Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é Transtorno Dissociativo e como identificar

O Transtorno Dissociativo, também conhecido como distúrbio de conversão, é um transtorno mental no qual a pessoa sofre de um desequilíbrio psicológico, havendo alterações na consciência, memória, identidade, emoção, percepção do ambiente, controle dos movimentos e comportamento.

Assim, a pessoa com este transtorno pode vivenciar diferentes tipos de sinais e sintomas de origem psicológica, que surgem de forma isolada ou em conjunto, sem que haja qualquer doença física que justifique o caso. Os principais são:

  • Amnésia temporária, seja de eventos específicos ou de um período do passado, chamada de amnésia dissociativa;
  • Perda ou alteração dos movimentos de partes do corpo, chamado de transtorno dissociativo do movimento;
  • Lentificação dos movimentos e reflexos ou impossibilidade de se mover, semelhante a um desmaio ou um estado de catatonia, chamado de estupor dissociativo;
  • Perda da consciência de quem é ou de onde está;
  • Movimentos semelhantes a uma crise epiléptica, chamado de convulsão dissociativa;
  • Formigamentos ou perda da sensibilidade em um ou mais locais do corpo, como boca, língua, braços, mãos ou pernas, chamado de anestesia dissociativa;
  • Estado de extrema confusão mental;
  • Múltiplas identidades ou personalidades, que é o transtorno dissociativo de identidade. Em algumas culturas ou religiões, pode ser chamada de estado de possessão. Se quer saber mais sobre este tipo específico de transtorno dissociativo, confira Transtorno Dissociativo de Identidade.

É comum que os portadores de transtorno dissociativo apresentem mudanças de comportamento, como uma súbita reação exaltada ou desequilibrada, por isso, este transtorno também é conhecido como histeria ou reação histérica. 

Geralmente, o transtorno dissociativo costuma se manifestar ou ser agravado após eventos traumáticos ou de grande estresse, e costuma surgir de forma brusca. Os episódios podem surgir de vez em quando ou se tornarem frequentes, a depender de cada caso. Também é mais comum em mulheres do que em homens.

O tratamento do transtorno dissociativo deve ser orientado por um psiquiatra e pode incluir uso de remédios ansiolíticos ou antidepressivos para aliviar os sintomas, sendo muito importante a realização de psicoterapia.

O que é Transtorno Dissociativo e como identificar

Como confirmar

Durante as crises de transtorno dissociativo, pode-se acreditar que se trata de uma doença física, por isso, é comum que o primeiro contato destes pacientes seja com o médico no pronto-socorro. 

O médico identifica a presença desta síndrome ao pesquisar intensamente alterações na avaliação clínica e em exames, porém nada de origem física ou orgânica que explique o quadro é encontrado. 

A confirmação do transtorno dissociativo é feita pelo psiquiatra, que irá avaliar os sintomas apresentados nas crises e a existência de conflitos psicológicos que possam estar desencadeando ou agravando a doença. Este médico também deverá avaliar a presença de ansiedade, depressão, somatização, esquizofrenia ou outros transtornos mentais que pioram ou que confundem com o transtorno dissociativo. Entenda quais são e como identificar os transtornos mentais mais comuns

Como é feito o tratamento

A principal forma de tratamento do transtorno dissociativo é a realização de psicoterapia, com um psicólogo, para ajudar o paciente a desenvolver estratégias para lidar com o estresse. As sessões são mantidas até que o psicólogo ache que o paciente é capaz de gerir as suas emoções e relações de forma segura.

Também é recomendado um acompanhamento com o psiquiatra, que irá avaliar a evolução da doença e poderá prescrever medicamentos para aliviar os sintomas, como antidepressivos, como Sertralina, antipsicóticos, como Tiaprida ou ansiolíticos, como Diazepam, caso seja necessário. 

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar