Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Iodopovidona (Povidine): para que serve e como usar

Revisão clínica: Flávia Costa
Farmacêutica
dezembro 2022
  1. Para que serve
  2. Como usar
  3. Efeitos colaterais
  4. Contra-indicações

A iodopovidona é um antisséptico tópico, indicado para a limpeza de ferimentos e realização de curativos, pois tem um potente efeito contra bactérias, fungos e vírus, além de ter uma ação rápida, um efeito mais prolongado, não arde ou irrita a pele, e forma um filme que protege a área afetada.

Esse antisséptico, também conhecido PVPI, pode ser encontrado na forma de degermante ou spray, contendo 10% de iodopovidona, ou na forma de sabonete de 7 mg/g, com os nomes comerciais Povidine, Riodeine ou Sabofen, por exemplo.

A iodopovidona pode ser comprada em farmácias ou drogarias em frascos de 30 ou 100 mL, ou em hospitais, usado para preparação da pele de pacientes antes de uma cirurgia e para limpeza das mãos e braços da equipe cirúrgica no pré-operatório.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

A iodopovidona é indicada para:

  • Limpeza e desinfecção de feridas superficiais, cortes, úlceras nas pernas, queimaduras ou infecções na pele;
  • Limpeza da pele do paciente antes de cirurgias;
  • Desinfecção das mãos e braços da equipe cirúrgica, antes de cirurgias ou procedimentos médicos invasivos;
  • Curativos no pós-operatório;
  • Limpeza da pele e do couro cabeludo;

Além disso, na forma de sabonete, a iodopovidona pode ser indicada para auxiliar na prevenção e tratamento de furúnculos, dermatite infecciosa, impetigo ou acnes, por exemplo, ou para higienização do corpo ou como antisséptico da mucosa vaginal.

A iodopovidona age impedindo a proliferação de micro-organismos na pele e a infecção de feridas, sendo, por isso muito, utilizado em pronto-socorros, ambulatórios e hospitais.

Além do Povidine, outros medicamentos que também têm efeito no combate a infecções ou proliferação de microrganismos são o álcool a 70% ou a clorexidina. Veja para que serve e como usar a clorexidina.

Como usar

A iodopovidona deve ser utilizada somente externamente, sobre a pele. A forma de usar varia de acordo com a apresentação do produto e inclui:

1. Iodopovidona tópico

O iodopovidona tópica ou Povidine tópico é uma solução aquosa indicada somente para uso externo.

Em casos de ferimentos, recomenda-se limpar o local com compressa de gaze e aplicar a solução tópica sobre o ferimento 3 a 4 vezes ao dia, por meio de gaze ou compressa estéril, até cobrir todo o ferimento.

2. Iodopovidona spray

A iodopovidona spray ou Povidine spray é uma solução aquosa de iodopovidona, que pode ser borrifado diretamente sobre a pele com ferimento. Confira o passo-a-passo para fazer um curativo para feridas corretamente.

3. Iodopovidona degermante

A iodopovidona solução degermante geralmente possui uma base aquosa ou hidroalcoólica, que pode ser combinada com um detergente, utilizada antes da realização de cirurgias, pois é aplicado na pele do paciente e nas mãos e braços da equipe cirúrgica, momentos antes da cirurgia, para eliminação de bactérias, vírus e fungos, tornando o ambiente estéril.

A forma de usar a iodopovidona degermante hidroalcoólica é aplicando a solução sobre a pele limpa e deixar secar por pelo menos 2 minutos. Se necessário, a aplicação pode ser repetida.

Já a iodopovidona degermante com detergente deve ser aplicada sobre a pele, e em seguida, pode-se enxaguar as mãos e antebraços em água corrente, e reaplicar a iodopovidona, se necessário, e secar a pele com gaze ou toalha estéril de uso hospitalar.

4. Iodopovidona sabonete

A iodopovidona na forma de sabonete pode ser usada para limpeza da pele e couro cabeludo, limpeza das mãos, ferimentos leves, furúnculos, acnes, dermatite infecciosa ou impetigos.

Para usar o sabonete de iodopovidona, deve-se molhar a pele da região e passar o sabonete até formar espuma. Em seguida, deve-se espalhar a espuma na pele, deixando agir por 30 segundos a 5 minutos, conforme orientado pelo médico.

Em seguida, deve-se enxaguar a pele com água corrente.

O sabonete de iodopovidona pode ser usado de 2 a 3 vezes por dia, ou conforme orientação médica.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem surgir com o uso da iodopovidona são manchas na pele, cabelo ou roupa.

Além disso, a iodopovidona pode causar irritação na pele ou dermatite de contato, especialmente quando deixada na pele por períodos prolongados.

Embora seja raro, a iodopovidona pode causar hipotireoidismo neonatal, devido ao uso crônico ou em grandes áreas da pele pela mãe, pois o iodo pode ser absorvido pela pele, e causar o efeito chamado Wolff-Chaikoff em recém nascidos, caracterizado pela diminuição dos hormônios da tireoide.

Quem não deve usar

O iodopovidona não deve ser usado por pessoas que tenham alergia ao iodo, ou alimentos, como mariscos ou frutos do mar, por exemplo.

Além disso, a iodopovidona não deve ser aplicada nos olhos, e deve ser usada com cautela por mulheres grávidas, bebês até o 6º mês de vida, e por pessoas que tenham comprometimento no metabolismo normal do iodo.

A iodopovidona na forma de solução hidroalcoólica, por conter álcool, não deve ser usada em feridas abertas ou em curativos oclusivos.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Flávia Costa - Farmacêutica, em dezembro de 2022.

Bibliografia

  • CHALLACOMBE, S. J.; et al. Povidone iodine. Br Dent J. 228. 9; 656-657, 2020
  • BIGLIARDI, P. L.; et al. Povidone iodine in wound healing: A review of current concepts and practices. Int J Surg. 44. 260-268, 2017
Mostrar bibliografia completa
  • BARRETO, R.; et al. Addressing the challenges in antisepsis: focus on povidone iodine. Int J Antimicrob Agents. 56. 3; 106064, 2020
  • LEPELLETIER, D.; et al. Povidone Iodine: Properties, Mechanisms of Action, and Role in Infection Control and Staphylococcus aureus Decolonization. Antimicrob Agents Chemother. 64. 9; e00682-20, 2020
  • NATULAB LABORATÓRIO S. A. PVPI iodopovidona 10%. Disponível em: <https://natulab.com.br/wp-content/uploads/2019/10/PVPI-2.pdf>. Acesso em 29 dez 2022
  • BEDNAREK, R .S.; NASSEREDDIN, A.; RAMSEY, M. L. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Skin Antiseptics. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK507853/>. Acesso em 29 dez 2022
Revisão clínica:
Flávia Costa
Farmacêutica
Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.