Antissépticos: o que são, para que servem, tipos e quando não usar

agosto 2022

Os antissépticos são produtos químicos aplicados sobre a pele ou mucosas com o objetivo de reduzir, eliminar ou inativar microrganismos, como bactérias, fungos ou vírus, no momento em que são utilizados, sendo indicados para limpeza da pele para a preparação para cirurgias ou lavagem das mãos para evitar o contágio de doenças.

Existem diferentes tipos de antissépticos, que apresentam propriedades bactericidas, fungicidas e/ou virucidas, como o álcool etílico, clorexidina ou iodopovidona, devendo ser usados somente sobre a pele ou mucosas conforme orientação médica, pois podem não ser indicados na gravidez ou amamentação, por exemplo.

Além disso, devido ao risco de efeitos colaterais, como queimaduras na pele, dermatite de contato, irritação na pele ou alergias, os antissépticos devem ser usados com indicação médica e na concentração e doses recomendadas pelo médico.

Para que servem

Os antissépticos são indicados para:

  • Lavagem das mãos, para evitar o contágio de doenças;
  • Desinfecção de mucosas para executar procedimentos médicos, como a inserção de um cateter na uretra ou bexiga;
  • Desinfecção das mãos, para a preparação para cirurgias ou procedimentos médicos invasivos;
  • Tratamento de infecções da pele, da boca e da garganta;
  • Tratamento de infecções na garganta, na forma de pastilhas ou soluções;
  • Limpeza da pele do recém-nascido e do cordão umbilical, para evitar infecções;
  • Limpeza e desinfecção de feridas, cortes e queimaduras;
  • Lavagem oral na doença periodontal e na desinfecção da boca para prevenir a pneumonia associada à ventilação mecânica.

Devido à sua larga aplicação, os antissépticos devem ser escolhidos mediante o objetivo da sua utilização e recomendação médica. 

Qual a diferença entre antisséptico e desinfetante?

Tanto os antissépticos como os desinfetantes são produtos químicos, sendo que alguns possuem os mesmos ingredientes, como o álcool etílico, por exemplo.

No entanto, os antissépticos são utilizados sobre a pele ou mucosas, para prevenir ou tratar infecções, limpar feridas ou fazer a higienização das mãos antes de cirurgias, por exemplo. 

Já os desinfetantes, são utilizados para desinfectar superfícies, objetos contaminados ou instrumentos cirúrgicos, por exemplo, e geralmente possuem fórmula química diferente dos antissépticos, como o glutaraldeído, hipoclorito de sódio, ácido peracético, formol ou álcool isopropílico, não sendo indicados para a aplicação sobre a pele ou mucosas.

Tipos de antissépticos

Alguns dos antissépticos mais utilizados e indicados pelo médico, são:

1. Álcool etílico

O álcool etílico é a substância mais eficaz na eliminação de bactérias, vírus e fungos, exercendo uma rápida ação.

O álcool é mais eficaz na concentração de 70%, pois contém um pouco mais de água na sua composição, o que aumenta sua ação antimicrobiana quando comparado ao álcool 96%.

O álcool 70% pode ser encontrado na forma líquida ou em gel, para a higienização de mãos, do cordão umbilical e da pele, para limpeza da pele antes da coleta de sangue arterial ou venoso, por exemplo. 

Além disso, o álcool 70% também pode ser usado na limpeza de superfícies, devendo-se, nestes casos, optar pela forma líquida.

Álcool em gel caseiro funciona?

Existe uma grande variedade de receitas na internet, que ensinam a preparar álcool em gel caseiro, de forma fácil, porém, não é recomendado fazê-lo, já que não é possível assegurar que a concentração correta do álcool no gel para a eliminação de todos os microrganismos. Além disso, alguns dos ingredientes que são adicionados nessas receitas, podem favorecer a sua proliferação.

2. Clorexidina

A clorexidina é uma substância incolor e encontra-se disponível em diferentes concentrações, tendo cada uma delas várias indicações. Embora tenha uma fraca ação contra fungos e vírus, esta solução é muito usada na limpeza do cordão umbilical, desinfecção de feridas, limpeza de queimaduras e como antisséptico bucal.

Em algumas soluções, pode estar associada a um álcool, tendo uma maior eficácia na desinfecção das mãos e na preparação para procedimentos cirúrgicos. Veja mais sobre as diferentes formas de utilização da clorexidina

3. Iodopovidona

A iodopovidona, conhecido pelo nome comercial Povidine, é uma solução com uma cor marrom, indicada para a desinfecção da pele intacta, do trato urogenital interno e externo, desinfecção das mãos, cateterização da bexiga e desinfecção da pele danificada, como é o caso das feridas, úlceras nas pernas, feridas superficiais e queimaduras.

