Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Tratamento para inflamação no útero

O tratamento para inflamação no útero pode ser feito com o uso de antibióticos, antivirais ou cauterização dependendo da sua causa.

Por isso, em caso de inflamação no útero causada por vírus, fungos ou bactérias o ginecologista poderá indicar o uso de antibióticos ou antifúngicos de acordo com o agente causador, sendo também importante tratar o parceiro sexual e usar preservativo em todas as relações para evitar a recontaminação.

Porém, em caso de inflamação no útero causada por lesões durante o contato íntimo, alergia à camisinha e uso de duches vaginais constantes, o ginecologista poderá orientar o uso de anti-inflamatórios em forma de pomada para passar na região íntima, além do afastamento da causa.

Um bom tratamento caseiro é tomar o chá de tanchagem 4 vezes ao dia até a cura. Saiba como fazer o chá em: Remédio caseiro para inflamação do útero.

Sinais de melhora da inflamação no útero

O sinais que evidenciam a melhora da inflamação no útero são a diminuição da dor e do corrimento vaginal, que podem ser observados após o início do tratamento medicamentoso e eliminação da sua causa.

Sinais de piora da inflamação no útero

Os sinais de piora podem surgir quando o tratamento não é iniciado e incluem aumento ou persistência do corrimento e da dor abdominal, assim como do sangramento após o contato íntimo.

Complicações devido à inflamação no útero

Algumas possíveis complicações que podem ocorrer devido ao não tratamento da inflamação uterina são o aumento da região afetada. Normalmente, a inflamação no útero começa na entrada do útero e quando ela não é tratada outras áreas podem ser afetadas, como as áreas mais próximas dos ovários e das trompas. Em alguns casos há suspeita de que possa dificultar a gravidez.

A ferida no útero, quando não é tratada e permanece por mais de 5 anos, aumenta o risco de câncer no útero e, por isso, é importante que todas as mulheres em idade reprodutiva façam pelo menos 1 consulta de ginecologia por ano, para que o médico possa solicitar exames preventivos, como o papanicolau, por exemplo. Saiba mais em: Papanicolau.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...