Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Transtorno depressivo maior: o que é, sintomas e tratamento

Agosto 2020

O transtorno depressivo maior ou depressão clássica, também chamada de unipolar, é um transtorno de saúde mental que normalmente é causado pela baixa produção de hormônios.

Normalmente os sintomas mais comuns incluem sentimento de vazio, falta de interesse pelas atividades de rotina, insônia terminal e tristeza sem motivo aparente, que se mantêm por, pelo menos, duas semanas seguidas, e por isso é um dos transtornos psicológicos mais incapacitantes, já que a pessoa não consegue manter atividades rotineiras como se levantar da cama. 

Por afetar mente e corpo, a principal causa da depressão ainda não foi completamente esclarecida, mas se sabe que está ligada com a desordem de hormônios, acontecimentos na infância, traumas e  fatores genético hereditário. Desta forma, o diagnóstico da depressão maior é feito pelo psiquiatra ou psicólogo pela observação dos sintomas físicos, como insônia, em conjunto com o relato da pessoa, para a partir daí ser recomendado o tratamento adequado.

Transtorno depressivo maior: o que é, sintomas e tratamento

Principais sintomas 

A depressão maior pode apresentar inúmeros sintomas, a maioria pela redução dos hormônios necessários para o bom funcionamento físico e psicológico, como:

  • Dificuldade de adormecer após acordar durante a noite;
  • Cansaço físico e mental;
  • Pensamento recorrente sobre morte ou suicídio;
  • Perda de peso em excesso;
  • Perda de apetite e libido;
  • Sensação de vazio;
  • Pessimismo;
  • Angústia;
  • Tristeza.

A dificuldade para dormir ao se deitar, é um sintoma clássico de ansiedade, que pode estar ou não presente na depressão. Veja outros sinais de ansiedade e como tratá-la

Possíveis causas

A causa do transtorno depressivo maior tem muitos fatores como grandes perdas, traumas e estresse diário durante longos períodos de tempo. No entanto, se sabe que a diminuição na produção de hormônios está presente em todos os casos, o que levanta a hipótese de que possa existir algum fator genético, já que, mesmo em pessoas sem histórico de doenças hormonais, esta desordem também pode ser observada. 

Como confirmar o diagnóstico 

Para o diagnóstico correto de depressão maior, o clínico geral poderá pedir exames laboratoriais para descartar outras doenças, inclusive as que afetam a produção de hormônios, como o hiper e hipotireoidismo, por exemplo.

Após o descarte de qualquer outra doença, a pessoa é encaminhada para o psiquiatra ou psicólogo, que chega ao diagnóstico por meio da observação de pelo menos 5 sintomas em conjunto, durante pelo menos 2 semanas seguidas, sendo dois deles, obrigatoriamente, a falta de prazer em fazer atividades que antes eram motivo de alegria e o humor deprimido. 

Como é feito tratamento

O tratamento para o transtorno depressivo maior pode ser feito com o acompanhamento do psicólogo ou psicanalista, por meio da psicoterapia. Estes profissionais ajudam a pessoa a entender o que se passa com seus sentimentos, sensações e observações do mundo, com o objetivo de chegar a respostas mais realista para as questões pessoais que causam sofrimento. 

O psiquiatra participará do tratamento, nos casos em que seja necessário ultilizar remédios. Porém, mesmo quando receitados antidepressivos, é apenas por um período curto de tempo, para que a pessoa consiga voltar a fazer as atividades diárias como dormir no mínimo 8 horas e se alimentar normalmente. Confira quais os antidepressivos mais usados e seus efeitos colaterais

O tratamento quando feito de acordo com as orientações profissionais e comprometimento da pessoa, tende a mostrar melhora após a 4ª semana, mas mesmo quando os sinais de depressão maior desaparecem por completo, e o tratamento medicamentoso termina, é recomendado que as sessões de psicoterapia continuem, pois a depressão pode eventualmente retornar. 

Bibliografia >

  • NIH. Mechanisms of action and clinical efficacy of NMDA receptor modulators in mood disorders. 2017. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28711661/>. Acesso em 25 Ago 2020
  • SCIELO. Transtorno depressivo maior: avaliação da aptidão motora e da atenção. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=0047-2085&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 25 Ago 2020
  • NIH. Depression. Disponível em: <https://www.nimh.nih.gov/health/topics/depression/index.shtml>. Acesso em 25 Ago 2020
  • AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. What Is Depression?. Disponível em: <https://www.psychiatry.org/patients-families/depression/what-is-depression>. Acesso em 25 Ago 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem