Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas de infecção por Escherichia coli e como tratar

A Escherichia coli, também chamada de E. coli, é uma bactéria naturalmente encontrada no intestino das pessoas sem que sejam percebidos sintomas, no entanto quando presente em grandes quantidades ou quando a pessoa é infectada por um tipo diferente de E. coli, é possível que surjam sintomas intestinais, como diarreia, dor abdominal e enjoos, por exemplo.

Apesar das infecções intestinais por Escherichia coli serem comuns, essa bactéria também causa infecções urinárias, que pode ser percebida através de dor ou ardor ao urinar e cheiro mais forte do xixi, sendo mais frequente de acontecer em mulheres. 

Sintomas de infecção por Escherichia coli e como tratar

Sintomas de infecção por Escherichia coli

Os sintomas de infecção por E. coli surgem cerca de 3 a 4 dias após o contato com a bactéria através do consumo de alimentos e água contaminados ou devido à chegada da bactéria no trato urinário devido à proximidade entre o ânus e a vagina, no caso das mulheres. Assim, os sintomas de infecção variam de acordo com o local acometido:

Infecção Intestinal por E. coli

Os sintomas de infecção intestinal por E. coli são os mesmos de que uma gastroenterite causada por vírus, por exemplo, sendo os principais sintomas:

  • Diarreia constante;
  • Fezes com sangue;
  • Dor abdominal ou cólicas frequentes;
  • Enjoos e vômitos;
  • Mal estar geral e cansaço;
  • Febre abaixo de 38ºC;
  • Perda de apetite.

Caso os sintomas não desapareçam após 5 a 7 dias, é importante ir ao médico para que sejam feitos exames que possam identificar a bactéria. Caso seja confirmada a infecção por E. coli, o médico deve indicar o uso de antibióticos, bem como o repouso, alimentação leve e ingestão de bastante líquidos.

Infecção urinária por E. coli

A infecção urinária causada por E. coli é mais comum em mulheres devido à proximidade do ânus com a vagina, tornando mais fácil a transmissão da bactéria de um lugar para o outro. Para prevenir, a mulher deve beber bastante água, evitar o uso constante de duchas na região vaginal e limpar essa área na direção da vagina para o ânus.

Para saber se há possibilidade de ter infecção urinária por Escherichia coli, selecione os sintomas no teste a seguir:

  1. 1. Dor ou sensação de queimação ao urinar
    Sim
    Não
  2. 2. Vontade frequente e repentina de urinar em pouca quantidade
    Sim
    Não
  3. 3. Sensação de não conseguir esvaziar a bexiga
    Sim
    Não
  4. 4. Sensação de peso ou desconforto na região da bexiga
    Sim
    Não
  5. 5. Urina turva ou com presença de sangue
    Sim
    Não
  6. 6. Febre baixa persistente (entre 37,5º e 38º)
    Sim
    Não
Imagem que indica que o site está carregando

O diagnóstico da infecção urinária por Escherichia coli é feito pelo médico de acordo com os sintomas apresentados pela pessoa e resultado do exame de urina do tipo 1 e urocultura, que indicam se há infecção e qual o melhor antibiótico para tratar.

Como é feito o tratamento

O tratamento da infecção por Escherichia coli é feito de acordo com o tipo de infecção, idade da pessoa e sintomas apresentados, sendo normalmente indicado pelo médico o repouso e o uso de antibióticos, como Levofloxacino, Gentamicina, Ampicilina e Cefalosporina, por exemplo, por 8 a 10 dias ou de acordo com a recomendação do médico.

No caso da E. coli causar diarreia grave com presença de sangue nas fezes, pode ser indicado também fazer uso de soro para evitar a desidratação. Além disso, de acordo com a gravidade dos sintomas, o médico pode indicar remédios que aliviem a dor e o desconforto, como o Paracetamol, por exemplo.

É importante que durante o tratamento da infecção por Escherichia coli a pessoa tenha uma alimentação leve, dando preferência ao consumo de frutas, legumes e verduras, além de ingerir bastante líquidos para ajudar na eliminação da bactéria, no caso de infecção urinária, e prevenir a desidratação, no caso da infecção intestinal.

Conheça mais sobre o tratamento para E. coli.


Bibliografia

  • SANTOS, Ana Carolina M. S et al. A virulência de Escherichia coli patogênica extra-intestinal (ExPEC) em relação à idade e ao sexo do hospedeiro. O Mundo da Saúde. Vol 33. 4 ed; 392-400, 2009
  • LOPES, Priscila M. et al. Escherichia coli como agente etiológico de infecções do trato urinário em pacientes do município de Viçosa-MG. Revista Brasileira de Farmácia. Vol 93. 1 ed; 43-47, 2012
  • BOSTON PUBLIC HEALTH COMMISSION. E. coli (Escherichia coli). 2014. Link: <www.bphc.org>. Acesso em 26 Jun 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem