Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

5 remédios caseiros para inflamação do útero (e como preparar)

Os remédios para inflamação no útero, como o chá de gengibre, o chá de equinácea e o chá de romã, possuem substâncias com ação anti-inflamatória, antimicrobiana e imunomoduladoras, que ajudam a combater a inflamação no útero e a fortalecer o sistema imunológico.

A inflamação no útero pode ser causada principalmente por infecções sexualmente transmissíveis, como clamídia, gonorreia ou HPV, ou devido a cirurgias no útero, uso de DIU, parto prolongado ou cesárea, por exemplo, resultando em sintomas, como corrimento vaginal fétido e purulento, dor de cabeça, vertigem, vômito e desregulação do ciclo menstrual. 

É importante ressaltar que esses remédios caseiros para inflamação no útero podem ser usados apenas para complementar o tratamento indicado pelo médico que normalmente inclui o uso de remédios antibióticos, anti-inflamatórios, antifúngicos ou antivirais, e em alguns casos, cauterização do útero. Saiba como é feito o tratamento da inflamação no útero

Imagem ilustrativa número 1

Alguns remédios caseiros que podem ser usados para inflamação no útero são:

1. Chá de gengibre

O chá de gengibre é rico em substâncias anti-inflamatórias, antioxidantes e antimicrobianas, como gingerol, shogaol, citral e elinoide, que ajudam a aliviar os sintomas de inflamação no útero, como cólicas e náuseas.

Além disso, esse chá, preparado com a raiz da planta medicinal Zingiber officinalis, possui propriedades tocolíticas, que diminuem as contrações do útero, sendo uma boa opção de remédio caseiro para aliviar a dor uterina no pós-parto.

Ingredientes

  • 1 cm da raiz de gengibre cortada em rodela ou ralada;
  • 1 litro de água fervente.

Modo de preparo

Adicionar o gengibre em uma panela com a água e deixar ferver durante 5 a 10 minutos. Após esfriar, coar e beber o máximo de 3 xícaras por dia.

Outra opção para fazer o chá é substituir a raiz por 1 colher de chá de gengibre em pó, que deve ser diluído em água fervente.

O chá de gengibre deve ser evitado por mulheres que fazem uso de anticoagulantes como varfarina ou ácido acetilsalicílico, pois pode aumentar o risco de sangramentos ou hemorragias.

2. Chá de equinácea

O chá de equinácea, feito com a planta Echinacea angustifolia, é rico em substâncias com ação anti-inflamatória e imunomoduladora, como alcamidas, polissacarídeos, glicoproteínas e derivados do ácido cafeico, que ajudam a fortalecer o sistema imunológico, sendo uma boa opção de remédio caseiro para inflamação no útero, causada por gonorreia ou HPV, por exemplo.

Ingredientes

  • 1 colher de chá de raiz ou folhas de equinácea
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de preparo

Colocar a raiz ou folhas da equinácea em uma xícara de água fervente. Deixar repousar por 15 minutos, coar e beber 2 vezes por dia.

Esse chá não deve ser usado por mulheres grávidas ou em amamentação, ou que tenham tuberculose, leucemia, doenças do colágeno, esclerose múltipla, ou doenças autoimunes, como artrite reumatoide, lúpus ou psoríase.

3. Chá de tanchagem

O chá de tanchagem, preparado com as folhas da planta medicinal Plantago major, é uma boa opção de remédio caseiro para inflamação no útero causada por feridas, úlceras ou verrugas no útero, devido às suas propriedades antimicrobianas, anti-inflamatórias e antiespasmódicas.

Esse chá é rico em polifenóis, polissacarídeos que agem protegendo as células contra a destruição causada por mediadores inflamatórios, o que facilita a reparação dos tecidos, facilitando a cicatrização. Veja outros benefícios da tanchagem.  

Ingredientes

  • 20 g de folhas de tanchagem;
  • 1 litro de água. 

Modo de preparo

Ferver a água numa panela e depois acrescentar as folhas de tanchagem. Tampar e deixar repousar por cerca de 3 minutos. Beber 4 xícaras de chá por dia, até que a inflamação desapareça.

Este chá não deve ser tomado durante a gravidez e por mulheres que têm pressão alta descontrolada.

4. Chá de romã

A romã possui propriedades antibacterianas, além de conseguir estimular o sistema imunológico, pois é rica em zinco, magnésio e vitamina C. Por isso, o chá de romã é uma ótima opção para auxiliar no tratamento da inflamação no útero.

Além disso, esse chá é rico em beta-sitosterol, com ação anti-inflamatória, antioxidante e estimulante uterina, que ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo para o útero, ajudando na recuperação desta região.

Ingredientes

  • 10 gramas da casca de romã;
  • 1 xícara de água fervente;

Modo de preparo

Adicionar as cascas de romã em uma panela com a água. Quando começar a ferver, deixar por mais 5 minutos e desligar. Após esse tempo, tampar a panela deixando o chá repousar por mais 5 minutos. Esperar amornar e beber a seguir de 2 a 3 vezes por dia.  

Além do chá feito com as cascas, é possível fazer o chá com as folhas da romãzeira secas. Para isso, basta colocar 2 colheres de chá das flores em 500 mL de água fervente, deixar repousar por 15 minutos, coar e beber 1 vez por dia.

O chá de romã não deve ser usado mulheres grávidas ou em amamentação ou por pessoas que tenham gastrite ou úlceras no estômago, pois pode causar irritação no estômago.

5. Chá de goiabeira

O chá de goiabeira, feito com as folhas da planta medicinal Psidium guajava, possui propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antiespasmódicas, que ajudam a aliviar a dor, cólicas e inflamação no útero.

Além disso, esse chá tem propriedades antibióticas e cicatrizantes que ajudam na recuperação uterina.

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de folhas secas de goiabeira;
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de preparo

Colocar as folhas de goiabeira picada dentro da xícara e cobrir com a água fervente. Tampar e deixar repousar por 10 minutos. A seguir, coar e tomar este chá de 3 a 4 vezes ao dia.

O chá de goiabeira não deve ser usado por mulheres grávidas ou em amamentação, ou que tenham aparelho digestório muito sensível ou problemas intestinais.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em novembro de 2022.

Bibliografia

  • CHIWORORO, W. D. H.; et al. Spasmolytic effect of Psidium guajava Linn. (Myrtaceae) leaf aqueous extract on rat isolated uterine horns. J Smooth Muscle Res. 45. 1; 31-8, 2009
  • EGHBALI, S.; et al. Therapeutic Effects of Punica granatum (Pomegranate): An Updated Review of Clinical Trials. J Nutr Metab. 2021. 5297162, 2021
Mostrar bibliografia completa
  • MANAYI, A.; et al. Echinacea purpurea: Pharmacology, phytochemistry and analysis methods. Pharmacogn Rev. 9. 17; 63-72, 2015
  • NAJAFIAN, Y.; et al. Plantago major in Traditional Persian Medicine and modern phytotherapy: a narrative review. Electron Physician. 10. 2; 6390–6399, 2018
  • RIEMMA, G.; et al. Echinacea angustifolia and Echinacea purpurea Supplementation Combined with Vaginal Hyaluronic Acid to Boost the Remission of Cervical Low-Grade Squamous Intraepithelial Lesions (L-SILs): A Randomized Controlled Trial. Medicina (Kaunas). 58. 5; 646, 2022
  • MOZAFARI-S.; et al. Effect of Zingiber officinale Roscoe rhizome (ginger) capsule on postpartum pain: Double-blind randomized clinical trial. J Res Med Sci. 26. 105, 2021
  • NAZER, M.; et al. The Most Important Herbs Used in the Treatment of Sexually Transmitted Infections in Traditional Medicine. Sudan Journal of Medical Sciences. 14. 2; 2019
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.

Tuasaude no Youtube

  • 7 alimentos antiinflamatórios que você precisa usar

    24:55 | 823359 visualizações
  • Descubra o que acontece se você comer ALHO todos os dias

    07:10 | 210773 visualizações
  • 3 receitas gostosas para Aumentar a Imunidade naturalmente

    04:17 | 249222 visualizações
  • O que fazer para melhorar a IMUNIDADE

    03:14 | 159501 visualizações