O que você precisa saber?

Tratamento para sífilis congênita

O tratamento da sífilis congênita é sempre recomendado quando o estado de tratamento da sífilis da mãe não é conhecido, quando o tratamento da grávida só foi iniciado no terceiro trimestre ou quando o bebê é difícil de acompanhar após o nascimento.

Isto acontece porque todos os bebês que nasçam de mães infectadas com sífilis podem apresentar resultados positivos no exame de sífilis feito à nascença, mesmo que não estejam infectados, devido à passagem dos anticorpos da mãe pela placenta.

Dessa forma, além dos exames de sangue também é importante estar atento aos sintomas de sífilis congênita que surgem no bebê, para decidir a melhor forma de tratamento. Veja quais os são principais sintomas da sífilis congênita.

Tratamento da sífilis no bebê

Tratamento para sífilis congênita

O tratamento do bebê varia de acordo com o risco de infecção pela sífilis:

1. Risco muito elevado de ter sífilis

Este risco é determinado quando a grávida não fez tratamento para a sífilis, o exame físico do bebê é anormal ou o exame de sífilis do bebê apresenta valores de VDRL superiores aos da mãe. Nestes casos, o tratamento é feito de uma das seguintes formas:

  • Injeção de 50.000 UI/Kg de Penicilina aquosa cristalina a cada 12 horas durante 7 dias, seguido de 50.000 UI de Penicilina aquosa cristalina a cada 8 horas entre o 7º e o 10º dia;
  • Injeção de 50.000 UI/Kg de Penicilina procaína uma vez por dia, durante 10 dias. 

Em qualquer um dos casos, caso falhe mais do que um dia de tratamento é recomendado iniciar novamente as injeções, para eliminar o risco de não combater a bactéria corretamente ou voltar a ser infectado.

2. Risco elevado de ter sífilis

Neste caso estão incluídos todos os bebês que apresentam exame físico normal e exame de sífilis com valor de VDRL igual ou inferiora ao da mãe, mas que nasceram de gestantes que não fizeram o tratamento adequado da sífilis ou iniciaram o tratamento menos de 4 semanas antes do parto.

Nestes casos, além das opções de tratamento para bebês com risco muito elevado de sífilis também pode ser utilizada outra opção que consiste numa injeção única de 50.000 UI/Kg de Penicilina benzatina. No entanto, este tratamento só pode ser feito se houver certeza de que o exame físico não tem qualquer alteração e o bebê poderá ser acompanhado pelo pediatra para fazer exames regulares de sífilis.

3. Risco baixo de ter sífilis

Os bebês com baixo risco de ter sífilis apresentam um exame físico normal, um exame de sífilis com valor de VDRL igual ou inferior ao da mãe e a grávida iniciou o tratamento adequado mais de 4 semanas antes do parto.

Normalmente, o tratamento é feito apenas com a injeção único de 50.000 UI/Kg de Penicilina benzatina, porém o médico também pode optar por não fazer a injecção e apenas manter o acompanhamento do desenvolvimento do bebê com exames frequentes de sífilis.

4. Risco muito baixo de ter sífilis

Neste caso, o bebê apresenta exame físico normal, exame de sífilis com valor de VDRL igual ou inferiora ao da mãe e a gestante fez o tratamento adequado antes de ficar grávida, apresentando valores de VDRL baixos durante toda a gravidez.

Normalmente, o tratamento não é necessário para estes bebês, devendo apenas ser acompanhados com exames de sífilis regulares. No caso de não ser possível manter o acompanhamento frequente, o médico pode recomendar fazer a injeção única de 50.000 UI/Kg de Penicilina benzatina.

Tratamento da sífilis na gravidez

Tratamento para sífilis congênita

Durante a gravidez a mulher deverá realizar o exame de VDRL nos três trimestres para verificar a presença ou não da bactéria no organismo. Uma diminuição na carga viral não significa que a doença tenha sido curada e é preciso continuar o tratamento até o final da gravidez.

Realizar o teste sorológico para a sífilis retirando amostra de sangue do cordão umbilical é importante para saber se o bebê já está ou não está contaminado com a doença. Amostras de sangue retiradas do bebê logo ao nascer são também importantes para avaliar se ele foi contaminado ou não com a sífilis.

O tratamento da grávida durante a gravidez ocorre da seguinte forma:

  • Na sífilis primária: dose total de 2.400.000 UI de penicilina benzatina;
  • Na sífilis secundária: dose total de 4.800.000 UI de penicilina benzatina;
  • Na sífilis terciária: dose total de 7.200.000 UI  de penicilina benzatina;

Já na neurossífilis é recomendado fazer 18 a 24 milhões UI por dia de penicilina G aquosa cristalina, por via endovenosa, fraccionada em doses de 3-4 milhões U de 4 em 4 horas, durante 10 a 14 dias.

Saiba mais sobre o tratamento, incluindo como é feito o tratamento quando a grávida é alérgica a Penicilina.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...