Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Alimentos ricos em oxalatos

Revisão clínica: Tatiana Zanin
Nutricionista
dezembro 2022

O oxalato, ou ácido oxálico, é uma substância encontrada em muitos vegetais, leguminosas, cereais e frutas como espinafre, beterraba, carambola, linhaça e cacau, e que não é digerida pelo organismo, sendo naturalmente eliminada pela urina.

No entanto, quando consumida em excesso, a concentração de oxalato na urina aumenta, contribuindo para a formação de pedra nos rins. Além disso, a ingestão em excesso de oxalato também dificulta a absorção de minerais como cálcio, zinco e magnésio.

Como o oxalato não é absorvido pelo organismo, é recomendado consumir esses tipos de alimentos com moderação para evitar a formação de pedras nos rins e, consequentemente, o surgimento de sintomas como dor intensa nas costas e dor ao urinar. Conheça outros sintomas de pedras nos rins.

Imagem ilustrativa número 3

Lista de alimentos ricos em oxalatos

Na tabela a seguir são indicados alguns alimentos ricos em oxalato e a quantidade dessa substância em 100 gramas de alimento:

Alimento

Quantidade de oxalatos em 100 g de alimento

Espinafre cru

650 mg

Ruibarbo cru ou cozido

748 mg

Beterraba

675 mg

Carambola

730 mg

Cacau em pó

623 mg

Broto de bambu

462 mg

Amêndoa assada

469 mg

Castanha de caju

262 mg

Avelã crua

222 mg

Nozes cruas

74 mg

Amendoim torrado

140mg

Pistache assado

49 mg

Feijão branco cozido

78 mg

Feijão preto cozido

72 mg

Soja cozida

56 mg

Farinha de trigo sarraceno

269 mg

Farinha de soja

183 mg

Cevada

56 mg

Farinha de trigo integral

67 mg

Milho

54 mg

Uma alimentação para evitar pedra nos rins, por exemplo, deve ter uma baixa ingestão de oxalatos diária, que não deve ultrapassar 40 a 50 mg/dia, o que corresponde a uma colher de sopa de beterraba por dia, por exemplo.

Além disso, a ingestão máxima recomendada de oxalato deve ser abaixo de 1500 mg, pois o consumo acima desta quantidade pode ser fatal.

Como diminuir o oxalato dos alimentos

Para diminuir a quantidade de oxalato dos alimentos é importante evitar comê-los crus, escaldando com água, fervendo e dispensando a primeira água de cozimento do espinafre, da beterraba e do broto de bambu, por exemplo.

Outro método para diminuir o oxalato dos alimentos é deixar os cereais como quinoa e amaranto, e as leguminosas como feijão, grão de bico e soja, de molho em água por 10 a 12 horas e, depois, descartar essa água antes de cozinhar ou assar.

Por último, comer alimentos com boas quantidades de cálcio, como leite, queijo e iogurtes, também diminui a absorção e aumenta a eliminação do oxalato pelas fezes.

Conheça, no vídeo a seguir, um pouco mais sobre os oxalatos:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Karla S. Leal - Nutricionista, em dezembro de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em dezembro de 2022.

Bibliografia

  • COZZOLINO, M, F, Silvia. Biodisponibilidade dos nutrientes. 5.ed. São Paulo, Brasil: Manole, 2016. 687-688.
  • SIENER, Roswitha et al. Oxalate content of cereals and cereal products. Journal of Agricultural and Food Chemistry. Vol.54. 8.ed; 3008-3011, 2006
Mostrar bibliografia completa
  • HIGASHIJIMA, Neide S.; LUCCA, Alessandra; REBIZZ, Luana R. et al. Fatores antinutricionais na alimentação humana. Segur. Aliment. Nutr., Campinas. Vol 27. 1-16, 2020
  • BENEVIDES, J, Clícia Maria et al. Fatores antinutricionais nos alimentos: uma revisão. Segurança Alimentar e Nutricional. Vol.18. 2.ed; 67-79, 2011
  • HIGASHIJIMA, Neide S.; LUCCA, Alessandra; REBIZZ, Luana R. et al. Fatores antinutricionais na alimentação humana. Segur. Aliment. Nutr., Campinas. Vol 27. 1-16, 2020
  • GORDIANO, Évellyn; TONDIN, Larissa M.; MIRANDA, Renata C. et al. Avaliação da ingestão alimentar e excreção de metabólitos na nefrolitíase. J Bras Nefrol. Vol 36. 4 ed; 437-445, 2014
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE UROLOGIA. Alimentação na prevenção da formação de cálculos renais. Disponível em: <http://sbu.org.br/pdf/folhetos/alimentacao_set_01.pdf>. Acesso em 09 fev 2021
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.

Tuasaude no Youtube

  • 5 HÁBITOS QUE DESTROEM OS TEUS RINS

    13:13 | 50458 visualizações
  • Dieta para cada Tipo de Pedra nos Rins

    05:26 | 208478 visualizações
  • Dieta para tratar a insuficiência renal

    04:11 | 492115 visualizações