Doenças psicossomáticas: o que são, sintomas, causas e tratamento

As doenças psicossomáticas, ou transtorno de sintomas somáticos, são condições provocadas por alterações emocionais e que causam sintomas físicos como dor, falta de ar, coração acelerado, tremores ou diarreia, por exemplo. Normalmente, os sintomas que resultam de doenças psicossomáticas não são explicados por nenhuma outra doença ou alteração física e/ou orgânica. Por isso, uma pessoa que tenha uma doença psicossomática, pode fazer várias consultas e com vários médicos sem nunca conseguir identificar uma causa.

Os sintomas desse transtorno estão associados a um mal estar emocional e, em alguns casos, a transtornos de ansiedade e depressão, sendo mais frequente em pessoas com antecedentes familiares de somatização de experiências traumáticas.

O tratamento geralmente inclui a realização de psicoterapia, além do acompanhamento com o psiquiatra, que poderá indicar medicamentos, como antidepressivos ou ansiolíticos, para ajudar a aliviar os sintomas.

Doenças psicossomáticas: o que são, sintomas, causas e tratamento

Sintomas das doenças psicossomáticas

O aparecimento dos sintomas pode variar de uma pessoa para outra, podendo haver sensação de mal-estar em várias partes do corpo, como:

  1. Estômago: dor ou sensação de queimação no estômago, náusea, piora de gastrites ou úlceras gástricas;
  2. Intestino: diarreia ou prisão de ventre;
  3. Garganta: sensação de nó na garganta, irritações mais fáceis constantes na garganta e amígdalas;
  4. Pulmões: sensação de falta de ar ou sufocamento, podendo simular doenças pulmonares ou cardíacas;
  5. Músculos e articulações: tensão, contraturas, dor muscular ou dor nas costas;
  6. Coração e circulação: sensação de dor no peito, que pode até ser confundida com infarto, além de palpitações, surgimento ou piora da pressão alta;
  7. Rins e bexiga: sensação de dor ou dificuldade para urinar, que pode imitar doenças urológicas;
  8. Pele: coceira, ardência ou formigamentos;
  9. Região íntima: piora da impotência, diminuição do desejo sexual, dificuldade para engravidar ou alterações do ciclo menstrual;
  10. Sistema nervoso: insônia, irritabilidade, crises de dor de cabeça, enxaqueca, alterações da visão, do equilíbrio, da sensibilidade (dormências, formigamentos) e da motricidade, podendo simular doenças neurológicas.

Pessoas que apresentam uma doença psicossomática podem sofrer por muitos meses ou anos até que se descubra a causa. Estes sintomas acontecem porque o estresse e a ansiedade fazem aumentar a atividade nervosa do cérebro, além de elevar os níveis de hormônios no sangue, como adrenalina e cortisol, o que aumenta a intensidade e duração dos sintomas.

Nas crianças, os sintomas mais comuns são dor abdominal frequente, dor de cabeça, cansaço e náuseas, sendo mais comum que a criança apresente apenas um sintoma, enquanto que os adultos costumam apresentar mais de um.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico de uma doença psicossomática deve ser feito por um psiquiatra por meio da avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa, mas um clínico geral ou outro especialista podem sugerir essa alteração ao excluírem a presença de outras doenças através de exames físicos e laboratoriais.

O diagnóstico pode ser difícil, já que os sintomas não são suficientes para suspeitar de uma doença. Por isso, em muitos casos a pessoa é tratada com medicamentos que aliviam os sintomas, sem tratar a verdadeira causa.

Possíveis causas

Existem diversas situações que facilitam o desenvolvimento da somatização, como depressão, ansiedade ou estresse, sendo algumas das causas:

  • Trauma na infância ou após acontecimentos marcantes, além de conflitos de família são algumas situações que podem deixar a pessoa com medo e desmotivada para seguir em frente; 
  • Situações de violência psicológica e de desmotivação, como acontece nos casos de violência doméstica ou bullying;
  • Antecedentes familiares, uma vez que acredita-se que a genética pode estar relacionada com o desenvolvimento desse transtorno;
  • Aprendizagem: ensinamentos de como obter atendimento médico ou indicar doença, por exemplo.

Na suspeita de qualquer sintoma indicativo de doença psicossomática ou caso a pessoa sinta-se ansiosa ou estressada frequentemente, é recomendado ir ao clínico geral para que sejam realizados exames que possam descartar outras doenças e, se necessário, ser encaminhado para um psiquiatra ou psicólogo. 

O acompanhamento por um psicólogo é muito importante nessas situações, pois ajuda a pessoa a identificar o motivo do seu estresse e da sua ansiedade e, assim, conseguir lidar com esse tipo de situação e adotar hábitos e estratégias que promovam a sensação de bem-estar.

Como tratar

Além de medicamentos, as pessoas que apresentam sintomas e doenças psicossomáticas devem ter um acompanhamento por psicólogo e psiquiatra, para realização de sessões de psicoterapias e ajuste dos medicamentos. Algumas dicas para aprender a contornar os sintomas de ansiedade também podem ser seguidas, como dedicar-se a alguma atividade prazerosa, por exemplo.

O tratamento é feito com remédios para aliviar os sintomas, como analgésicos, anti-inflamatórios e medicamentos para enjoo, além de medicamentos para controlar a ansiedade, através de antidepressivos, como sertralina ou citalopram, ou ansiolíticos calmantes, como diazepam ou alprazolam, por exemplo, caso seja indicado pelo médico.

Algumas medidas simples e naturais também podem ajudar a lidar com os problemas emocionais, como tomar chás calmantes de camomila e valeriana, tirar férias para descansar a mente e procurar resolver um problema de cada vez. Fazer algum tipo de exercício físico como caminhada, corrida, yoga ou pilates também pode ajudar a promover o bem-estar.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • PASCUAL, Pablo; CERECEDO María. Somatización o síntomas somáticos y trastornos relacionados. AMF. 11. 5; 281-286, 2015
  • CHANDRASHEKAR, C. R.; MATH, S. B. Psychosomatic disorders in developing countries: current issues and future challenges. Curr Opin Psychiatry. 19. 2; 201-6, 2006
  • BRILL, S. R.; PATEL, D. R.; MACDONALD, E. Psychosomatic disorders in pediatrics. Indian J Pediatr. 68. 7; 597-603, 2001
  • FAVA, G. A.; COSCI, F.; SONINO, N. Current Psychosomatic Practice. Psychother Psychosom. 86. 1; 13-30, 2017
  • DSMV, Trastornos de síntomas somáticos y trastornos relacionados. 309-314.
Mais sobre este assunto: