Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como é feito o tratamento para a doença de Alzheimer

O tratamento para o Alzheimer é feito para controlar os sintomas e retardar o agravamento da degeneração cerebral provocada pela doença e inclui o uso de remédios, como Donepezila, Rivastigmina ou Memantina, por exemplo, indicados pelo geriatra, neurologista ou psiquiatra.

Além do uso de remédios, é importante fazer terapias que melhoram a independência e o raciocínio, com terapia ocupacional, fisioterapia, atividades físicas, além de dar preferência a uma alimentação mediterrânea, equilibrada e rica em vitamina C, E e ômega 3, que têm ação antioxidante e protetora cerebral.

A escolha do melhor tratamento e as opções de medicamentos são indicadas pelo médico após avaliação e identificação das necessidades de cada paciente. 

A doença de Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro, que provoca perda gradual da memória, além de outras alterações como prejuízos no comportamento, desorientação e dificuldades na comunicação, por exemplo. Para saber identificar esta doença, veja os sinais e sintomas de doença de Alzheimer.

Como é feito o tratamento para a doença de Alzheimer

Medicamentos para Alzheimer

Existem remédios, em comprimido ou solução oral, que melhoram os sintomas e atrasam a evolução da doença de Alzheimer, especialmente retardando a perda de memória, e devem ser usados precocemente desde o início do diagnóstico, como a Donepezila, Galantamina e Rivastigmina, que são chamados de anticolinesterásicos, pois atuam aumentando os níveis da acetilcolina, um importante neurotransmissor para as funções cerebrais. 

A rivastigmina também tem a opção em adesivo, ou patch, que são trocados a cada 24 horas, e estão indicados para facilitar o uso, e para diminuir alguns efeitos colaterais dos comprimidos, que podem ser enjôos, vômitos e diarréia. 

A memantina também é um medicamento muito utilizado no tratamento, para evitar a progressão da doença em casos mais avançados e para acalmar.

Além disto, existem outros remédios que podem ser usados como auxiliadores ao tratamento dos sintomas, úteis para diminuir a ansiedade, dormir ou ajudar a controlar a instabilidade emocional, como antipsicóticos, ansiolíticos e antidepressivos.

Tabela dos medicamentos mais usados

Os principais remédios para tratar o Alzheimer, disponíveis no SUS ou por particular, são:

 Para que serveExemplo de medicamento
AnticolinesterásicosAtrasar a progressão da doença e diminuir sintomasDonepezila, Rivastigmina, Galantamina
MemantinaDiminuir os sintomas da doençaMemantina
AntipsicóticoPara equilibrar os comportamentos, evitando a excitação e agitação e evitar delírios e alucinaçõesOlanzapina, Quetiapina, Risperidona
Ansiolítico Para controlar a ansiedade e dormirClorpromazina, Alprazolam, Zolpidem
Antidepressivos Para estabilizar o humor e emoçõesSertralina, Nortriptilina, Mirtazapina, Trazodona

O tipo, a dose e a quantidade de medicamentos são orientados pelo médico de acordo com cada caso, seguindo as necessidades de cada paciente.

Apesar da grande quantidade de medicamentos que são, geralmente, utilizados para tratar esta doença, ainda não existe uma cura, e é comum que ela piore com o passar do tempo.

Novas terapias

A estimulação profunda cerebral é uma terapia quem vem sendo utilizada e parece ter bons resultados para o controle da doença e pode, até, reverter os sintomas. Como ainda é uma terapia muito cara e está disponível em poucos hospitais, ainda não está sendo realizada com muita frequência, sendo reservada para alguns casos que não respondem ao tratamento com remédios. Saiba mais sobre as indicações e como é feita a cirurgia de estimulação cerebral profunda.

Outras terapias,como ozonioterapia, à base de insulina ou de anti-inflamatórios, como o ácido mefenâmico, apesar de terem sido demonstradas em alguns estudos realizados, não são terapias comprovadas e não costumam ser indicadas pelos médicos.

Fisioterapia para Alzheimer

O tratamento fisioterapêutico é importante para diminuir as limitações físicas que o Alzheimer pode trazer, como dificuldade para andar e equilibrar e, deve ser feito no minimo 3 vezes por semana.

A fisioterapia deve ser feita com exercícios de fácil compreensão e execução, pois a capacidade mental do paciente é reduzida e a realização de fisioterapia é útil para:

  • Ajudar a fortalecer os músculos, melhorando a coordenação, o equilíbrio e a flexibilidade;
  • Evitar dor nos músculos e articulações;
  • Prevenir quedas e fraturas;
  • Prevenir que o paciente fique acamado;
  • Prevenir o surgimento de escaras em indivíduos acamados;
  • Evitar dores nos músculos e articulações;
  • Aumentar os movimentos peristálticos do intestino facilitando a eliminação das fezes.
Como é feito o tratamento para a doença de Alzheimer

O cuidador também deverá ser orientado a ajudar a pessoa a realizar os exercícios da fisioterapia diariamente em casa, para potencializar os resultados. Saiba mais sobre como é feita a fisioterapia para Alzheimer.

Além disso, a pessoa com Alzheimer também pode fazer sessões de psicoterapia e terapia ocupacional, que são especialmente indicadas na fase inicial da doença para estimular a memória e auxiliar na realização das atividades do dia a dia.

Opções de tratamento natural

A estimulação da memória, através de jogos e realização de pequenas atividades, como cozinhar ou ler, devem ser feitas diariamente com ajuda de um terapeuta ou familiar, para que o paciente não perca rapidamente o vocabulário nem se esqueça da utilidade dos objetos, por exemplo.

Além disso, a estimulação social, através do contato com amigos e familiares é fundamental para manter o convívio social e retardar o esquecimento das pessoas próximas. Saiba mais sobre os cuidados essenciais que se deve ter para o paciente com Alzheimer.

A alimentação também é importante para complementar o tratamento e recomenda-se a dieta mediterrânea, por ser saudável e baseada no consumo de alimentos frescos e naturais como azeite, frutas, legumes, cereais, leite e queijo, e por evitar produtos industrializados como salsicha, comida congelada e bolos em pó, sendo a ideal para quem tem Alzheimer, pois nutre o corpo e o cérebro de forma adequada.

Como prevenir o Alzheimer

Para prevenir esta doença, é importante ter hábitos de vida saudáveis, consumindo vegetais e alimentos antioxidantes, e evitar comportamentos que prejudicam a circulação e o funcionamento do cérebro, como fumar e beber em excesso.

Além disto, é importante procurar sempre estimular o raciocínio e a cognição cerebral, por meio de leituras e realização de atividades que estimulem o pensamento. Veja quais são as principais dicas para a prevenção do Alzheimer.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...