Ácido acetilsalicílico (AAS): para que serve e como tomar

Atualizado em dezembro 2022

O ácido acetilsalicílico, também conhecido como AAS, é um anti-inflamatório não esteroide que além de propriedades anti-inflamatórias, tem ação antitérmica, analgésica e anticoagulante.

Normalmente, o ácido acetilsalicílico é indicado para reduzir o risco de infarto agudo do miocárdio e AVC, por exemplo. No entanto, também pode ser indicado para aliviar sintomas como dor e febre, devendo ser utilizado apenas com orientação médica.

O ácido acetilsalicílico é encontrado em farmácias com nomes como Aspirina, AAS adulto, AAS Protect, AAS infantil ou Melhoral infantil. Além disso, também pode estar presente em alguns medicamentos antigripais ou para enxaqueca em combinação com cafeína ou vitamina C, como o CafiAspirina ou Vitergyl C.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

O ácido acetilsalicílico, devido sua ação anti-inflamatória, é indicado para alívio da dor de intensidade leve a moderada, como:

  • Dor de cabeça;
  • Dor de dente;
  • Dor de garganta;
  • Cólica menstrual;
  • Dor muscular;
  • Dor nas articulações;
  • Dor nas costas;
  • Dor da artrite;
  • Dor ou febre em caso de resfriados ou gripes.

Além disso, o ácido acetilsalicílico também pode ser usado como anticoagulante, o que evita a formação de trombos ou coágulos que podem causar complicações cardíacas. Por isso, em alguns casos o cardiologista poderá receitar esse remédio para prevenir infarto, AVC, ataques isquêmicos transitórios (AIT), angina do peito, tromboembolismo após cirurgia, trombose venosa profunda ou embolia pulmonar.

Como tomar

O ácido acetilsalicílico deve ser tomado por via oral, com um copo de água e, de preferência, após uma refeição para reduzir a irritação no estômago.

As doses do ácido acetilsalicílico dependem da condição a ser tratada e da idade da pessoa, e incluem:

  • Adultos para prevenção de doenças cardiovasculares (Aspirina Prevent 100 ou 300 mg ou AAS Protect 100 mg): as doses recomendadas pelo médico podem variar de 100 a 300 mg por dia;
  • Adultos para dor ou febre (Aspirina 500 mg ou AAS adulto 500 mg): as doses normalmente recomendadas pelo médico são de 1 a 2 comprimidos de 500 mg a cada 4 a 8 horas. A dose diária máxima por dia é de 8 comprimidos de 500 mg;
  • Crianças com mais de 12 anos para dor ou febre (Aspirina 500 mg ou AAS 500 mg): a dose normalmente recomendadas pelo médico é de 1 comprimido de 500 mg até 3 vezes por dia.

Para crianças com menos de 12 anos, as doses do ácido acetilsalicílico devem ser orientadas pelo pediatra, de acordo com a idade e o peso corporal, e pode ser com os nomes comerciais AAS infantil 100 mg ou Melhoral infantil 85 mg.

É importante ressaltar que o ácido acetilsalicílico deve ser usado somente com indicação médica, nas doses e pelo tempo de tratamento orientado pelo médico, de forma individualizada de acordo com a condição a ser tratada.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com o ácido acetilsalicílico incluem náuseas, vômitos, diarréia, azia ou dor de estômago.

Além disso, o uso prolongado do ácido acetilsalicílico pode causar úlcera gástrica ou uma condição chamada salicilismo, que pode ser percebida através de sintomas como tontura, zumbido no ouvido, dor de cabeça ou confusão mental.

O ácido acetilsalicílico pode causar efeitos colaterais graves que necessitam de atendimento médico imediato. Por isso, deve-se procurar ajuda médica ou o pronto socorro mais próximo no caso do surgimento de sintomas como sangramento no nariz, nas gengivas ou na região íntima, dor ou desconforto gastrointestinal.

É aconselhado procurar ajuda médica imediatamente ou o pronto-socorro mais próximo se surgirem sintomas de alergia ao ácido acetilsalicílico como dificuldade para respirar, sensação de garganta fechada, inchaço na boca, língua ou rosto, ou urticária. Saiba reconhecer os sintomas de reação alérgica grave.

Quem não deve tomar

O ácido acetilsalicílico não deve ser tomado nos casos de dengue ou por pessoas que tenham alergia ao ácido acetilsalicílico, a salicilatos ou a outro componente dos comprimidos.

Além disso, esse remédio não deve ser tomado nas seguintes situações:

  • Tendência para sangramentos;
  • Crise de asma induzida pela administração de salicilatos ou outros anti-inflamatórios não esteroides;
  • Úlceras do estômago ou do intestino ativas;
  • Histórico de úlceras no estômago ou intestino;
  • Insuficiência renal, hepática ou cardíaca grave;
  • Tratamento com metotrexato em doses superiores a 15 mg por semana;
  • Tratamento com outros anticoagulantes orais.

O ácido acetilsalicílico não deve ser usado durante a gravidez, a menos que recomendado pelo médico. Para crianças com menos de 12 anos, o uso do ácido acetilsalicílico infantil também só deve ser feito com indicação do pediatra.

Além disso, este medicamento não deve ser tomado juntamente com álcool, pois aumenta o risco de sangramentos.

É importante informar ao médico todos os remédios que se utiliza pois o ácido acetilsalicílico pode ter seu efeito aumentado ou diminuído quando utilizado com outros medicamentos.