Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é o derrame pleural, porque acontece e como tratar

O derrame pleural acontece devido ao acúmulo excessivo de líquido no espaço pleural, que é o espaço criado entre o pulmão e a membrana externa que o cobre.

Esse acúmulo dificulta o trabalho normal do pulmão e, por isso, a respiração pode ser gravemente afetada, devendo-se fazer o tratamento o mais rápido possível no hospital para retirar o excesso de líquido.

O que é o derrame pleural, porque acontece e como tratar

Como acontece o derrame pleural

Em situações normais, a quantidade de líquido no espaço pleural é muito pequena, cerca de 10 mL, e resulta de um equilíbrio perfeito entre a sua produção e absorção. Porém, quando existe algum problema de saúde como infecções no pulmão ou insuficiência cardíaca, esse equilíbrio pode ser afetado levando ao acúmulo excessivo de líquido.

Uma vez que o líquido não consegue ser absorvido adequadamente vai acumulando lentamente, aumentando a pressão sobre o pulmão, o que dificulta a respiração, levando a sintomas como dor no peito e sensação de falta de ar, por exemplo.

O que pode causar o derrame

As principais causas causas de derrame pleural estão relacionadas com a inflamação dos tecidos do pulmão ou da pleura, e incluem:

  • Pneumonia;
  • Tuberculose;
  • Câncer no pulmão;
  • Embolia pulmonar;
  • Artrite reumatoide;
  • Lúpus.

No entanto, o derrame também pode ser causado por problemas que levam ao aumento de líquido em todo o organismo como insuficiência cardíaca descompensada, cirrose ou doenças renais em estado avançado.

Como confirmar o derrame

Raio X com derrame pleural do lado esquerdoRaio X com derrame pleural do lado esquerdo

A melhor forma para confirmar a presença de um derrame pleural é fazer um raio X do tórax para observar se existe acúmulo de líquido, que é representado por uma área branca no pulmão.

Na maioria dos casos, a causa do derrame pleural já é conhecida, como acontece nos casos de insuficiência cardíaca, no entanto, quando o derrame surge sem causa aparente podem ser necessários mais exames para idnetificar a causa e iniciar o tratamento adequado.

Como é feito o tratamento

O derrame pleural é tratado quando é muito grande e provoca sintomas como dor intensa ou falta de ar, pois quando é pequeno pode ser absorvido pelo organismo, sendo apenas necessário fazer novos raio X para observar a sua evolução.

Nos caos em que é necessário tratamento, o médico utiliza uma agulha e uma seringa para atravessar a parede torácica e chegar até ao espaço cheio de líquido, removendo o excesso.

Uma vez que existe um grande risco de o derrame pleural voltar algumas semanas após ser aspirado é muito importante identificar o que está causando o problema, iniciando-se o tratamento adequado da causa.

Fisioterapia para derrame pleural

Após a retirada do excesso de líquido, o médico pode recomendar que fisioterapia respiratória que consiste num conjunto de exercícios respiratórios ensinados pelo fisioterapeuta que ajudam o pulmão a voltar o seu tamanho normal, após ter sido pressionado pelo derrame.

Esses exercícios são importantes para reduzir o desconforto ao respirar, mas também para aumentar a quantidade de oxigênio no organismo.

Principais sintomas

Os primeiros sintomas que podem indicar o desenvolvimento de um derrame pleural incluem:

  • Dificuldade para respirar;
  • Sensação de falta de ar;
  • Dor no peito, que piora ao inspirar fundo;
  • Febre acima de 37,5ºC;
  • Tosse persistente.

Na maioria dos casos, estes sintomas não surgem nos pequenos derrames pleurais e mesmo quando surgem podem ser associados às suas causas, como insuficiência cardíaca ou pneumonia. Por isso, é sempre recomendado fazer um raio X para avaliar a possibilidade de um derrame, especialmente nos casos descompensados ou quando os sintomas são muito intensos.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...