Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é a Tireoidite de Hashimoto e Como tratar

A tireoidite de Hashimoto é uma doença autoimune na qual o sistema imune ataca as células da tireoide, causando uma inflamação dessa glândula, o que geralmente resulta em um hipertireoidismo passageiro que depois é seguido por um hipotireoidismo.

De fato, este tipo de tiroidite é uma das causas mais comuns do hipotiroidismo, especialmente em mulheres adultas, causando sintomas como cansaço excessivo, queda de cabelo, unhas quebradiças e até falhas de memória.

Na maioria das vezes, a doença começa com um aumento indolor da tireoide e, por isso, pode ser identificada apenas durante um exame de rotina no médico, mas em outros casos, a tireoidite pode causar uma sensação de bola no pescoço, que não causa nenhuma dor à palpação. Em qualquer um dos casos, o tratamento com um endocrinologista deve ser iniciado o mais cedo possível para regular o funcionamento da glândula e evitar o surgimento de complicações.

O que é a Tireoidite de Hashimoto e Como tratar

Principais sintomas

Os sintomas mais comuns da tireoidite de Hashimoto são exatamente os mesmo do hipotireoidismo, por isso, é comum apresentar:

  • Aumento fácil de peso;
  • Cansaço excessivo;
  • Pele fria e pálida;
  • Prisão de ventre;
  • Baixa tolerância ao frio;
  • Dores musculares ou articulares;
  • Ligeiro inchaço da parte da frente do pescoço, no local da tireoide;
  • Cabelo e unhas mais fracos.

Este problema é mais comum nas mulheres e a sua descoberta normalmente é feita entre os 30 e os 50 anos de idade. Inicialmente, o médico pode diagnosticar apenas um hipotireoidismo e, após fazer outros exames, identificar a inflamação da tireoide chegando no diagnóstico da tireoidite de Hashimoto.

Como confirmar o diagnóstico

A melhor forma de diagnosticar a tireoidite de Hashimoto é consultar um endocrinologista e realizar o exame de sangue que avalia a quantidade de T3, T4 e TSH, além da pesquisa dos anticorpos antitireoidianos (anti-TPO). No caso de tireoidite, a TSH geralmente está normal ou aumentada, nunca diminuída.

Algumas pessoas podem apresentar os anticorpos antitireoidianos mas não apresentar nenhum sintoma, sendo considerados portadores de tireoidite auto-imune subclínica e por isso não necessitam de tratamento.

Entenda melhor quais os exames que identificam alterações na tireoide.

O que causa a tireoidite de Hashimoto

Ainda não se conhece a causa específica para o surgimento da tireoidite de Hashimoto, no entanto é possível que seja provocada por uma alteração genética, já que é possível que a doença apareça em várias pessoas da mesma família. Já outros estudos apontam que este tipo de tiroidite pode ser iniciada após a infecção por um vírus ou bactéria, que acaba provocando uma inflamação crônica da tireoide.

Embora não exista um causa conhecida, a tiroidite de Hashimoto parece ser mais frequente em pessoas com outros distúrbios endócrinos como diabetes tipo 1, mau funcionamento da glândula adrenal ou outras doenças auto-imunes como anemia perniciosa, artrite reumatoide, síndrome de Sjögren, doença de Addison ou lúpus, e outras como déficit de ACTH, câncer de mama, hepatite e presença de H. Pylori.

O que é a Tireoidite de Hashimoto e Como tratar

Como é feito o tratamento

O tratamento normalmente só é indicado quando há alterações dos valores de TSH ou quando surgem sintomas, sendo normalmente iniciado com a reposição hormonal feita com o uso de Levotiroxina por 6 meses. Após esse tempo, geralmente é preciso voltar ao médico para reavaliar o tamanho da glândula e realizar novos exames para saber se é preciso mudar para outro remédio ou ajustar a dose.

Se a pessoa tiver com dor ou houver um rápido crescimento da tireoide pode ainda ser indicado o uso de corticoides, como a Prednisolona, durante 3 a 4 semanas, para alívio dos sintomas.

Além disso, a alimentação também pode afetar bastante a saúde da tireoide e, dessa forma, é recomendado fazer uma dieta saudável e com alimentos ricos em nutrientes bons para o funcionamento da tireoide como iodo, zinco ou selênio, por exemplo. Veja uma lista dos melhores alimentos para a tireoide.

Como deve ser a dieta

Assista o vídeo a seguir e veja algumas dicas sobre como adequar a alimentação pode ajudar no funcionamento adequado da tireoide:

Possíveis complicações da tireoidite

Quando a tireoidite provoca alteração na produção de hormônios e não é tratada adequadamente, podem surgir algumas complicações para a saúde. As mais comuns incluem:

  • Problemas cardíacos: pessoas com hipotireoidismo não controlado têm maiores chances de apresentar níveis de LDL elevado no sangue, o que aumenta o risco de problemas cardíacos;
  • Problemas de saúde mental: por diminuição da produção de hormônios da tireoide, o organismo perde energia e por isso a pessoa se sente mais cansada, contribuindo para alterações do humor e até surgimento de depressão;
  • Mixedema: esta é uma condição rara que geralmente surge em casos muito avançados de hipotireoidismo, levando ao inchaço do rosto e até a sintomas mais graves como ausência completa de energia e perda de consciência.

Assim, o ideal é que sempre que se desconfie de tireoidite se procure um endocrinologista para fazer os exames necessários e iniciar o tratamento o mais cedo possível.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem