Dieta para quem faz hemodiálise: 5 dicas importantes

Revisão clínica: Tatiana Zanin
Nutricionista
fevereiro 2022

Na dieta para hemodiálise, um tratamento indicado para filtrar o sangue, eliminando o excesso de toxinas, minerais e líquidos do corpo, é fundamental equilibrar a ingestão de proteínas, como ovo, peixe e frango, para repor esse nutriente que é perdido durante a diálise, evitando a perda de massa muscular e peso.

Além disso, é importante também controlar o consumo de sódio e de líquidos, como água, sucos ou chás para evitar a retenção de líquidos, que pode sobrecarregar os rins e favorecer o surgimento da pressão alta.

A dieta para quem faz hemodiálise varia de acordo com o estado de saúde atual, o peso corporal e as necessidades nutricionais individuais. Por isso, antes de iniciar a dieta, é recomendado passar por uma consulta com um nutricionista para que seja feito um plano alimentar personalizado.

As principais dicas de alimentação para quem está fazendo hemodiálise são:

1. Controlar a quantidade de proteínas

O consumo de proteínas, como frango, ovo, laticínios e peixe, na dieta para a hemodiálise deve ser aumentado, para evitar as perdas desse nutriente, que geralmente ocorre durante o tratamento, prevenindo, assim, a perda de massa muscular e de peso.

A ingestão de proteína varia de acordo com a função dos rins e o estado de saúde atual, sendo normalmente recomendado de 1,3 a 2 g de proteína / Kg de peso corporal por dia. Uma pessoa com 70 Kg deve consumir entre 91 e 140 g de proteína, o que corresponde a 200 g de sardinha assada + 1 ovo cozido + 100 g de queijo de ovelha, por exemplo.

2. Diminuir o consumo de potássio

De acordo com os níveis de potássio no sangue, pode ser necessário diminuir o consumo desse mineral para até 2,5 g por dia, pois o excesso de potássio no sangue pode gerar problemas, como fraqueza muscular e arritmia.

Por isso, a ingestão de alimentos ricos em potássio, como abacate, banana prata, água de coco, frutos secos, café solúvel e leguminosas deve ser controlada na dieta. Veja uma lista com outros alimentos ricos em potássio.

Para diminuir a quantidade de potássio dos alimentos, pode-se também consumir as frutas e os vegetais descascados e cozidos, pois o cozimento em água diminui o teor desse mineral nos alimentos. Veja outras dicas para diminuir a quantidade de potássio nos alimentos.

3. Diminuir a ingestão de sódio

Durante o tratamento de hemodiálise é fundamental diminuir a ingestão de sódio para evitar a retenção de líquidos e a pressão alta. Por isso, é recomendado que o consumo do mineral seja no máximo de 3 g por dia, o que equivale a 3 colheres de café rasas de sal.

Para diminuir a ingestão de sódio é importante não adicionar sal à comida, evitar alimentos ricos em sal, como enlatados, fast-food, temperos prontos e embutidos, e usar ervas, azeite e vinagre para temperar as refeições.

4. Controlar a ingestão de líquidos

Controlar a ingestão de líquidos, como água, chás, sopas, sucos e café, durante o tratamento de hemodiálise é importante, porque o excesso dessas bebidas pode provocar inchaço, contribuindo para o ganho de peso, falta de ar e pressão alta.

A quantidade de água recomendada durante o tratamento de hemodiálise é de 500 ml + o volume de urina em 24 horas por dia. Por exemplo, se o volume de urina em 24 horas for 500 ml, então a ingestão deverá ser de 500 ml + 500 ml, totalizando 1000 ml de líquidos por dia.

Para controlar a ingestão de líquidos, pode-se usar uma garrafa com medidas para medir a quantidade de água ou chá durante o dia. Além disso, evitar alimentos com muito sal e açúcar também ajudam a controlar a sede e a ingestão de líquidos ao longo do dia. Conheça outras sugestões para controlar a ingestão de líquidos.

5. Manter o consumo adequado de minerais

Durante o tratamento de hemodiálise é importante manter o consumo adequado de minerais, de acordo com os níveis sanguíneos, para evitar problemas como, anemia, fraturas e alterações nos batimentos do coração. Os minerais que devem ser consumidos de forma equilibrada são:

  • Fósforo: os níveis de fósforo no sangue podem estar elevados nesta fase, podendo provocar fragilidade nos ossos, fraturas, dor nas juntas, coceira no corpo e alteração dos batimentos do coração. Desta forma, é necessário controlar a ingestão de alimentos ricos em fósforo, como leite, queijo, feijão e frutos secos, sendo geralmente indicada a ingestão máxima de 1,2 g desse mineral por dia;
  • Ferro: durante as sessões de hemodiálise o organismo perde pequenas quantidades de sangue e, consequentemente, de ferro, podendo causar anemia. Por isso, muitas vezes o médico pode prescrever suplementos de ferro para prevenir anemia;
  • Cálcio: apesar de não ser necessário restringir o cálcio na dieta, a maioria dos alimentos fonte de cálcio também contêm fósforo. Por isso, para evitar a deficiência de cálcio, o médico também pode indicar o uso de suplementos com esse mineral;
  • Vitamina D: durante o tratamento de hemodiálise pode ser necessário também usar suplementos de vitamina D, sob a forma de comprimido ou injeção, para melhorar a absorção do cálcio.

Para evitar o excesso ou a carência de nutrientes no organismo, o médico e o nutricionista avaliam constantemente os níveis de vitaminas e minerais no sangue, contribuindo para a elaboração de um plano alimentar adequado às necessidades nutricionais e preferências individuais.

Veja com a nutricionista Tatiana Zanin outras recomendações da dieta durante o tratamento de hemodiálise:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em fevereiro de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • BRAZILIAN SOCIETY OF PARENTERAL AND ENTERAL NUTRITION. Diretriz BRASPEN de Terapia Nutricional no Paciente com Doença Renal. 2021. Disponível em: <https://www.asbran.org.br/storage/downloads/files/2021/07/diretriz-de-terapia-nutricional-no-paciente-com-doenca-renal.pdf>. Acesso em 07 dez 2021
  • ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS NUTRICIONISTAS. Manual de Nutrição e Doença Renal. 2017. Disponível em: <https://www.apn.org.pt/documentos/manuais/Manual_doenca_renal.pdf>. Acesso em 07 dez 2021
Mostrar bibliografia completa
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA. Orientações e tratamentos: orientações nutricionais para insuficiência renal. Disponível em: <https://www.sbn.org.br/orientacoes-e-tratamentos/orientacoes-nutricionais/>. Acesso em 07 dez 2021
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.

Tuasaude no Youtube

  • Dieta para tratar a insuficiência renal

    04:11 | 471020 visualizações