Tratamento para infecção pulmonar (e possíveis complicações)

outubro 2022

O tratamento para infecção pulmonar varia de acordo com o microrganismo responsável pela infecção, podendo ser indicado pelo pneumologista o uso de antivirais, no caso infecção por vírus, ou antimicrobianos, no caso infecção por bactérias ou fungos.

Além do uso dos medicamentos, é importante que sejam adotados outros cuidados para acelerar a recuperação, como permanecer em repouso, ter uma alimentação saudável e beber bastante líquidos.

Para que o tratamento seja mais eficaz, é importante que o diagnóstico seja feito assim que surgirem os primeiros sintomas, pois assim há maior probabilidade de eliminar o agente causador da infecção e diminuir o risco de complicações, como insuficiência respiratória e sepse. Veja mais sobre a infecção pulmonar.

Medicamentos para infecção pulmonar

Para tratar a infecção pulmonar, o pneumologista pode indicar o uso de medicamentos de acordo com o agente infeccioso responsável pela infecção:

  • Antibióticos, no caso de infecção por bactérias, como Amoxicilina, Claritromicina, Levofloxacino, Ceftriaxona ou Azitromicina;
  • Antifúngicos, no caso de infecção por fungos, como Itraconazol ou Fluconazol, além de em alguns casos poder ser recomendado também antibióticos;
  • Antivirais, no caso de infecção por vírus Oseltamivir, Zanamivir ou Ribavirina de acordo com o vírus responsável pela infecção e gravidade dos sintomas apresentados pela pessoa.

Apesar de muitas vezes o médico indicar o início do tratamento com antibióticos, é importante que o uso de remédios seja reavaliado após o resultado dos exames, como hemograma, raio-x ou exame de escarro, para que o tratamento seja o mais adequado possível e seja evitado o uso desnecessário de medicamentos.

O tratamento no hospital geralmente só é necessário no caso de uma infecção muito avançada em que os medicamentos precisam ser administrados diretamente na veia para obter um efeito mais rápido. Estes casos são mais frequentes em idosos ou crianças, pois têm um sistema imune mais frágil.

Tratamento caseiro

O tratamento caseiro é indicado pelo médico como forma de complementar o uso dos medicamentos e promover a recuperação mais rápida. Assim, o tratamento caseiro inclui:

  • Beber 2 litros de água por dia, para manter o corpo bem hidratado e ajudar na eliminação de secreções pulmonares;
  • Evitar sair de casa durante o tratamento, para evitar transmissão;
  • Não usar remédios para a tosse sem indicação do médico, pois impedem a saída das secreções;
  • Pingar gotas de soro fisiológico nas narinas para ajudar a eliminar as secreções e facilitar a respiração;
  • Dormir com um travesseiro alto para facilitar o sono e facilitar a respiração.

É ainda aconselhado utilizar uma máscara e não tossir ou espirrar perto de outras pessoas, especialmente no caso de uma infecção causada por vírus, para evitar a transmissão da doença.

Estes cuidados são ainda mais importantes nos casos de infecção pulmonar por vírus, pois como não existem antivirais para todos estes tipos de microrganismos, é preciso ajudar a fortalecer o sistema imune para que seja capaz de os eliminar mais rápido. Veja mais opções naturais para fortalecer o sistema imune.

A alimentação também pode ajudar muito na recuperação, por isso veja as dicas da nossa nutricionista para saber o que comer durante o tratamento:

Possíveis complicações

As principais complicações que podem acontecer devido à infecção pulmonar são:

  • Derrame;
  • Abscesso;
  • Insuficiência respiratória;
  • Sepse, que é quando o agente infeccioso atinge a corrente sanguínea e atinge outros órgãos.

As complicações da infecção pulmonar surgem quando a infecção não é devidamente identificada e tratada. Por isso, é importante que assim que surgirem os primeiros sintomas de infecção pulmonar, a pessoa vá a um centro de saúde ou pronto-socorro para que seja avaliada pelo clínico geral ou pneumologista e, assim, ser possível evitar as complicações. Saiba identificar os sintomas de infecção pulmonar.

Sinais de melhora e de piora

Os sinais de melhora normalmente surgem até 3 dias após início do tratamento e incluem alívio e diminuição dos sintomas, como febre, tosse e diminuição da quantidade de secreções.

Já os sinais de piora, normalmente surgem quando o tratamento não está sendo eficaz ou quando não é iniciado rapidamente, e incluem aumento da febre, dificuldade para respirar e tosse com catarro com presença de sangue, por exemplo, além de também aumentar o risco de complicações, principalmente em pessoas que possuem o sistema imunológico e o sistema respiratório mais comprometido.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em outubro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em março de 2020.

Bibliografia

  • VILAR, Fernando C. Programa de Educação Médica Continuada - Pneumonias. Disponível em: <http://www.cremesp.org.br/pdfs/eventos/eve_04102016_145915_Pneumonias%20-%20Dr.%20Fernando%20Crivelenti%20Vilar.pdf>.
  • CORRÊA, Ricardo A. et al. Recomendações para o manejo da pneumonia adquirida na comunidade 2018. Jornal Brasileiro de Pneumologia. Vol 44. 5 ed; 405-424, 2018
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • Os Melhores Alimentos para a GRIPE

    03:14 | 550029 visualizações