Alimentação pós-parto: o que comer e o que evitar

A alimentação no pós-parto varia dependendo se a mulher amamenta ou não, mas deve ser, de forma geral, balanceada, incluindo vegetais, frutas, cereais integrais e proteínas magras, que vão ajudar na perda de peso e na prevenção de problemas comuns, como deficiências de vitaminas ou minerais, e até obesidade ou diabetes, por exemplo.

Para mulheres que amamentam, é importante que a dieta tenha mais de 1800 calorias diárias para ajudar na produção de leite materno. Além disso, a mãe deve evitar a ingestão de alguns alimentos, como café, bebidas alcoólicas ou alimentos crus, pois podem causar cólicas no bebê e outros desconfortos.

Caso a mulher não amamente, a alimentação não precisa ter tão alto teor de calorias, mas deve ser variada e equilibrada para ajudar na perda de peso no pós-parto e evitar problemas como prisão de ventre, obesidade ou diabetes.

Para uma alimentação balanceada e equilibrada no pós-parto, o ideal é realizar uma consulta com um nutricionista para avaliar as necessidades individuais e o estado de saúde da mãe.

Alimentação pós-parto: o que comer e o que evitar

O que comer no pós-parto

Embora não existam recomendações específicas sobre o que comer no pós-parto, ter cuidado com a alimentação evita a inflamação e ajuda a acelerar a cicatrização após o parto normal ou cesariano.

Assim, é recomendado que a dieta seja baseada e inclua alimentos cicatrizantes, como os ricos em proteínas, como tofu, leite e derivados ou ovos; alimentos fontes de ômega 3, como peixes e algas; e alimentos ricos em ferro, como frango e feijão, por exemplo, pois ajudam na formação de colágeno e facilitam a cicatrização da pele. Veja outros alimentos cicatrizantes para incluir na dieta.

Além disso, é importante priorizar a ingestão de alimentos antioxidantes, como cenoura, amora, tomate, rúcula, limão ou laranja, que ajudam na prevenção de inflamações que podem ocorrer após o parto. Conheça outros alimentos com propriedades antioxidantes.

A hidratação é outro cuidado muito importante na recuperação do pós-parto e pode ser feita através da ingestão de pelo menos 2 litros de água por dia, podendo incluir chás.

O que comer durante a amamentação

Durante a amamentação é importante que a mãe tenha uma alimentação variada e balanceada para ajudar na produção de leite, e evitar a desnutrição ou o excesso de peso.

Para isso, deve-se priorizar os seguintes alimentos:

  • Vegetais frescos, como chuchu, tomate, alface, abóbora, agrião, cebola ou aipo;
  • Frutas frescas, como manga, goiaba, banana, caqui, laranja, melão ou maçã;
  • Cereais integrais, como arroz integral, macarrão integral, milho ou quinoa;
  • Leguminosas, como feijão, ervilha, grão de bico ou lentilha;
  • Proteínas magras, como frango, tofu, ovo, peixes ou frutos do mar;
  • Laticínios, como leite, queijos ou iogurte;
  • Tubérculos, como aipim, batata, batata doce, cará ou batata baroa;
  • Gorduras saudáveis, como azeite, óleo de coco, sementes de chia ou de abóbora.

Esses alimentos são ricos em minerais, vitaminas, fibras e proteínas, importantes para prevenir carências nutricionais e ajudar no desenvolvimento do bebê. Caso a mãe perceba que algum alimento provoca cólicas no bebê, é importante comunicar ao médico e evitar consumi-lo.

Além disso, é importante beber bastante água para garantir a hidratação, uma vez que a água também é essencial para a produção do leite materno. Veja mais detalhes sobre como deve ser a alimentação da mãe durante a amamentação.

Alimentos a evitar no pós-parto

Alguns alimentos que podem atrapalhar a cicatrização ou contribuir para o excesso de peso no pós-parto e que, por isso, devem ser evitados, são:

  • Alimentos com alto teor de gordura, como frituras, pizza, bacon ou salgadinhos;
  • Açúcar refinado, como doces, refrigerantes, sucos prontos, sorvete ou chocolate;
  • Alimentos industrializados, como salgadinhos de pacote, biscoitos ou fast food;
  • Alimentos embutidos, como salame, linguiça, salsicha, presunto ou lombo.

Além disso, bebidas alcoólicas, como cerveja, vinho ou espumante também devem ser evitados, por conterem alto teor de calorias, podendo dificultar a perda de peso após o parto.

Alimentos a evitar durante a amamentação

Durante a amamentação, além dos alimentos ricos em gordura, com açúcar refinado, industrializado e embutidos, é importante evitar também os alimentos crus, como leite não pasteurizado, ostras, carnes ou peixes crus, pois podem causar infecções intestinais e prejudicar a produção de leite.

Além disso, é importante moderar o consumo de alimentos com cafeína, como chá verde, chá mate, chá preto ou café. Por isso, o café deve ser limitado a no máximo 2 xícaras por dia, por exemplo, pois a cafeína pode passar para o leite materno e provocar agitação e alterações no sono do bebê. Entenda mais sobre os alimentos que devem ser evitados na amamentação.

As bebidas alcoólicas, como vinho, espumante ou cerveja também não devem ser ingeridas durante a amamentação, pois o álcool pode passar para o leite materno, prejudicando a saúde do bebê.

Como emagrecer após o parto?

Durante a gravidez é normal que a mulher ganhe peso e que, após o parto, deseje emagrecer. Logo após o parto a mulher perde entre 4 a 5 kg e nas 6 semanas seguintes ao parto, tende a perder mais 1,5 a 3 Kg de peso corporal, referente aos líquidos que se acumularam no corpo durante a gestação.

O restante do peso leva cerca de 3 meses para ser perdido. No entanto, é importante lembrar que a perda de peso após o parto deve ser gradual, já que dietas muito restritivas podem favorecer a deficiência de vitaminas e minerais ou prejudicar a produção de leite nas mulheres que amamentam.

Por isso, para perder peso de forma equilibrada e saudável, é fundamental manter uma alimentação balanceada e praticar atividade física moderada, e de acordo com as orientações do médico. Veja algumas dicas de alimentação e exercícios para perder peso após o parto.

Veja com a nossa nutricionista como manter uma dieta para emagrecer de forma saudável no pós-parto:

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • COSTA, Cyndi et al. Atenção nutricional materno-infantil no puerpério. Ciência et Praxis. 11. 22; 23-29, 2018
  • CORREIA, Sandrina. Consumo de álcool durante a amamentação. Trabalho de Projeto para obtenção do Grau de Mestre em Saúde Pública, 2015. Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa.
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Álcool na amamentação: pode?. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/alcool-na-amamentacao-pode/>. Acesso em 26 Jan 2021
  • Associação Portuguesa dos Nutricionistas. Aleitamento Materno: Promover Saúde!. 2010. Disponível em: <https://www.apn.org.pt/documentos/ebooks/Aleitamento.pdf>.
  • SOUSA, M, Taciana. Nutrição no puerpério imediato: requerimento energético, oferta de consumo alimentar em uma maternidade de referência. Tese de mestrado em Nutrição, 2017. Universidade Federal de Minas Gerais.
  • ESCOLA DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Tempo de amor e adaptação - promoção de saúde da mulher no pós parto e do recém-nascido . 2016. Disponível em: <http://www.ee.usp.br/cartilhas/cartilha_puerperio.pdf>. Acesso em 15 Set 2021
Mais sobre este assunto: