Derrame pleural: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
agosto 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tratamento

O derrame pleural é o acúmulo excessivo de líquido no espaço pleural, que é o espaço que existe entre o pulmão e a membrana externa que o cobre, chamada pleura, podendo acontecer devido a problemas cardiovasculares, respiratórios ou auto-imunes, como o lúpus, por exemplo.

Em situações normais, a quantidade de líquido no espaço pleural é muito pequena, cerca de 10 mL, e resulta de um equilíbrio perfeito entre a sua produção e absorção. Porém, quando existe algum problema de saúde, pode resultar no acúmulo excessivo de líquido, e surgimento de sintomas como dor no peito, sensação de falta de ar ou dificuldade para respirar.

O tratamento do derrame pleural, que também é conhecido como água no pulmão ou água na pleura, é feito pelo clínico geral ou pneumologista, que pode indicar o tratamento com drenagem do líquido da pleura, ou uso de remédios, como diuréticos ou antibióticos, o que varia de acordo com a causa do derrame pleural.

Sintomas de derrame pleural

Os principais sintomas de derrame pleural são:

  • Dificuldade para respirar;
  • Sensação de falta de ar, mesmo em repouso;
  • Cansaço, especialmente durante esforço físico;
  • Dor no peito, que piora ao inspirar fundo ou tossir;
  • Tosse seca persistente;
  • Dor constante ao respirar;
  • Soluço;
  • Febre.

Na maioria dos casos, estes sintomas não surgem nos pequenos derrames pleurais e mesmo quando surgem podem ser associados às suas causas, como insuficiência cardíaca ou pneumonia. 

Por isso, é sempre recomendado consultar o clínico geral  ou pneumologista sempre que surgirem sintomas do derrame pleural, para que seja diagnosticado, identificada sua causa e iniciado o tratamento mais adequado. 

O derrame pleural é grave?

O derrame pleural é uma condição que por si só não é grave, sendo que em muitos casos, o líquido na pleura, quando está presente em pequenos volumes, é reabsorvido pelo próprio organismo.

No entanto, o derrame pleural pode indicar condições graves de saúde, como insuficiência renal crônica, insuficiência cardíaca, câncer de pulmão ou linfoma, por exemplo, e deve ser tratada adequadamente para evitar complicações como o empiema, que é acúmulo de pus no espaço pleural, edema pulmonar, sangramento ou colapso pulmonar. 

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do derrame pleural é feito pelo clínico geral ou pneumologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde, exame físico, e exame de raio X do tórax para observar se existe acúmulo de líquido, que é representado por uma área branca no pulmão.

Além disso, o médico pode solicitar um ultrassom torácico ou tomografia computadorizada, e um exame chamado toracocentese, para retirar uma amostra do líquido do espaço pleural no pulmão, e fazer uma biópsia do tecido pulmonar para analisar no laboratório, de forma a identificar a causa do derrame pleural. Saiba como é feita a toracocentese

Possíveis causas

As principais causas causas de derrame pleural são:

  • Pneumonia;
  • Tuberculose;
  • Câncer de pulmão
  • Linfoma;
  • Mesotelioma
  • Embolia pulmonar;
  • COVID-19
  • Artrite reumatoide;
  • Lúpus;
  • Insuficiência renal em estágio avançado;
  • Síndrome nefrótica
  • Cirrose hepática;
  • Insuficiência cardíaca descompensada;
  • Hipotireoidismo descompensado;
  • Pancreatite;
  • Obstrução nos vasos linfáticos, chamado quilotórax
  • Hemotórax, que é a presença de sangue na pleura;
  • Síndrome pós lesão cardíaca, conhecida como síndrome de Dressler;
  • Complicações de cirurgia do coração de peito aberto;
  • Diálise peritoneal;
  • Exposição ao amianto;
  • Síndrome da hiperestimulação ovariana;
  • Síndrome de Meigs, causada por tumor benigno no ovário.

Além disso, o derrame pleural pode surgir devido a radioterapia na região do tórax, ruptura do esôfago ou uso de remédios como metotrexato, amiodarona, dasatinibe ou fenitoína, por exemplo.

Essas condições podem resultar em uma inflamação dos tecidos do pulmão ou da pleura, levando ao surgimento do derrame pleural.

Como é feito o tratamento

O derrame pleural é tratado quando é muito grande e provoca sintomas como dor intensa ou falta de ar, pois quando é pequeno pode ser absorvido pelo organismo, sendo apenas necessário fazer novos raio X para observar a sua evolução.

Nos casos em que é necessário tratamento e há um grande volume, o médico normalmente realiza a drenagem do líquido, que é feita utilizando uma agulha e uma seringa para atravessar a parede torácica e chegar até ao espaço cheio de líquido, removendo o excesso.

Além disso, dependendo da sua causa, o médico pode recomendar o tratamento com o uso de remédios diuréticos, antibióticos ou quimioterapia, por exemplo. Nos casos mais graves, pode ser recomendada a cirurgia para retirar o tecido inflamado e danificado da pleura, sendo essa cirurgia conhecida como toracoscopia ou toracotomia. Veja como é feita a toracotomia

Fisioterapia para derrame pleural

Após a retirada do excesso de líquido, o médico pode recomendar que fisioterapia respiratória que consiste num conjunto de exercícios respiratórios ensinados pelo fisioterapeuta que ajudam o pulmão a voltar o seu tamanho normal, após ter sido pressionado pelo derrame.

Esses exercícios são importantes para reduzir o desconforto ao respirar, mas também para aumentar a quantidade de oxigênio no organismo. Entenda como é feita a fisioterapia respiratória.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em agosto de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • WEI, X. S.; et al. Pleural effusion as an indicator for the poor prognosis of COVID-19 patients. Int J Clin Pract. 75. 6; e14123, 2021
  • CHONG, W. H.; et al. The incidence of pleural effusion in COVID-19 pneumonia: State-of-the-art review. Heart Lung. 50. 4; 481-490, 2021
Mostrar bibliografia completa
  • KRISHNA, R.; RUDRAPPA, M. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Pleural Effusion. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK448189/>. Acesso em 23 ago 2022
  • JANY, B.; WELTE, T. Pleural Effusion in Adults—Etiology, Diagnosis, and Treatment. Dtsch Arztebl Int. 116. 21; 377–386, 2019
  • ASCIAK, R.; RAHMAN, N. M. Malignant Pleural Effusion: From Diagnostics to Therapeutics. Clin Chest Med. 39. 1; 181-193, 2018
  • FERREIRO, L.; et al. Advances in pleural effusion diagnostics. Expert Rev Respir Med. 14. 1; 51-66, 2020
  • SILVA, Luiz Carlos et al.. Pneumologia: Princípios e Prática. 1.ed. Porto Alegre: Artmed Editora, 2012.
  • GOLDMAN, Lee; SCHAFER, Andrew I. . Goldman-Cecil Medicine . 25.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018.
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • PNEUMONIA: os sintomas que você tem que conhecer

    08:37 | 10398 visualizações
  • 5 EXERCÍCIOS PARA FORTALECER O PULMÃO | com @Mirca Fisioterapia e Bem-estar

    06:03 | 728227 visualizações