Zumbido no ouvido: 9 principais causas e o que fazer

O zumbido no ouvido, também conhecido por tinnitus,acontece quando a pessoa consegue escutar constantemente um som ou um barulho incômodo, que pode vir na forma de chiados, apitos, cigarra, cachoeira, cliques ou estalos. Esses barulhos podem ser leves, ouvidos somente durante o silêncio, ou mais intensos a ponto de persistirem durante todo o dia.

O zumbido pode acontecer em todas as pessoas, no entanto é mais frequente em idosos, sendo causado, principalmente, por lesões no interior do ouvido, devido a situações como ouvir ruídos ou música alta, infecções do ouvido, traumatismos na cabeça, intoxicação por remédios ou pelo próprio envelhecimento, por exemplo.

Além disso, é preciso estar atento aos sintomas que podem acompanhar zumbido no ouvido como tontura, perda de equilíbrio ou perda auditiva e consultar o otorrinolaringologista, para que sejam feitos exames e indicado o tratamento mais adequado que pode incluir a remoção de cera pelo médico, o uso de antibióticos para tratar uma possível infecção ou cirurgia para corrigir defeitos no ouvido, por exemplo.

Zumbido no ouvido: 9 principais causas e o que fazer

As principais causas de zumbido no ouvido são:

1. Excesso de cera

O excesso de cera no ouvido pode causar entupimento do canal auditivo e surgimento do zumbido no ouvido e de outros sintomas como dificuldade para ouvir, dor ou coceira no ouvido, ou tontura, por exemplo.

A cera produzida pelo ouvido tem função de proteção contra umidade, infecções, traumas ou entrada de corpos estranhos, no entanto algumas infecções no ouvido, ou mesmo o envelhecimento natural do corpo podem aumentar a produção ou causar um endurecimento da cera, provocando o entupimento do canal auditivo.

O que fazer: deve-se consultar o otorrinolaringologista para fazer uma limpeza no ouvido e se, necessário, o médico pode indicar uso de remédio em gotas para evitar a formação excessiva da cera ou uso de antibióticos para tratar a infecção. Nunca se deve usar o cotonete para tentar tirar a cera pois pode empurrar a cera para dentro do ouvido e causar perda da audição. 

2. Exposição a sons muito altos

A exposição a sons muito altos, como ouvir música alta frequentemente, principalmente com fones de ouvido, ou ir a algum concerto ou show, pode danificar as células ciliadas que revestem os ouvidos, causando o zumbido no ouvido, que geralmente melhora em até 48 horas. No entanto, em alguns casos, o zumbido pode durar 1 ou 2 semanas.

O que fazer: deve-se consultar o otorrinolaringologista para avaliar a audição, caso o zumbido no ouvido após som alto não melhore em 48 horas ou seja acompanhado de outros sintomas como perda da audição ou tontura, por exemplo. 

3. Infecção no ouvido

A infecção no ouvido pode ser causada por bactérias, fungos ou vírus, levando a uma alteração na pressão do ouvido por acúmulo de líquidos no ouvido médio, localizado atrás do tímpano, causando zumbido no ouvido, dor, sensação de pressão nos ouvidos e até formação de pus.

Quando é causado por infecção, o zumbido no ouvido pode ser acompanhado de febre, vermelhidão ou presença de líquido amarelo ou branco no ouvido, por exemplo. 

O que fazer: pode-se aplicar uma compressa quente no ouvido afetado para aliviar a dor ou o desconforto e deve-se fazer uma avaliação com otorrinolaringologista para iniciar o tratamento, que geralmente, é feito com o uso de antibióticos em gotas, aplicados diretamente no ouvido afetado. Confira todas as opções de tratamento para a infecção no ouvido.  

4. Labirintite

A labirintite é uma inflamação ou infecção que afeta o labirinto, localizado no ouvido interno, que quando está inflamado pode causar zumbido, além de outros sintomas como tontura, náusea, falta de equilíbrio ou mal estar geral. Esta inflamação no ouvido pode ser causada por infecções por vírus, diabetes, pressão alta ou até mesmo por fatores emocionais como estresse, ansiedade ou depressão, por exemplo.

Geralmente, pessoas que já tiveram labirintite podem voltar a ter crises de vez em quando com sintomas que surgem de forma repentina e intensa, mas que podem desaparecer em poucos minutos ou horas.

O que fazer: deve-se descansar o máximo possível e realizar o tratamento indicado pelo otorrinolaringologista que deve incluir remédios como betaistina, por exemplo, que podem ajudar a melhorar a circulação sanguínea do ouvido e diminuir o zumbido. Nos casos de labirintite por infecção pode ser necessário o uso de antibióticos prescritos pelo médico. Além disso, pode ser receitado pelo médico remédios ansiolíticos ou antidepressivos para tratar a labirintite emocional. Veja outras formas de tratar o zumbido no ouvido causado pela labirintite.

5. Disfunção temporomandibular

A disfunção temporomandibular é outra causa do zumbido no ouvido e ocorre devido a uma alteração na articulação que liga o maxilar à mandíbula, por apertar muito os dentes durante o sono ou por uma pancada na região da articulação. Além disso, outros fatores podem contribuir para o surgimento da disfunção temporomandibular, como alterações do estado emocional ou fatores genéticos, por exemplo. 

Essa articulação é responsável pelo movimento de abrir e fechar a boca, e quando tem alguma alteração pode causar o zumbido no ouvido, dor de cabeça ou dor na mandíbula e rosto, especialmente ao abrir e fechar a boca.

O que fazer: aplicar compressas mornas na região do ouvido e da articulação para ajudar a reduzir a dor e o desconforto. No entanto, é também importante consultar o dentista para fazer o tratamento mais adequado que pode incluir remédios anti-inflamatórios ou analgésicos, e até o uso de uma placa dentária de acrílico ou cirurgia na articulação. Veja todas as opções de tratamento para a disfunção temporomandibular.  

6. Doenças crônicas

Algumas doenças crônicas como obesidade, diabetes, pressão alta, artrite reumatóide, esclerose múltipla, lupus, AVC ou problemas da tireóide como hipertireoidismo, por exemplo, podem causar zumbido no ouvido. 

O que fazer: deve-se fazer o tratamento indicado pelo médico para a doença específica que pode estar desencadeando o zumbido no ouvido. Além disso, uma dieta com alimentos anti-inflamatórios como brócolis, salmão ou laranja, pode ajudar a aliviar ou evitar o surgimento do zumbido. Confira a lista completa de alimentos anti-inflamatórios.

7. Alterações na estrutura do ouvido

O zumbido no ouvido também pode ser causado por alterações nas estruturas do ouvido, principalmente malformação dos vasos sanguíneos, fazendo com que o sangue circule pelos vasos sanguíneos com mais força, causando o zumbido. 

Além disso, também pode ocorrer enrijecimento dos ossos do ouvido, chamada de otosclerose, ou espasmos nos músculos do ouvido, por exemplo, levando ao surgimento do zumbido ou até perda da audição.

O que fazer: é recomendado consultar o otorrinolaringologista que deve solicitar exames como audiometria ou impedanciometria para confirmar o diagnóstico e indicar o tratamento que pode ser feito com a colocação de aparelho auditivo ou cirurgia, por exemplo.

8. Uso de remédios tóxicos para o ouvido

Alguns remédios podem ter um efeito tóxico para os ouvidos, pois podem causar danos no ouvido ou nos nervos que controlam a audição, levando ao surgimento do zumbido no ouvido.

Os principais remédios que podem ser tóxicos para os ouvidos incluem anti-inflamatórios como ácido acetilsalicílico ou ibuprofeno, quimioterápicos como cisplatina ou vincristina, antibióticos como ciprofloxacino ou eritromicina, ou diuréticos como furosemida ou bumetanida, por exemplo.

O que fazer: deve-se consultar o médico que prescreveu o remédio que está causando intoxicação no ouvido, para que seja feita avaliação do tratamento e, se necessário, trocar o remédio por outro que não seja tóxico para os ouvidos e não cause o zumbido.

9. Tumores no cérebro ou no ouvido

A presença de um tumor no cérebro ou no ouvido, como o neuroma acústico, que é um tipo de tumor benigno, pode causar zumbido que pode afetar um ou os dois ouvidos, e geralmente é acompanhado de outros sintomas como dor ou sensação de formigamento ou dormência no ouvido ou no rosto, dor de cabeça, tontura ou perda do equilíbrio. 

Além disso, o câncer nasofaríngeo, um tipo de tumor maligno que afeta a parte de trás das narinas e a boca, também pode causar zumbido ou infecção no ouvido e até perda da audição.

Geralmente, além do zumbido no ouvido, alguns sinais que podem indicar um tumor no cérebro ou no ouvido são náuseas, vômitos, alterações na visão ou até convulsões.

O que fazer: caso exista suspeita de um tumor deve-se consultar o otorrinolaringologista que deve solicitar exames como ressonância magnética, tomografia computadorizada ou biópsia para confirmar o diagnóstico e identificar o tipo de tumor. Ao confirmar o diagnóstico, o otorrinolaringologista deve encaminhar a pessoa para realizar o tratamento com um oncologista, que poderá indicar diferentes tipos de tratamento, desde cirurgia, radioterapia ou quimioterapia. Veja outros tipos de tratamento para tumores no cérebro.  

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • Ektor Tsuneo Onishi. et al.. Tinnitus and sound intolerance: evidence and experience of a Brazilian group. Jornal Brasileiro de Otorrinolaringologia. Vol. 84. Núm. 2. pp. 135-149 (Março - Abril 2018)
  • ESMAILI, A. A.; RENTON, J. A review of tinnitus. . Aust J Gen Pract. 47. 4; 205-208, 2018
  • LANGGUTH, B.; et al. Tinnitus: causes and clinical management. Lancet Neurol. 12. 9; 920-930, 2013
  • LEVINE, R. A.; ORON, Y. Tinnitus. Handb Clin Neurol. 129. 409-31, 2015
  • PATTYN, T.; et al. Tinnitus and anxiety disorders: A review. Hear Res. 333. 255-265, 2016
  • LANGGUTH, B. . Treatment of tinnitus. Curr Opin Otolaryngol Head Neck Surg. 23. 5; 361-8, 2015
  • BEEBE, Palumbo D, Joos K, De Ridder D, Vanneste S. . The Management and Outcomes of Pharmacological Treatments for Tinnitus. Curr Neuropharmacol. 13. 5; 692-700, 2015
Mais sobre este assunto: