Vasculite: o que é, causas, sintomas e tratamento

agosto 2022
  1. Sintomas
  2. Tipos
  3. Causas
  4. Tratamento

A vasculite é a inflamação dos vasos sanguíneos, que pode afetar somente um ou vários vasos, e até mesmo diferentes órgãos do corpo.

A principal consequência da vasculite é a redução ou bloqueio do fluxo sanguíneo no vaso afetado, o que pode resultar em falta de oxigênio para a área afetada.

Sempre que existe suspeita de vasculite é muito importante ir ao hospital ou consultar um clínico geral ou um angiologista, que é o médico especialista em vasos sanguíneos. O tratamento varia de acordo com a causa, mas por norma é feito com remédios corticoides para diminuir a inflamação e evitar o surgimento de lesões nas áreas afetadas.

Manchas de vasculite na pele
Manchas de vasculite na pele

Principais sintomas

A vasculite causa sintomas diferentes de acordo com a região ou o órgão afetado pela doença:

  • Pele: manchas arroxeadas que aparecem em grupos e pode levar ao rompimento da pele, formigamento ou perda da sensibilidade da região;
  • Nariz e ouvidos: sinusites recorrentes, hemorragias nasais, úlceras nasais ou otites recorrentes, surdez temporária, voz rouca, dor nasal;
  • Rim: presença de proteínas e/ou de sangue na urina, hipertensão arterial, membros e face inchados, urina turva;
  • Intestino: dor abdominal frequentemente depois das refeições, aparecimento de sangue nas fezes;
  • Pulmão: tosse com sangue, falta de ar, chiado ao respirar, pneumonia resistente à antibióticos;
  • Articulações: dores, inchaço, calor, vermelhidão e dificuldade em movimentar as articulações;
  • Olhos: dificuldade na visão, visão dupla ou turva, dor no olho ou olho vermelho;
  • Nervos dos membros: fraqueza muscular, formigamento, paralisia.

Outros sintomas que também podem estar presentes na vasculite são emagrecimento sem causa aparente, dor no corpo recorrente, cansaço extremo, perda de apetite, mal-estar e febre.

Caso exista suspeita de estar com vasculite, é importante procurar atendimento médico o mais rápido possível, pois a vasculite pode danificar gravemente órgãos como, pulmão ou rins.

Tipos de vasculite

A vasculite pode ser classificada de acordo com suas causas e sintomas:

  • Vasculite primária: os sintomas podem aparecem em pessoas saudáveis, sem histórico de doenças;
  • Vasculite secundária: os sintomas aparecem em pessoas que foram diagnosticadas com alguma doença, como lúpus eritematoso, doença de Buerger, púrpura de schönlein-henoch.

O diagnóstico dos dois tipos de vasculite é feito por meio de exames laboratoriais de sangue e de imagem, sendo importante para que o médico verifique a gravidade da doença e indique o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da vasculite normalmente é feito pelo angiologista após a analise do histórico de doenças da pessoa, e em alguns casos exames laboratoriais como detecção de anticorpos anti-citoplasma (ANCA), exame de urina, eletrólitos, creatinina, exame de sangue completo ou exame FAN. Entenda o que é o exame FAN e como é feito.

Nos casos em que se suspeita que a vasculite tenha atingido algum órgão, também pode ser necessária a realização de exames para avaliar a função dos órgãos afetados, como ressonância magnética, ultrassom ou tomografia computadorizada, além de biópsia.

Possíveis causas

As causas da vasculite não são totalmente claras, mas na maioria dos casos parece estar relacionada a uma doença autoimune. Por isso, acredita-se que a predisposição genética é um dos fatores importantes para a manifestação de vasculite. A vasculite pode também ser causada por efeitos colaterais de algum medicamento, como Penicilamina, Propiltiouracil, Hidralazina, Minociclina ou exposição à sílica.

Existem ainda alguns fatores que parecem aumentar o risco de desenvolver vasculite, como fazer uso de cocaína ou anfetaminas, ter o vírus da hepatite B, C ou o parvovírus B19.

Como é feito o tratamento

O tratamento das diferentes formas de vasculite é realizado de acordo com a causa da inflamação e da a gravidade do quadro. Em alguns casos o tratamento é feito com remédios corticoides, como a hidrocortisona, dexametasona, mometasona ou betametasona, por exemplo, além de imunossupressores como azatioprina, ciclofosfamida ou micofenolato. Confira quais os tipos de corticoides e para que servem.

No entanto nas vasculites graves, que afetam órgãos, pode ser necessário internamento no hospital e até cirurgia para restabelecer o fluxo de sangue no vaso afetado.

Junto com o tratamento com remédios, a prática de exercícios físicos leves, repouso adequado, alimentação saudável e redução dos níveis de estresse tem se mostrado importante e com ótimos resultados para tratar a vasculite.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em agosto de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • IMBODEN, J.B. et al. CURRENT reumatologia: diagnóstico e tratamento. 3 ed. Porto Alegre: AMGH, 2014. p. 245-249.
  • NIH. Vasculitis Syndromes of the Central and Peripheral Nervous Systems Fact Sheet. Disponível em: <https://www.ninds.nih.gov/Disorders/Patient-Caregiver-Education/Fact-Sheets/Vasculitis-Syndromes-Central-and-Peripheral>. Acesso em 29 jul 2020
Mostrar bibliografia completa
  • NHLBI. Vasculitis. Disponível em: <https://www.nhlbi.nih.gov/health-topics/vasculitis>. Acesso em 29 jul 2020
  • NIH. Hypersensitivity vasculitis. Disponível em: <https://rarediseases.info.nih.gov/diseases/7851/hypersensitivity-vasculitis>. Acesso em 29 jul 2020
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.