Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas de Adenite Bacteriana e como tratar

Adenite bacteriana, também conhecida como linfadenite ou íngua, é uma inflamação de um ou mais gânglios linfáticos, provocada por bactérias. Esta infecção pode surgir em qualquer local do corpo, sendo comum em áreas como pescoço, axila, virilha ou abdomen, e provoca o inchaço, vermelhidão, calor e dor no local.

Uma adenite bacteriana pode surgir em qualquer pessoa, sendo comum em crianças, e pode ser causada por diferentes tipos de bactérias, como Staphylococcus aureus, Streptococcus β-hemolítico do grupo-A, Y. enterocolitica, Y. pseudotuberculosis, Mycobacterium tuberculosis, Shigella sp ou Salmonella sp, por exemplo, e por isso, o seu tratamento é feito com a prescrição de antibióticos pelo médico.

Sintomas de Adenite Bacteriana e como tratar

Entretanto, deve-se lembrar que existem diversas outras causas para o aumento dos gânglios linfáticos, geralmente devido a uma reação do corpo a algum tipo de inflamação, que acontece por diversos motivos, desde um resfriado, uma infecção dentária, um ferimento da pele, ou até, mais raramente, por doenças imunes ou câncer, por exemplo. Confira mais detalhes sobre o que pode ser o gânglio linfático aumentado.

Principais sintomas

A adenite bacteriana causa uma intensa reação inflamatória no gânglio afetado, o que provoca o aumento do seu tamanho, que fica maior que 1 cm e pode, até, atingir o tamanho de um limão, além de ficar avermelhado, quente e doloroso, e de poder causar febre que chega até a 40ºC.

Geralmente, a adenite surge na região cervical, axilar ou da virilha, onde são mais comuns, mas também podem surgir em regiões mais internas do organismo, atingindo linfonodos mesentéricos, intestinais, estomacais ou mediastinais, por exemplo, causando febre, dor abdominal, vômitos e diarréia, sendo mais difícil de identificar.

Como é feito o tratamento

O tratamento para adenite bacteriana é feito com o uso de antibióticos orais, como Amoxaciclina, Cefalexina ou Clindamicina, por exemplo, escolhidos pelo médico de acordo com a suspeita de qual tipo de bactéria causa a infecção. Caso haja dúvida, o médico também poderá solicitar exames de aspirado ou biópsia do gânglio afetado, para confirmar a suspeita e para saber se a bactéria é sensível ao princípio ativo do medicamento.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...