Esse antisséptico é contraindicado para pessoas que têm alergia ao iodo, sendo sempre importante comunicar ao médico, enfermeiro ou outro profissional de saúde, que possui alergia, de forma que o seu uso seja evitado e seja substituído por outro antisséptico. Saiba mais sobre a iodopovidona e como usar corretamente

4. Peróxido de hidrogênio

O peróxido de hidrogênio, conhecido como água oxigenada, é um antisséptico indicado para a limpeza de feridas, cortes, arranhões, úlceras ou remoção de tecidos mortos na pele. No entanto, o seu espectro de ação é reduzido. Veja outras indicações da água oxigenada.  

A concentração ideal da água oxigenada para a aplicação sobre a pele é de 3%, o que corresponde à apresentação de 10 volumes. O ideal é que após o uso da água oxigenada, seja aplicado soro fisiológico 0,9% na pele, para manter a pele limpa e hidratada.  

Além disso, a água oxigenada, embora seja um antisséptico muito usado, também não é suficientemente eficaz na eliminação de todos os microrganismos, sendo necessário associar a outros antissépticos para ter eficácia.

5. Permanganato de potássio

O permanganato de potássio é um antisséptico para a pele indicado na forma de banhos ou compressas, nos casos de dermatites, eczema, abscessos, brotoejas, lesões na pele com secreção, ou aliviar a coceira e facilitar a cicatrização de feridas, como a catapora, por exemplo, devido sua ação antibacteriana e antifúngica.

O permanganato de potássio é encontrado na forma de comprimidos para diluir em água, não devendo ser ingerido por via oral, e nem usado por gravidas ou lactantes, sendo vendido apenas com prescrição médica, pois pode causar efeitos colaterais, como irritação ou queimaduras na pele. Saiba como usar o permanganato de potássio

6. Triclosan

O triclosan é um antisséptico antibacteriano presente em sabonetes para a limpeza da pele, especialmente no caso de acne ou excesso de oleosidade, ou em enxaguantes bucais, cremes dentais, desodorantes ou loções.

Esse antisséptico é encontrado em diferentes concentrações nos produtos, e deve ser usado com indicação do médico ou do dentista.

Quando não usar

A não ser que seja por recomendação médica, os antissépticos não devem ser usados em feridas cirúrgicas ou na lavagem de feridas, em feridas profundas ou que contenham corpos estranhos, úlceras de pressão, queimaduras graves, mordidas de animais ou humanos, e no banho de doentes acamados.

Além disso, os antissépticos não devem ser ingeridos por via oral e também não devem ser usados nos olhos. Em caso de contato acidental com os olhos, deve-se lavar abundantemente com água.

Os antissépticos também não devem ser usado nos casos de alergia a qualquer componente da fórmula.

Quais os produtos que não devem ser usados

Alguns dos produtos designados popularmente por antissépticos, que ainda circulam no mercado, mas que não devem ser usados são o mercurio-cromo, devido à sua toxicidade e efeitos colaterais, o éter, devido à sua ineficácia como antisséptico, e a eosina, que seca a pele, sendo indicado para lesões dermatológicas não infectadas.

Além disso, o álcool em gel preparado em casa também não deve ser usado, já que existe o risco de não se obter uma concentração adequada para a eliminação de microrganismos, além de alguns dos ingredientes beneficiarem a sua proliferação.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em agosto de 2022. Revisão clínica por Flávia Costa - Farmacêutica, em agosto de 2022.

Bibliografia

  • BEDNAREK, R. S.; NASSEREDDIN, A.; RAMSEY, M. L. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Skin Antiseptics. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK507853/>. Acesso em 11 ago 2022
  • DEL-RÍO-CARBAJO, L.; VIDAL-CORTÉS, P. Types of antiseptics, presentations and rules of use. Med Intensiva (Engl Ed). 43. 1; 7-12, 2019
Mostrar bibliografia completa
  • Reis, Lúcia Margarete et. al.. Avaliação da atividade antimicrobiana de antissépticos e desinfetantes utilizados em um serviço público de saúde. Revista Brasileira de Enfermagem. Vol.64. 5.ed; 870-875, 2011
  • UFTM. Manual de antissépticos padronizados. 2011. Disponível em: <http://www2.ebserh.gov.br/documents/147715/148046/ANTISSEPTICOS_PADRONIZADOS.pdf/5aee0778-a1c3-4f69-a75e-81b0159bb4c9>. Acesso em 13 mar 2020
  • CHLOREXIDINE WORKING GROUP. Produtos de Clorexidina e a sua Utilização nos Cuidados de Saúde. 2015. Disponível em: <http://www.healthynewbornnetwork.org/hnn-content/uploads/CWG-Chlorhexidine-Applications-PT_Aug_2015-2015-08-20.pdf>. Acesso em 13 mar 2020
Revisão clínica:
Flávia Costa
Farmacêutica
Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.

Tuasaude no Youtube

  • Como lavar as mãos do jeito certo | com Drauzio Varella

    05:00 | 50159 visualizações
  • LIMPAR FERIDAS · QUAL O MELHOR PRODUTO?

    02:28 | 297681 visualizações
  • APRENDER A LAVAR AS MÃOS ✋

    02:44 | 44377 visualizações