Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é Vasculite

A vasculite, também chamada de Angeíte, é a inflamação das paredes dos vasos sanguíneos que pode afetar somente um vaso ou pode ser grave e afetar diversos vasos e até mesmo diferentes órgãos e sistemas do corpo. A principal consequência da vasculite é a interrupção do fluxo sanguíneo do vaso afetado que pode resultar em uma isquemia e, por isso, deve ser tratada o quanto antes.

Como qualquer vaso sanguíneo do corpo pode ser afetado, a vasculite pode gerar sintomas muito diferentes, relacionados com a região afetada pela doença ou o órgão que foi comprometido.

A vasculite pode ainda ser um dos sintomas de doenças, como eritema nodoso, púrpura de schönlein-henoch, doença de Buerger, periarterite nodosa, arterite temporal ou doença do soro e, neste caso, é necessário tratar a doença de base para que a cura da vasculite seja alcançada.

Fotos da vasculite

O que é Vasculite
O que é Vasculite

Quais os sintomas

Os sintomas clássicos da vasculite, geralmente, são:

  • Manchas vermelhas na pele, que é sinal de extravasamento de sangue;
  • Sensação de formigamento ou perda da sensibilidade da região afetada pela vasculite;
  • Dor nas articulações próximas à região afetada pela doença.

Outros sintomas que também podem estar presentes na vasculite são:

  • Febre;
  • Perda do apetite;
  • Mal-estar;
  • Emagrecimento de 4 kg ou mais sem causa aparente;
  • Dor abdominal;
  • Cansaço.

De acordo com o local da vasculite, ela pode ainda gerar sintomas como:

  • Crostas nasais, sinusite, dor nasal, surdez, voz rouca quando afeta ouvidos, olhos e garganta;
  • Tosse, chiado ao respirar, tosse com sangue, falta de ar, pneumonia resistente à antibióticos, quando afeta o sistema respiratório;
  • Dor, vermelhidão, comprometimento da visão, quando afeta os olhos.
  • Dor abdominal, quando afeta o trato gastrointestinal;
  • Urina turva, urina com sangue ou presença de proteínas na urina, quando afeta os rins;
  • Parestesia e fraqueza, quando afeta o sistema nervoso;
  • Doenças cardíacas e infarto, quando afeta o coração.

Possíveis causas

As causas da vasculite ainda não são totalmente esclarecidas, mas sabe-se que ela pode ocorrer devido ao uso de drogas, como cocaína ou anfetaminas, presença  vírus da hepatite B ou C, em indivíduos que possuem poliartrite nodosa ou parvovírus B19, como ocorre na granulomatose de Wegener, e doença de Kawasaki, reação de hipersensibilidade, predisposição genética e falha na regulação de mecanismos imunológicos que participam da resposta a alguns causadores de alergia.

Além disso, a vasculite pode ainda ser causada por efeitos colaterais de algum medicamento, como Penicilamina, Propiltiouracil, Hidralazina e Minociclina ou exposição à sílica.

O que é Vasculite

Como é feito o diagnóstico

Para o diagnóstico da vasculite, deve-se associar o histórico do indivíduo, os sintomas apresentados e recomenda-se que se façam alguns exames, tais como:

  • Exame de sangue completo; 
  • Velocidade de hemossedimentação;
  • Coagulograma;
  • Ureia, eletrólitos, creatinina e clearance de creatinina;
  • Testes da função hepática, como avaliação da proteína C reativa;
  • Eletroforese de proteínas e imunoglobulinas;
  • Medição dos anticorpos ANCA, FAN e ENA;
  • Fator reumatoide;
  • Complemento C3 e C4;
  • Anticorpo anticardiolipina;
  • Crioglobulinas;
  • Testes da hepatite B e C;
  • Exame de urina e urocultura;
  • Radiografia de tórax.

Além destes exames, o médico pode ainda solicitar outros exames para avaliar a função dos órgãos afetados pela doença, como ressonância magnética, ultrassom ou tomografia computadorizada, além da avaliação do médico especialista. Estes exames são necessários para poder certificar-se sobre a vasculite e poderão auxiliar na sua classificação, sendo muito importante para o tratamento da doença.

Quais os tipos de vasculite

Os tipos existentes de vasculite são:

Vasculite de pequenos e microscópicos vasos

Vasculite de Churg-strauss ou granulomatose alérgica;
Púrpura de schönlein-henoch​;
Poliangeíte microscópica: vasculite necrosante
Crioglobulinemia mista;
Vasculite leucocitoclástica cutânea isolada ou secundária a doenças do tecido conectivo;
Doença de Behçet;
Granulomatose de Wegener.

Vasculite de vasos de médio e pequeno calibre

Poliarterite nodosa;
Doença de Kawasaki;
Vasculite primária do SNC - sistema nervoso central;
Doença de Buerger ou Tromboangeíte obliterante.

Vasculite de grande vasos

Arterite de Takayasu;
Arterite temporal ou arterite de células gigantes.

Como é feito o tratamento

O tratamento das diferentes formas de vasculites deve ser realizado de acordo com a natureza e a severidade do quadro clínico. É importante realizar o diagnóstico da doença e classificá-la corretamente para que o tratamento seja bem direcionado.

Em alguns casos, o médico poderá receitar a toma de corticoides e imunossupressores, mas nas vasculites graves que afetam órgãos e sistemas, o indivíduo deverá permanecer internado no hospital para que receba o tratamento adequado.

Vasculite tem cura?

A vasculite nem sempre tem cura, pois em alguns casos a doença pode ser autoimune e, neste caso, o indivíduo deverá seguir o tratamento proposto por toda a vida. A cura da doença vai sempre depender do que a originou.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar