Remédio 4x1 para tuberculose: o que é e como funciona

Março 2021

O medicamento conhecido popularmente como remédio 4 em 1 para tuberculose consiste na combinação de quatro princípios ativos utilizados no tratamento dessa infecção, como Rifampicina, Isoniazida, Pirazinamida e Etambutol. Em 2018 esse medicamento passou a ser disponibilizado gratuitamente pelo SUS e deve ser utilizado de acordo com a orientação médica, mesmo que não sejam mais notados sintomas.

A tuberculose é uma doença infecciosa e contagiosa causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis que pode entrar no organismo e promover inflamação dos pulmões. O tratamento normalmente é realizado com um coquetel de remédios com o objetivo de promover a eliminação da bactéria responsável pela doença, devendo ser feito de acordo com a orientação do pneumologista ou infectologista. Veja mais detalhes do tratamento para tuberculose.

Remédio 4x1 para tuberculose: o que é e como funciona

Como funciona 

O remédio para o tratamento da tuberculose tem na sua composição uma associação de substâncias que atuam promovendo o combate e a eliminação da bactéria responsável pela tuberculose o Mycobacterium tuberculosis, também conhecido como bacilo de Koch. As substâncias presentes nesse medicamento são:

  • Rifampicina;
  • Isoniazida;
  • Pirazinamida;
  • Etambutol.

Essa associação geralmente só é necessária nos 2 primeiros meses do tratamento, sendo esta fase chamada de intensiva. Em seguida, tem início a fase de manutenção, em que é normalmente indicado apenas a Rifampicina e a Isoniazida em dose que varia de acordo com a idade e peso da pessoa e gravidade da doença.

Como tomar

O medicamento para a tuberculose deve ser tomado todos os dias, em dose única, com um pouco de água, de preferência 30 minutos antes ou 2 horas após a refeição, de acordo com a orientação do médico. A quantidade de comprimidos utilizada em cada dose irá variar de acordo com o peso do paciente, e também é indicada pelo médico:

Peso corporal Dose
20 - 35 kg2 comprimidos ao dia
36 - 50 kg3 comprimidos ao dia
Acima de 50 kg4 comprimidos ao dia

Para crianças com peso entre 21 e 30 kg, a dose diária recomendada é de 2 comprimidos em dose única. Crianças e adolescentes com menos de 20 kg não devem tomar este medicamento.

Caso ocorra o esquecimento da dose, a pessoa deve tomar os comprimidos esquecidos assim que se lembrar, a não ser que esteja perto de tomar a próxima dose. Nesses casos, deve-se pular a dose perdida. É necessário tomar o medicamente regularmente e nunca parar o tratamento por conta própria, pois pode ocorrer resistência ao medicamento.

Possíveis efeitos colaterais 

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com este medicamento são neuropatia periférica, diarreia, dor abdominal, náusea, anorexia, vômitos, elevação transitória das transaminases séricas, aumento do ácido úrico, especialmente em pacientes com gota, coloração avermelhada dos fluidos e secreções corporais, dor nas articulações, vermelhidão, coceira e erupção na pele, alterações visuais e distúrbios do ciclo menstrual.

Quem não deve usar

Este medicamento não deve ser usado por pessoas com hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula, pessoas com doença de fígado ou histórico de icterícia e mudanças nos níveis sanguíneos das enzimas hepáticas causadas por medicamentos antituberculosos no passado.

Além disso, também não deve ser usado em pessoas com perda de visão por causa de desordem do nervo óptico. Caso o médico assim entenda, este medicamento pode ser usado em mulheres grávidas.

O médico deve ser informado acerca de qualquer medicamento que a pessoa esteja a tomar, incluindo pílula anticoncepcional, já que esse remédio para tuberculose pode diminuir a sua eficácia.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • FIOCRUZ. Tuberculose: medicamento produzido por Farmanguinhos facilita adesão ao tratamento. Disponível em: <https://portal.fiocruz.br/noticia/tuberculose-medicamento-produzido-por-farmanguinhos-facilita-adesao-ao-tratamento>. Acesso em 25 Mar 2021
  • SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Recomendações para tratamento da tuberculose em adultos e adolescentes. 2016. Disponível em: <https://cevs.rs.gov.br/upload/arquivos/201612/22111823-12-cartaz-orientacoes-para-manejo-da-tuberculose-na-atencao-basica.pdf>. Acesso em 25 Mar 2021
Mais sobre este assunto: