Otosclerose: o que é, sintomas, causas e tratamento

Atualizado em janeiro 2024

Otosclerose é o crescimento ou remodelação anormal de um dos ossinhos do ouvido, resultando em interferência na propagação do som e sintomas, como perda gradual da audição, vertigem ou perda do equilíbrio.

Essa condição pode afetar qualquer ossinho do ouvido como martelo, estribo ou bigorna, porém é mais comum no estribo, ou ainda a cóclea no ouvido interno, e geralmente é causado por fatores genéticos ou doenças virais, como sarampo.

O tratamento da otosclerose, também conhecida como otospongiose, é feito pelo otorrinolaringologista que pode indicar o uso de remédios bisfosfonatos, uso de aparelhos auditivos ou cirurgia.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de otosclerose

Os principais sintomas de otosclerose são:

  • Perda gradual da audição;
  • Zumbido no ouvido;
  • Vertigem ou tontura;
  • Perda do equilíbrio.

Esses sintomas podem surgir em um ou nos dois ouvidos, podendo afetar pessoas em qualquer idade, sendo mais comum em mulheres do que em homens.

É importante consultar o otorrinolaringologista, se surgirem sintomas de otosclerose, para que seja diagnosticada e iniciado o tratamento mais adequado.

Leia também: Zumbido no ouvido: 9 principais causas (e o que fazer) tuasaude.com/zumbido-no-ouvido

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da otosclerose é feito pelo otorrinolaringologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde e exame físico do ouvido.

Marque uma consulta com um otorrinolaringologista na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Otorrinolaringologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Além disso, para avaliar a perda auditiva, o médico pode solicitar exames como audiometria ou timpanometria, além de tomografia computadorizada para verificar as estruturas do ouvido. Saiba como é feita a audiometria.

Esses exames ajudam a confirmar o diagnóstico da otosclerose e descartar condições com sintomas semelhantes, como otite média serosa ou adesiva, timpanosclerose ou doença de Ménière, por exemplo. 

Possíveis causas

A otosclerose ocorre devido a uma remodelação de um dos ossinhos do ouvido médio, como martelo, bigorna ou estribo, ou a cóclea no ouvido interno, que perdem sua capacidade de vibrar para propagar os sons, resultando nos sintomas.

A causa exata da otosclerose ainda não é completamente conhecida, mas alguns fatores podem aumentar o risco do seu desenvolvimento, como:

  • Condições anatômicas, como restos da cartilagem embrionária;
  • Histórico familiar de otosclerose;
  • Gênero, sendo mais comum em mulheres;
  • Idade, sendo mais comum após os 20 ou 30 anos;
  • Etnia, afetando com mais frequência a população asiática;
  • Infecções virais, como sarampo;
  • Osteogênese imperfeita.

Além disso, outros fatores que podem aumentar o risco ou piorar a otosclerose são gravidez e menopausa traumas ou cirurgias no ouvido.

Leia também: Perda auditiva: o que é, sintomas, causas e tratamento tuasaude.com/perda-auditiva

Como é feito o tratamento

O tratamento da otosclerose deve ser feito com orientação do otorrinolaringologista, com o objetivo de interromper o crescimento do ossinho e evitar a evolução da doença.

Assim, podem ser indicados pelo médico o uso de remédios, como bisfosfonatos ou fluoreto de sódio, ou uso de aparelhos auditivos.

Nos casos mais graves, o médico pode indicar a realização de uma cirurgia, chamada estapedotomia ou estapedectomia, que é feita com a retirada do ossinho estribo e colocação de uma prótese no lugar para restaurar a audição.

Outra opção de tratamento que o médico pode indicar é a colocação de um implante coclear, quando a otosclerose afeta a cóclea no ouvido interno. Entenda como é feito a cirurgia de implante coclear.