8 sintomas da toxoplasmose (e como confirmar o diagnóstico)

outubro 2022

Na maioria dos casos de toxoplasmose não são identificados sinais ou sintomas de infecção, pois o organismo é capaz de combater o parasita. No entanto, em alguns casos, é possível que sejam identificados alguns sintomas, como dor de cabeça contante, febre, cansaço excessivo ou dificuldade para respirar, por exemplo.

Os sintomas de toxoplasmose são mais comuns de acontecer em pessoas com o sistema imunológico comprometido devido a doenças, outras infecções, uso de medicamentos ou realização recente de transplante, por exemplo.

No entanto, é possível também observar sintomas mais graves da doença em pessoas que não fizeram o tratamento correto, pois o parasita é capaz de espalhar-se no organismo, entrar nos tecidos e permanecer no organismo sem causar sinais ou sintomas até que surjam condições que favoreçam a sua reativação e, consequentemente, aparecimento de sinais e sintomas mais graves da infecção.

Sintomas de toxoplasmose

Os principais sintomas de toxoplasmose são:

  1. Dor de cabeça constante;
  2. Febre;
  3. Cansaço excessivo;
  4. Dor nos músculos;
  5. Dor de garganta;
  6. Dificuldade para respirar;
  7. Confusão mental;
  8. Convulsões.

A intensidade e gravidade dos sintomas podem variar de acordo com o sistema imunológico da pessoa, sendo mais frequente de identificar confusão mental e episódios de convulsão em pessoas que possuem a imunidade mais fragilizada.

Sintomas de toxoplasmose no bebê

Os sintomas de toxoplasmose no bebê acontecem quando o parasita atravessa a placenta e atinge o bebê, podendo levar a alguns sintomas dependendo da idade gestacional, como:

  • Convulsões frequentes;
  • Microcefalia;
  • Hidrocefalia, que é o acúmulo de líquido no cérebro;
  • Pele e olhos amarelados;
  • Perda de cabelo;
  • Retardo mental;
  • Inflamação dos olhos;
  • Cegueira.

Quando a infecção acontece no primeiro trimestre de gravidez, apesar do risco de infecção ser menor, as complicações são mais graves e o bebê já nasce com as alterações, além de haver maior risco de aborto e parto prematuro.

No entanto, quando a infecção é adquirida no terceiro trimestre de gestação, há maior probabilidade de infecção do bebê, no entanto na maioria dos casos o bebê permanece assintomático e os sintomas da toxoplasmose desenvolvem-se durante a infância e a adolescência. Veja mais sobre a toxoplasmose na gravidez.

Como confirmar o diagnóstico

Para confirmar a infecção, o médico deve avaliar os sintomas apresentados pela pessoa levando em consideração hábitos de vida, histórico de saúde e resultado de exames laboratoriais. Inicialmente pode ser indicada a realização de um hemograma e dosagem dos níveis de proteína C reativa, para verificar se há alterações indicativas de infecção.

No entanto, para confirmar o diagnóstico da infecção, é necessário realizar exames que identifiquem anticorpos produzidos contra o T. gondii, isso porque como o parasita pode estar presente em diversos tecidos, a sua identificação no sangue, por exemplo, pode não ser tão fácil.

Por isso, o diagnóstico da toxoplasmose é feito por meio da dosagem de IgG e IgM, que são anticorpos produzidos pelo organismo e que aumentam rapidamente quando há infecção por esse parasita. É importante que os níveis de IgG e IgM sejam relacionados com os sinais e sintomas apresentados pela pessoa para que o médico possa concluir o diagnóstico. Além dos níveis de IgG e IgM, pode ser realizado também testes moleculares, como a PCR, para identificar a infecção pelo T. gondii. Veja mais sobre o IgG para toxoplasmose.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Marcela Lemos - Biomédica, em outubro de 2022.

Bibliografia

  • MAHON, Connie R.; LEHMAN, Donald C. Textbook of Diagnostic Microbiology. 6 ed. St- Louis, Missouri: Elsevier, 2019. 649-652.
Revisão clínica:
Marcela Lemos
Biomédica
Mestre em Microbiologia Aplicada, com habilitação em Análises Clínicas e formada pela UFPE em 2017 com registro profissional no CRBM/ PE 08598.