Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é Tireoidite e quais são os principais tipos

Tireoidite é a inflamação da tireóide, que pode acontecer por diversas causas como alterações da imunidade, infecções ou uso de remédios, por isso, ela é dividida em diferentes tipos como a tireoidite de Hashimoto, tireoidite linfocítica, tireoidite de Quervain ou tireoidite fibrosa, por exemplo. 

Uma tireoidite pode ocorrer de forma aguda, com rápida evolução, ou pode acontecer de forma mais gradual, como na tireoidite subaguda ou crônica. Alguns dos sintomas que podem indicar esta inflamação incluem dor na região do pescoço, dificuldade para engolir, febre e calafrios, sempre variando de acordo com o tipo, além de poder provocar consequências como o hipotireoidismo ou hipertireoidismo. Saiba mais sobre as principais doenças que podem afetar a tireoide.

Em muitos casos, a tireoidite tem cura, entretanto, o tratamento e a evolução de cada caso varia conforme o tipo de tireoidite e a reação do organismo de cada pessoa. Para identificar de forma correta uma tireoidite e o que fazer para tratar, é necessário consultar-se com o médico endocrinologista, entretanto, falaremos aqui um pouco sobre cada um dos principais tipos:

1. Tireoidite de Hashimoto (Tireoidite crônica)

A tireoidite de Hashimoto é o tipo mais comum de tireoidite crônica, que é mais frequente em mulheres dos 30 aos 50 anos, apesar de poder surgir em qualquer fase da vida. Ela é uma doença autoimune, na qual o corpo produz anticorpos que acabam por atacar as células da tireoide, provocando inflamação e alteração na sua função. 

  • Sintomas: o principal sintoma é o surgimento de bócio, que é o aumento da tireoide, não sendo comum provocar dor. Também podem haver sintomas de hipotireoidismo, como cansaço, sonolência, pele seca e falta de concentração, por exemplo, no entanto, também pode alternar com períodos de hipertireoidsimo, com sintomas como palpitações, insônia e emagrecimento;
  • Tratamento: geralmente é feito com a reposição dos hormônios tireoideanos, com uso de Levotiroxina, no entanto, a sua indicação depende dos valores da função tiroideana, refletida nos exames de sangue de TSH e T4 livre.

Para saber mais sobre como identificar e tratar esta doença, confira Tireoidite de Hashimoto.

O que é Tireoidite e quais são os principais tipos

2. Tireoidite de Quervain (Tireoidite subaguda)

Apesar de suas causas exatas não serem esclarecidas, sabe-se esta tireoidite pode ser provocada por infecções por vírus, como o da caxumba, influenza, adenovírus, ecovírus ou Coxsackie, por exemplo, sendo mais comum em mulheres dos 30 aos 50 anos. Esta doença provoca uma intensa inflamação na tireoide e a destruição de suas células. 

  • Sintomas: dor na região da tireoide, que pode irradiar para o maxilar ou orelhas. A glândula pode estar um pouco aumentada, provocando dor de garganta e dificuldade para engolir. Também podem haver sintomas de infecção das vias respiratórias, como tosse e produção de secreção. Como a lesão da tireóide pode provocar a liberação de hormônios tireoideanos na circulação, pode haver sintomas de hipertireoidismo e, numa fase mais posterior, hipotireoidismo;
  • Tratamento: é feito com medicamentos para aliviar os sintomas, principalmente com antiinflamatórios, como Ibuprofeno ou Nimesulida, por exemplo. Em casos de sintomas intensos ou persistentes, é indicado o uso de corticóides, como Prednisona.

Para confirmar este tipo de tireoidite, o médico poderá solicitar exames como VHS, que identifica a presença de inflamação, além do exame de captação do iodo radioativo, que avalia a função da tireoide. Se ainda existirem dúvidas, o médico poderá realizar um punção da tireóide, que poderá afastar outras causas, como um cisto ou um câncer por exemplo. 

3. Tireoidite Linfocítica (Tireoidite silenciosa)

A tireoidite linfocítica, também conhecida como silenciosa ou indolor, também é provocada devido à autoimunidade, em que anticorpos produzidos no organismo atacam tireoide, sendo mais comum em mulheres dos 30 aos 60 anos.

  • Sintomas: não costuma provocar dor ou sensibilidade na tireoide, entretanto, provoca a liberação de hormônios tireoideanos para a corrente sanguínea, o que pode provocar um período com sintomas de hipertireoidismo, qu ecostuma se recuperar em algumas semanas a meses. Em alguns casos, pode haver também um breve período de hipotireoidismo;
  • Tratamento: não tem um tratamento específico, sendo indicado o controle dos sintomas de hipertireoidismo, e pode ser necessário o uso de medicamentos como Propranolol para controle dos batimentos cardíacos no hipertireoidismo ou a reposição de hormônios na fase de hipotireoidismo, por exemplo.

Quando este tipo de tireoidite afeta mulheres até 1 ano após a gestação, ela é chamada de Tireoidite Pós-parto, que provoca sintomas e tratamento semelhantes.

4. Tireoidite de Riedel (Tireoidite fibrosa)

É outra causa de tireoidite crônica, entretanto, muito mais rara, que provoca lesões e fibrose na tireoide de forma lenta e gradual, que podem levar ao hipoteireoidismo. 

  • Sintomas: provoca aumento da tireoide, de forma indolor, mas que pode provocar sensação de peso no pescoço, dificuldade para engolir, rouquidão, sensação de sufocamento e falta de ar;
  • Tratamento: é feito com medicamentos para reduzir a atividade inflamatória, como corticóide, Tamoxifeno ou Metotrexato, por exemplo. Também podem ser indicada a reposição de hormônios tireoideanos, quando a função da tireoide estiver prejudicada.

O diagnóstico da tireoidite de Riedel é feito com a punção e aspiração da tireoide, que irá evidenciar as lesões. 

5. Outras tireoidites

Outras causas menos comuns de tireoidite incluem as causadas por intoxicação a certos medicamentos, como quimioterápicos ou Amiodarona por exemplo. Já a tireoidite actínica é provocada por tratamentos com radiação na região do pescoço, que pode provocar inflamação ou inibição da função das células da tireoide. 

Também existem as tireoidites provocadas por infecções por bactérias como Estafilococos e Estreptococos, ou por fungos, como Aspergillus ou Candida, por exemplo, ou até mesmo por alguns parasitas e micobactérias. 

Mais sobre este assunto:


Carregando
...