Toracocentese: o que é, para que serve e como é feita

novembro 2022
  1. Para que serve
  2. Tipos
  3. Preparo
  4. Como é feita
  5. Cuidados
  6. Complicações
  7. Contra-indicações

A toracocentese é um procedimento médico para retirada de líquido do espaço pleural, que é a parte entre a membrana que cobre o pulmão e as costelas, sendo geralmente indicada para diagnosticar doenças que estejam causando acúmulo de líquido no espaço pleural, como derrame pleural, por exemplo. 

Além disso, a toracocentese, também conhecida como punção pleural ou drenagem pleural, pode ser indicada para o tratamento do derrame pleural para aliviar os sintomas de falta de ar e dor no peito, ou outras condições que causam acúmulo de grandes quantidades de líquido no espaço pleural, como infecções, tumores ou hemotórax, sendo nesse caso conhecida como toracocentese de alívio.

Geralmente, a toracocentese é um procedimento rápido e que não requer muito tempo para recuperação, mas em alguns casos podem ocorrer vermelhidão, dor e vazamento de líquidos pelo local aonde é introduzida a agulha, sendo necessário comunicar o médico.

Para que serve

A toracocentese é indicada para diagnosticar a causa do acúmulo de líquidos no espaço pleural ou aliviar sintomas como dor ao respirar ou falta de ar causados pelo derrame pleural. Saiba identificar todos os sintomas do derrame pleural.

Este acúmulo de líquido na parte de fora do pulmão pode acontecer por causa de algumas doenças, como:

  • Insuficiência cardíaca congestiva;
  • Infecções por vírus, bactérias ou fungos;
  • Câncer no pulmão;
  • Mesotelioma
  • Embolia pulmonar;
  • Lúpus eritematoso sistêmico;
  • Tuberculose;
  • Pneumonia grave;
  • Obstrução nos vasos linfáticos, chamado quilotórax;
  • Radioterapia na região do tórax;
  • Ruptura do esôfago;
  • COVID-19;
  • Reações a medicamentos, como metotrexato, amiodarona, dasatinibe ou fenitoína.

Essas condições podem resultar em uma inflamação dos tecidos do pulmão ou da pleura, levando ao acúmulo de líquidos na pleura e surgimento do derrame pleural.

O clínico geral ou pneumologista podem identificar o derrame pleural através de exames como raio X, tomografia computadorizada ou ultrassom e podem indicar a realização da toracocentese por outros motivos, como para realização de biópsia na pleura.

Tipos de toracocentese

A toracocentese é realizada pelo médico nos casos de líquido na pleura, com diferentes objetivos, que incluem:

  • Toracocentese diagnóstica: indicada para identificar a causa da do derrame pleural ou pesquisar alterações como infecções ou células cancerígenas, por exemplo. Esse tipo de toracocentese é feito colhendo uma pequena quantidade de líquido do espaço pleural, geralmente de 20 a 30 mL, que será analisado em laboratório;
  • Toracocentese de alívio: é também chamada de toracocentese terapêutica, pois retira uma grande quantidade de líquido do espaço pleural, podendo em muitos casos ser feita como tratamento de emergência. Geralmente, esse tipo de toracocentese é indicado para aliviar o desconforto respiratório do derrame pleural, pois permite descomprimir o espaço pleural permitindo que o pulmão possa se expandir.

Geralmente, durante a toracocentese de alívio, uma amostra do líquido pleural é enviada ao laboratório para análise. Além disso, no caso do médico suspeitar que o líquido pleural possa se acumular novamente no espaço pleural, como no caso de hemotórax, tumores ou pós-operatório de cirurgias cardiotorácicas, por exemplo, é possível que recomende deixar o dreno no local para coletar o líquido, evitando o ressurgimento dos sintomas.

Como se preparar para a toracocentese

Alguns cuidados são importantes para se preparar para a toracocentese diagnóstica, como:

  • Informar ao médico sobre o uso de remédios anticoagulantes, como varfarina, heparina, rivaroxabana, ácido acetilsalicílico ou clopidogrel, pois o médico pode orientar suspender esses medicamentos alguns dias antes do exame;
  • Levar uma lista com todos os medicamentos, vitaminas e suplementos nutricionais que toma com frequência;
  • Informar se está grávida ou suspeita de gravidez, no caso de mulheres;
  • Informar ao médico se apresenta alergia a látex, anestésicos ou outros remédios;
  • Fazer jejum absoluto de cerca de 4 horas, antes do exame, conforme orientado pelo médico;
  • Tomar os remédios de uso habitual normalmente, com pouca água, conforme orientação médica;
  • Evitar tomar remédios que não foram orientados pelo médico, inclusive remédios caseiros e chás;
  • Não usar esmalte ou unhas postiças, pois será colocado um oxímetro no dedo para medir os níveis de sangue;
  • Não utilizar brincos, relógio, ou qualquer outra bijuteria no dia do exame.

Além disso, é importante levar todos os exames realizados anteriormente, como exames de sangue, raio X do tórax, ultrassom, tomografia computadorizada ou ressonância magnética, por exemplo.

Como é feita

A toracocentese é feita pelo clínico geral, pneumologista ou cirurgião geral em ambiente hospitalar ou ambulatorial, sendo que para sua realização, a pessoa deve ficar sentada ou deitada na beira de uma maca com os braços elevados, pois esta posição ajuda o médico a identificar melhor os espaços entre as costelas, que é onde será inserida a agulha.

Para iniciar a toracocentese, o médico deve estar devidamente paramentado com materiais para evitar a contaminação, como luvas, avental, gorro e máscara, e a pessoa deve retirar joias e outros objetos e colocar uma roupa do hospital com abertura nas costas.

Em seguida, para a realização da toracocentese, o médico deve seguir alguns passos que incluem: 

  1. Colocar aparelhos para medir os batimentos do coração, a pressão arterial e a oxigenação do sangue;
  2. Colocar um cateter nasal ou máscara para garantir mais oxigênio aos pulmões;
  3. Fazer a limpeza da pele na região em que será feita a punção;
  4. Aplicar a anestesia local onde será inserida a agulha;
  5. Inserir a agulha de grosso calibre, específica para o procedimento;
  6. Coletar uma amostra líquido pleural para a seringa, que poderá ser analisado em laboratório;
  7. Retirar a agulha e fazer um curativo no local;
  8. Fazer um raio X, cerca de 2 a 4 horas após o procedimento, para verificar os pulmões e se não ocorreu pneumotórax, que é a entrada de ar dentro dos pulmões;
  9. Caso seja necessário remover maior quantidade de líquido pleural, o médico poderá colocar um dreno ligado a um frasco que fica localizado em um nível mais baixo que o da pessoa, para que o líquido possa ser drenado, fluindo naturalmente. Saiba mais sobre o que é dreno e os cuidados necessários.

Durante o procedimento, é utilizado um ultrassom que permite ao médico visualizar exatamente onde o líquido está acumulado. No entanto, em locais em que o uso do ultrassom não está disponível, o médico se orienta pelos exames de imagem feitos antes do procedimento, como um raio-X, tomografia ou ressonância.

Geralmente, a toracocentese é feita em 10 a 15 minutos, mas pode demorar mais, se houver muito líquido no espaço pleural e antes do término do procedimento são verificados sinais de sangramento ou vazamento de líquido.

Cuidados após a toracocentese

Quando não há nenhum sangramento ou vazamento de líquido, o médico faz liberação para casa. 

É possível que após o procedimento a área em que foi inserida a agulha ou o dreno fique um pouco sensível ou tenha hematomas, podendo ser recomendado pelo médico o uso de analgésicos, como o paracetamol.

Na maioria das vezes, não tem restrições na dieta em casa e o médico poderá pedir que algumas atividades físicas sejam suspensas.

Possíveis complicações

A toracocentese é um procedimento seguro, principalmente quando realizada com auxílio de ultrassom, mas algumas complicações podem acontecer e variam de acordo com a saúde da pessoa e o tipo de doença.

As principais complicações deste tipo de procedimento podem ocorrer são sangramento intrapleural, infecção, edema pulmonar, empiema, pneumotórax, hemotórax, ou lesão no fígado, baço ou coração.

Além disso, pode ocorrer lesão no diafragma, que é o músculo respiratório, danos em vasos sanguíneos intercostais ou mamários internos, hemorragia abdominal ou embolia gasosa.

Quando ir ao médico

É importante procurar atendimento médico imediatamente ou o pronto-socorro mais próximo caso surjam sintomas como:

  • Dor no peito;
  • Tosse seca;
  • Falta de ar;
  • Sensação de desmaio;
  • Febre acima de 38°C;
  • Vazamento de líquido ou sangue pelo local em que foi feita a punção.

 Além disso, deve-se procurar atendimento médico caso a região em que foi introduzida a agulha ou o dreno esteja vermelha ou inchada.

Quem não deve fazer

A toracocentese é um procedimento que pode ser realizado para a maioria das pessoas, mas em alguns casos pode ser contra-indicada, como ter problemas de coagulação no sangue, estar com alguma hemorragia, doenças de pele no local proposto para para fazer a punção, ou estar em ventilação mecânica.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em novembro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em outubro de 2019.

Bibliografia

  • WIEDERHOLD, B. D.; ET AL. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Thoracentesis. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK441866/>. Acesso em 17 nov 2022
  • LANAEUS, M. J.; et al. Routine Chest Radiographs after Uncomplicated Thoracentesis. J Hosp Med. 13. 11; 787-789, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • CANTEY, E. P.; et al. Complications of thoracentesis: incidence, risk factors, and strategies for prevention. Curr Opin Pulm Med. 22. 4; 378-85, 2016
  • PAGANA, Kathleen; PAGANA, Timothy. Guia de exames laboratoriais e de imagem para enfermagem . 11.ed. Rio de Janeiro : Elsevier, 2015. 939-945.
  • KRACKOV, Rachel; RIZZOLO, Denise. Real-time ultrasound-guided thoracentesis. Journal of the American Academy of Physician Assistants. 30.ed; 32-37, 2017
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.