Tuberculose óssea: o que é, sintomas, causa e tratamento

A tuberculose óssea é um tipo de tuberculose extrapulmonar em que a bactéria Mycobacterium tuberculosis espalha-se na corrente sanguínea e instala-se nos ossos e articulações, principalmente na coluna, quadril e joelho, levando ao aparecimento de alguns sintomas como dor no local em que a bactéria está devido à perda de massa óssea, rigidez na articulação e dificuldade de movimento.

A tuberculose óssea é mais comum de acontecer em crianças e idosos, sendo importante que a infecção seja identificada logo que surgirem os primeiros sinais e sintomas, pois assim é possível iniciar o tratamento logo em seguida, que é feito com antibióticos, e prevenir possíveis complicações.

Tuberculose óssea: o que é, sintomas, causa e tratamento

Sintomas de tuberculose óssea

Os sintomas de tuberculose óssea surgem à medida que a bactéria provoca a perda de massa óssea e inflamação das articulações, sendo os principais:

  • Dor na coluna, articulação do quadril ou do joelho, que piora progressivamente;
  • Dificuldade no movimento, ao dobrar a perna ou caminhar mancando;
  • Inchaço no joelho, quando este encontra-se afetado;
  • Diminuição da massa muscular da perna afetada;
  • Pode haver febre baixa.

Nos casos em que a tuberculose óssea não é identificada e tratada corretamente, é possível que surjam complicações como deformidade óssea, fadiga, encurtamento da perna, que pode favorecer a escoliose e até mesmo a paralisia.

Para prevenir as complicações da tuberculose óssea é importante que o ortopedista ou clínico geral seja consultado para que possam ser feitos exames que ajudem a confirmar a presença da bactéria e a gravidade da doença. Assim, pode ser indicada a realização de raio-x, ressonância magnética e ultrassom, além de biópsia do líquido sinovial ou do osso afetado.

Causa da tuberculose óssea

A tuberculose óssea é causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, também conhecida como bacilo de Koch, e a infecção acontece quando a pessoa inspira partículas suspensas no ar contendo a bactéria que foram liberadas quando uma pessoa com tuberculose pulmonar fala, espirra ou tosse.

Inicialmente, a bactéria entra pelas vias respiratórias mas logo chega ao sangue e se espalha pelo organismo, chegando aos ossos, principalmente coluna, quadril e joelho e levando ao aparecimento dos sintomas.

Em alguns casos, a tuberculose óssea pode ser também consequência da reativação de uma tuberculose pulmonar que não foi tratada corretamente, assim a bactéria pode chegar mais facilmente nos ossos, principalmente coluna, sendo essa situação conhecida como mal de Pott. Conheça mais sobre o mal de Pott.

Tuberculose óssea: o que é, sintomas, causa e tratamento

Como é feito o tratamento

O tratamento da tuberculose óssea deve ser feito de acordo com a orientação do médico sendo indicado o uso de uma combinação de antibióticos para promover a eliminação da bactéria, sendo importante usar esses medicamentos mesmo que os sintomas tenham desaparecido.

Além disso, pode também ser indicada a realização de fisioterapia para diminuir a dor e o desconforto gerado, aumentando livre movimentação das articulações e fortalecendo a musculatura. A fisioterapia pode ser realizada 2 a 5 vezes por semana e podem ser usados recursos eletroterapêuticos, mobilização articular, exercícios de alongamento e de fortalecimento para recuperação da massa muscular.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • HEALTHLINE. Bone Tuberculosis. Disponível em: <https://www.healthline.com/health/bone-tuberculosis>. Acesso em 18 Abr 2019
  • PIGRAU-SERRALLACH, Carlos; RODRÍGUEZ-PARDO, Dolores. Bone and joint tuberculosis. Eur Spine J. Vol.22. 4.ed; 556-566, 2013
  • LONGO, Dan L. et al.. Medicina interna de Harrison. 18.ed. São Paulo: AMGH Editora, 2013. 1347-1358.
  • SILVA, Luiz Carlos et al.. Pneumologia: Princípios e Prática. 1.ed. Porto Alegre: Artmed Editora, 2012. 317-322.
  • SEBBEN, André Luís, et al. Tuberculose de articulação coxofemoral: a propósito de um caso. Revista da Associação Médica Brasileira. Vol.58. 1.ed; 15-17, 2012
Mais sobre este assunto: