecção de ferias e limpeza de queimaduras.

Em algumas soluções, pode estar associada a um álcool, tendo uma maior eficácia na desinfecção das mãos e na preparação para procedimentos cirúrgicos.

Veja mais sobre as diferentes formas de utilização da clorexidina.

3. Iodopovidona

A iodopovidona, conhecido pelo nome comercial Povidine, é uma solução com uma cor marrom, indicada para a desinfecção da pele intacta, do trato urogenital interno e externo, desinfecção das mãos, cateterização da bexiga e desinfecção da pele danificada, como é o caso das feridas, úlceras nas pernas, feridas superficiais e queimaduras.

Saiba mais sobre a iodopovidona e como usar corretamente.

Quando não usar

A não ser que seja por recomendação médica, os antissépticos não devem ser usados em feridas cirúrgicas ou na lavagem de feridas, em úlceras de pressão e no banho de doentes acamados.

Quais os produtos que não devem ser usados

Alguns dos produtos designados popularmente por antissépticos, que ainda circulam no mercado, mas que não devem ser usados são o mercurocromo, devido à sua toxicidade e efeitos colaterais, a água oxigenada e o éter, devido à sua ineficácia como antissépticos, e a eosina, que seca a pele, sendo indicado para lesões dermatológicas não infectadas.

Além disso, o álcool em gel preparado em casa também não deve ser usado, já que existe o risco de não se obter uma concentração adequada para a eliminação de microrganismos, além de alguns dos ingredientes beneficiarem a sua proliferação.

Bibliografia >

  • Reis, Lúcia Margarete et. al.. Avaliação da atividade antimicrobiana de antissépticos e desinfetantes utilizados em um serviço público de saúde. Revista Brasileira de Enfermagem. Vol.64. 5.ed; 870-875, 2011
  • UFTM. Manual de antissépticos padronizados. 2011. Disponível em: <http://www2.ebserh.gov.br/documents/147715/148046/ANTISSEPTICOS_PADRONIZADOS.pdf/5aee0778-a1c3-4f69-a75e-81b0159bb4c9>. Acesso em 13 Mar 2020
  • CHLOREXIDINE WORKING GROUP. Produtos de Clorexidina e a sua Utilização nos Cuidados de Saúde. 2015. Disponível em: <http://www.healthynewbornnetwork.org/hnn-content/uploads/CWG-Chlorhexidine-Applications-PT_Aug_2015-2015-08-20.pdf>. Acesso em 13 Mar 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem