Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Saiba quais são os sintomas de inflamação nas trompas uterinas

Os sintomas de inflamação nas trompas podem ser dor abdominal dos dois lados e sangramentos fora do período menstrual. Os principais sinais e sintomas da inflamação aguda das trompas de Falópio são:

  • Alterações da cor ou cheiro do corrimento vaginal;
  • Dor durante o contato íntimo;
  • Dor na região pélvica;
  • Sangramentos fora do período menstrual;
  • Dor ao urinar;
  • Febre acima de 38º C;
  • Dor no fundo das costas;
  • Vontade de urinar frequente;
  • Náuseas e vômitos.

Geralmente, os sinais e sintomas de inflamação nas trompas surgem após a menstruação em mulheres com vida sexual ativa, pois são causados por infecções bacterianas ou doenças sexualmente transmissíveis, como a contaminação pela Chlamydia trachomatis e a Neisseria gonorrhoeae. Porém, também podem surgir antes da menstruação, após o parto, em casos de aborto, após colocação do DIU ou como complicação de uma cirurgia ginecológica, por exemplo.

Em alguns casos, a infecção pode demorar muito tempo para passar, sendo chamada de salpingite crônica, que gera sintomas semelhantes aos da salpingite aguda, mas que duram mais tempo ou surgem recorrentemente após a menstruação. Saiba mais sobre a salpingite crônica.

Saiba quais são os sintomas de inflamação nas trompas uterinas

Principais causas da salpingite

A salpingite pode ser consequência de infecções abdominais, em que os agentes causadores da infecção, normalmente bactérias, chegam às trompas de Falópio, provocando sua inflamação e dando origem aos sintomas. Normalmente as bactérias causadoras da salpingite são as mesmas que causam a Clamídia e a Gonorréia, por exemplo, que são doenças sexualmente transmissíveis.

As mulheres que utilizam o Dispositivo Intrauterino (DIU) como método anticoncepcional, possuem múltiplos parceiros ou foram submetido a algum procedimento pélvico, têm mais chance de desenvolver salpingite.

A Doença Inflamatória Pélvica (DIP) está muito relacionada com a salpingite, no entanto além de haver inflamação das trompas, o útero e o ovário também são acometidos. O histórico de DIP na mulher pode aumentar a predisposição à salpingite. Saiba mais sobre a doença inflamatória pélvica.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da salpingite é feito por meio de exames laboratoriais, como verificação da quantidade de glóbulos brancos e da proteína C reativa (PCR), que estão aumentados quando há uma infecção, além da análise microbiológica da secreção vaginal com o objetivo de verificar a presença e identificar a bactéria.

É também realizado pelo ginecologista um exame pélvico, como a histerossalpingografia, que é um exame de imagem em que são visualizadas as trompas de Falópio. Saiba tudo sobre a histerossalpingografia.

É importante que o diagnóstico seja feito o mais breve possível, para que se possa iniciar o tratamento e evitar complicações, como esterilidade, gravidez ectópica e infecção generalizada. Por isso, é importante que as mulheres realizem os exames ginecológicos de rotina, mesmo que não haja sintomas de doenças. Veja quais são os 7 principais exames solicitados pelo ginecologista.

Como tratar a inflamação nas trompas

A inflamação nas trompas tem cura e o seu tratamento deve ser feito com o uso de antibióticos de acordo com a orientação do ginecologista e durante cerca de 7 dias.

Assim, a mulher com sintomas de inflamação nas trompas deve consultar imediatamente o ginecologista para iniciar o tratamento e evitar complicações como infertilidade, hidrossalpingite, infecção generalizada, gravidez ectópica ou abcessos nos ovários e trompas.

Nos casos mais graves, pode ser necessário fazer cirurgia para retirar órgãos que possam ser afetados pela infecção das trompas, como ovários, útero ou trompas. Veja como é feito o tratamento para inflamação nas trompas uterinas e quais são os sinais de melhora.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar